Tate no Yuusha no Nariagari:Web Chapter 356 (Brazilian Portuguese)

From Baka-Tsuki
Jump to: navigation, search

Capítulo 356 – Upar[edit]

“Oh, grande Rainha de Melromarc!” (Medea)

“…”

A Rainha indiferentemente observa a área em volta dela.

“M-Mirellia, é você?” (Lixo)

“…”

A Rainha não dá uma resposta para a questão do Lixo.

“Agora, tome liderança deste exército, e destrua aqueles que nos opõem.” (Medea)

“Entendido!” (Rainha)

No que ela bateu continência, a Rainha foi teleportada, talvez através da magia da Medea, para uma área muito mais no fundo.

E daquele momento em diante, a coordenação daqueles oferecendo apoio nos fundos repentinamente melhorou.

Isso é traição? Poderia ser que ela nunca realmente morreu, e era apenas uma peã da Deusa?

“Lixo!” (Naofumi)

Sua esposa era uma traidora?

Antes de eu poder perguntar, Lixo balança sua cabeça.

“Isso não é possível! Isso é… isso é!” (Lixo)

Lixo raivosamente rosna para Medea.

“Sim, eu arrastei a alma dela para fora e revivi ela para fazer dela uma de minhas peças. Neste momento, ela só pode se mover pela minha vontade. Ara? Teria sido melhor se eu não te contasse isso?” (Medea)

“MAAAAALLLLLLLDIIIIIIIITAAAAAAAA!” (Lixo)

A voz enfurecida do Lixo ecoa[1].

Então isso significa… a Rainha está sendo forçadamente controlada.

… Certo. Não tem como aquela Rainha alguma vez trair assim.

Só quanto mangá você leu, e quantos jogos você jogou, Iwatani Naofumi?

Quando os mortos são trazidos de volta, eles estão normalmente sendo controlados, ou zumbis.

Só quão baixo ela pode chegar, esta aqui!?

Pensando sobre isso, ela pode fazer reencarnação.

Isso é evidência ampla que ela pode reviver os mortos.

Ainda mais, a Rainha se tornou a marionete dela.

Droga! Ela será excedentemente difícil de se lidar.

E espera, os reencarnadores não estão nem um pouco incomodados pelas ações dela?

Talvez ela tenha feito uma história para eles, ou talvez… nós fomos os únicos cientes daquela cena?

“「Chuva de Flecha」! Rápido! A chefe do bando… a inimiga!” (Itsuki)

Itsuki libera uma chuva de flechas naqueles lutando com Motoyasu.

Ah, isso mesmo.

Se nós derrotarmos o ponto de origem da Witch, Medea, então talvez tudo será resolvido.

Pelo que eu vi, as forças dela possuem forte Magia de Suporte conjurada nelas, mas como eles não possuem cooperação, eles estão repletos com fogo amigo.

… Okay.

“Vamos lá!” (Naofumi)

“Sim!” (Ren[2]

Nós, os Heróis na frente, seremos provavelmente aqueles a tomarem comando.

Ou senão aqueles atrás de nós não seguirão!

「Espada da Ventania Fênix X」!

「Brionac X」!

「Destruidor Total X」!

「Prisão de Escudo↦ Troca de Escudo(Ataque)↦ Dama de Ferro X」!

Nós todos soltamos nossas skills mais poderosas na Medea.

O pássaro de fogo envolve a lança de luz, que absorve o raio disparado pela arma.

A combinação colide com Medea, e a explosão resultante é contida dentro da Prisão de Escudo. Os escudos mudam para uns forrados com espinhos, e uma Dama de Ferro envolve isso tudo.

Isso fez algum dano!?

“… Vocês não são nenhum pouco divertidos.” (Medea)

Medea ficou ali com uma expressão mal-humorada, como se nada houvesse acontecido com ela.

Parece que ela empregou uma barreira firme.

Ku… mesmo a combinação dos nossos ataques mais fortes não é o suficiente para arranhar ela.

Nós teremos que pegar Raphtalia e os outros para nos ajudar antes de tentar de novo.

Mas eles estão ocupados com os Reencarnadores, e o exército do mundo da Glass. A situação é bem severa.

Por sorte, o inimigo está nos esnobando, e flutuando irritantemente por perto.

“Naofumi.” (Ren)

Ren olha para mim.

Eu sei.

Um inimigo forte assim e as armas que nós coletamos até agora. Dentre nossas skills…

Ren acena.

Parece que todo mundo entende também.

“Vamos lá!” (Naofumi)

Nós ignoramos o exército inteiro por um único momento. Não…

「Parede Meteoro X」!

A skill que eu uso nos cerca, e todo mundo… conjura uma skill na Medea.

「… do Ø」

Certo, parecia estranho demais para uma skill não fazer absolutamente nada.

Eu pensei que era estranho que eles zoassem com a gente com uma skill feita para nada além de se exibir, então eu, Ren e Itsuki nos consultamos.

Se nós alguma vez encontrássemos um inimigo forte demais, nós deixaríamos a possibilidade aberta para usar ela para ver se ela faria alguma coisa.

Eu nunca pensei que uma chance para usar isso fosse se apresentar tão cedo.

“O qu–” (Medea)

Medea, que havia continuamente mostrado para nós sua impressão desleixada, repentinamente ficou num panico.

Então é verdade…

As skills Ø brilham no que elas disparam na direção dela.

“Deusa!?”

Os reencarnadores beligerantes e seus exércitos param de se mover.

“Bom!” (Naofumi)

Então nós podemos derrotar ela com isso.

“Continue…” (Naofumi)

Antes que eu pudesse terminar minha frase, um único raio de luz passou por mim.

Não, eu nem pude seguir o que aconteceu com meus olhos.

Alguma coisa passou, e eu meramente olhei para sua direção por instinto.

“Guhaaaah!?” (Motoyasu)

O que eu vi foi o momento quando Motoyasu, que estava de pé no meio do campo de batalha, caiu. Ele havia sido perfurado por alguma coisa.

“Eh…?” (Motoyasu)

“M-Motoyasu-san!” (Midori)

“Mokkun!” (Kuu)

“Mo-chan!” (Marin)

Os membros do grupo dele correm até ele.

“…”

Mas o corpo do Motoyasu não está se movendo nem um pouco.

“Como vocês ousam colocar uma ferida no meu corpo!” (Medea)

… A única ferida deixada na Medea era um pequeno arranhão na mão dela.

“M-Motoyasu…?” (Naofumi)

Vendo o corpo imóvel, capenga dele, eu não consegui trazer nenhuma palavra.

Eventualmente.

“Ah–”

O corpo do Motoyasu brilhou dourado, e se dispersou no ar.

Como se ninguém estivesse deitado lá para começar.

“Isso foi um pouco surpreendente. Eu não pensei que… vocês eram bons assim. Mas que infeliz para vocês. Eu não sou tão frágil para cair por algo assim.” (Medea)

Medea observa a área, e espreme suas sobrancelhas, no que ela começa a nos contar.

“Um… dois… três… onze ao todo? Isso é bastantinho. Com tudo isso, parece um pouco desbalanceado. Ainda tem três armas sagradas sobrando, e Vassalas, era isso? Mesmo que eu tenha feito tanto, ainda há oito sobrando. Isso é o pior.” (Medea)

Ela me encara.

“Só quão longe você pretende ficar no meu caminho, apesar de ser apenas um mero escudo?” (Medea)

“Como se eu ligasse! Não avance a conversa sozinha!” (Naofumi)

O que a fonte disto tudo está tentando dizer?

Motoyasu acabou de morrer! Mas eu não posso surtar[3] aqui.

Ren e Itsuki provavelmente entendem isso também.

Eles contêm suas fúrias no que eles calmamente consideram jeitos para derrotar ela.

“Só qual é seu objetivo!? Por qual propósito você causou algo como a onda!?” (Naofumi)

“Fufufu, vocês querem saber?” (Medea)

Esnobando todos nós, Medea ri.

“Se eu tivesse que dizer, eu acho que é para me fazer mais forte. Se eu tivesse que colocar nas suas palavras tediosas, então eu queria aumentar meu level.” (Medea)

“Como… por algo tão mesquinho quanto isso… você começou toda essa violência improdutiva!?” (Itsuki)

Itsuki grita no que ele aperta seu arco.

Eu também… não, todos aqueles que ouviram as palavras dela compartilham o sentimento.

Aumentar o level dela, você diz!?

Por algo tão inútil quanto isso, nós vivemos através dos nossos dias de inferno!?

Através da onda, muitos perderam suas vidas, e muitos perderam suas pessoas amadas. Ainda assim, nós continuamos lutando para trazer um fim à tudo isso. E ainda o objetivo do inimigo era meramente upar.

Não fode[4] comigo…

“Diga o que você quiser. Então agora, vamos derrotar os heróis malignos!” (Medea)

As palavras da Medea mandam os inimigos correndo para frente de uma vez.

O poder deles parece ter sido elevado para uma extensão estranha, e mesmo para mim, o máximo que eu posso fazer é bloquear eles.

Gu…

“Ah, certo, certo. Vocês são um pouco fortes demais, então eu vou ter que matar alguns dos seus Heróis para nos dar uma colher de chá, tá?” (Medea)

Medea segura sua mão na frente dela, e uma espada meio-transparente feita de energia aparece nela. Ela aponta ela para nós.

“Adeus.” (Medea)

Eu imediatamente corro para frente, para proteger Ren, Raphtalia, Firo, Fohl, Midori, e todos os heróis que estavam nas linhas de frente.

「Escudo do Ø」!

Se os outros tiveram poder o suficiente para superar a defesa de um deus… então eu devo ser capaz de aguentar isso com isto.

“Ah, que triste.” (Medea)

Para mim, pareceu que o mundo havia parado.

E naquele mundo estagnante, Medea era a única se movendo.

“Com defesa do seu nível, é impossível.” (Medea)

________!

“Vejamos. 100% Mira Mortal[5], 100% Morte, 『Destruidor Infinito』. É, você está morto.” (Medea)

Branco, e preto. Vermelho também estava misturado no meio. Uma quantia infinita de linhas circulam.

Elas se juntam num único raio estreito, e voa na minha direção.

Assim como com o ataque que matou Motoyasu, eu não consigo seguir ele com meus olhos.

Sim… eu acho que você poderia chamar isso de morte.

É como se ela é o conceito de morte materializado em si. Esse é o tipo de impressão que eu tenho.

Eu não sei porque eu fui capaz de ver isso.

Na verdade, o ataque da Medea foi muito mais rápido que meu próprio senso de percepção, então não tem como eu ter conseguido ver isso.

Era como se ela tivesse pulado toda animação do efeito, deixando apenas a mensagem 『Inimigo foi Morto』 para trás. Um remendo de tempo que deixou somente o resultado.

O-o que é… isso!?

Por sorte, ou milagre, eu… bloqueei o ataque com meu Escudo.

Pareceu como se eu tivesse bloqueado ele com sucesso.

Eu também tinha confiança no fato que eu não havia morrido ainda.

Mas…

“Ara? Você bloqueou isso? Para você ser capaz de aguentar um ataque cuja velocidade supera o infinito, você deve ser bem sortudo.” (Medea)

Velocidade que supera o infinito?

Esta aqui está bem na cabeça? As palavras dela estão indo por todo lugar.

Não, era verdade que eu fui incapaz de entender o ataque do inimigo.

O fato que eu fui capaz de bloquear ele foi verdadeiramente apenas um milagre. É como se ela tivesse meramente enviado a explosão voando para a área onde meu Escudo estava preso.

Se ela atirar de novo… eu estou morto.

“Então que tal isso? Gasta uma quantia desnecessária de poder, então eu não gosto de usar isso, mas eu acho que não há escolha.” (Medea)

… O momento depois que Medea disse isso, eu morri.

“Eh…?”

Como se um interruptor tivesse sido desligado. Como se o poder tivesse sido cortado, minha consciência instantaneamente é mandada à deriva.

Eu verdadeiramente não entendo só o que foi que Medea fez.

“Você provavelmente odiaria morrer sem saber a razão, então me deixe lhe contar. Seu passado, presente e futuro. Eu direcionei um ataque em todos os vocês em todos mundo paralelos e divergentes em existência.” (Medea)

Pela hora que eu estava ciente dos meus arredores mais uma vez, eu estava no ar.

Rapidinho mesmo, a barra de HP no meu Status alcançou 0.

Ren era igual, e…

“Naofumi-sama–” (Raphtalia)

Raphtalia imediatamente esticou sua mão para mim.

Eu tento responder o calor dela por levantar meu braço, mas eu não consigo colocar nenhum poder nele.

“Em nome de deus, apenas suma no esquecimento!” (Medea)

Meu corpo foi arrancado aos pedaços, mas ainda, ela continua a atacar…

“Agora caia no vão entre dimensões! AHAHAHAHAHAHAHA!” (Medea)

A risada dolorosa da Medea ecoa através das minhas orelhas inacabavelmente.

Ainda não… mova, meu corpo!

Eu estou no meio de ser arremessado longe!

Quando eu olhei para baixo, o que eu estava… era meu torso sendo moído em pedaços minúsculos.

“Ara? A Vaca do Martelo foi misturada nisso também? Bem, eu acho que isso é o suficiente para balançar as chances, certo? Eu mantive vocês esperando por um tempo, mas é finalmente hora de começar o jogo.” (Medea)

Quando eu pensei que eu havia finalmente sido liberto da risada dela, meu campo de visão se distorceu, e minha mente foi para longe.

… Então meu fim veio assim. Aleatoriamente morto por razões que eu nem entendo?

Até agora, eu tentei tão duro. Eu desesperadamente batalhei meu caminho até aqui, e sem ser capaz de salvar… de proteger todo mundo, eu vou morrer como um cão?

Então que diabos nós estivemos fazendo até agora?

A razão pela qual eles foram todos nascidos era simplesmente para acumular EXP?

Não foda comigo… como se eu fosse deixar isso ser realidade.

Mova.

Ao menos me deixe oferecer alguma resistência.

Mas para o eu atual, esse desejo era impossível de conceder.

Se eu fechar meus olhos aqui, eu estarei definitivamente morto.

… Não. Eu tenho quase certeza que eu já estou.

Eu não sei porque, mas eu reconheço o fato que eu estou morto.

Ah… então é assim que é.

Então eu já… estou morto.

Então isso é a lanterna giratória[6].

Minhas memórias começam a reviver, e girar em volta diante de mim.

Era realmente uma vida de droga.

Eu me imergi em Mangá e Jogos por um capricho, e depois reclamei sobre meu mundo toda hora. Então eu fui invocado aqui.

Neste terrível mundo alternado, eu tentei meu melhor, e encontrei Raphtalia.

Eu encontrei Firo. Eu encontrei Melty. Eu limpei meu nome dos meus falsos crimes.

Eu derrotei um inimigo gigante, e eu encontrei Atlas. Eu encontrei Fohl, e eu encontrei os aldeões. Eu fiz as pazes com Ren, os outros Heróis e Lixo, quem eu havia feito para serem meus inimigos.

E daqui em diante, era para ter ficado melhor…

Porque, porque isso deve ser tão injusto…

Não importa quão duro eu tente, não importa que coisas tristes eu encare, no fim… o Herói devia derrotar o Rei Demônio. Ele devia trazer paz ao mundo. Ele devia fazer todo mundo feliz…

Eu não posso pegar um final como esse?

Haha… no fim, eu sou apenas igual a todos eles. Então eu só fui arrastado junto pelos meus ideais otimistas brotando do meu conhecimento de jogo…

… Eu sei. Daquele dia, e todos os dias até agora, eu tive esse fato socado em mim o suficiente para me fazer vomitar.

Isso não é tão fácil.

Não importa o que você faça, é sempre injusto, e tem desespero que você não tem como lutar contra. Essa é a realidade.

Raphtalia… Atlas… todo mundo.

Se eu não posso mover um único dedo nas minhas mãos mais, ao menos, me deixe mover meu coração.

Porque eu estou dizendo isso, nem eu sei… ah, então é assim que é.

O que há com isso? Enquanto eu continuei dizendo isso e aquilo, eu não realmente gostava desse mundo até que um pouco?

“Todo mundo. Meu poder foi por pouco capaz de banir três dos Heróis Malignos deste mundo e para o espaço entre dimensões…” (Medea)

E desse jeito, eu morro inutilmente. Eu fui rasgado ao meio sem nem deixar nada para enterrar.

— —

— — — —

— — — — — —

Depois de afundar fundo nas trevas, minha consciência ressurgiu.

Minha mente estava leve, como se eu tivesse acabado de me tornar um fantasma.

O som de páginas virando, e um leve cheiro empoeirado.

Era tão quieto, e ainda tão nostálgico, eu começo a me lembrar de tudo que eu havia esquecido.

“Isso é…”

“_____!” (Naofumi)

Eh?

Minha voz funciona.

O que é isso? Meus olhos estavam fechados.

Então tudo que eu tenho que fazer é abrir-los. Isso não é óbvio? Eu abro minhas pálpebras… e perco minha voz mais uma vez.

— Eu estava numa biblioteca familiar.

Enquanto sentado numa das cadeiras deles instaladas, eu me levanto, como se eu tivesse meramente pescado[7].

Eu viro meus olhos para o calendário e relógio no balcão da recepção.

… Desde que eu li o Manual das Armas Divinas, e fui enviado para outro mundo, apenas 30 minutos se passaram.

Eu… confirmo a capa do livro nas minhas mãos.

O Manual das Quatro Armas Sagradas.

E desta vez, as conquistas do Herói do Escudo foram registradas também.

Isso era… um registro dos caminhos que eu segui. Um esboço da minha história.

E desse jeito, o Herói do Escudo foi derrotado pela inimiga do mundo, a Deusa Medea.

O remanescente arco, e seus companheiros continuaram lutando…

A próxima página estava em branco.

Eu volto, e começo a ler desde o começo.

Parece que os conteúdos do livro mudaram até que um pouco da primeira vez que eu li ele.

No começo, o Herói do Escudo foi armado para encontrar a Princesa e o Rei, e o relacionamento dele com os outros Heróis não era o melhor. Ora ora, que gentil de você colocar isso desse jeito.

O que isso significa?

Um sonho… até parece!

Isso é impossível.

Não tem como tudo isso poder ter sido um sonho.

Eu confirmo minha própria aparência mais uma vez.

Minhas vestimentas eram aquelas que eu vesti antes de ser enviado embora.

Olhe mais perto. Não tem como aquilo ter sido um sonho!

Alguma coisa, tem que ter alguma coisa! Como se eu fosse deixar tudo aquilo ser passado como um sonho!

“Oww…”

“Hmm?” (Naofumi)

Eu me viro para confirmar a fonte daquela voz.

E lá…

“V-você está bem, Naofumi-sama?”

“O qu… Raph… talia?” (Naofumi)

Raphtalia segurou uma de suas mãos na sua cabeça, no que ela acordou.

“I-isto é…?”

Sem nenhuma palavra escapando meus lábios, eu congelei.

Não tem como eu fosse deixar isso acabar como um sonho, mas eu nunca pensei que eu acharia Raphtalia como minha prova.

“Hmm? Naofumi-sama, suas roupas são… minhas também…” (Raphtalia)

Raphtalia inclina sua cabeça para as roupas que ela está vestindo.

Só o que aconteceu?

Eu olhei para o lugar que meu Escudo costumava ficar.

E lá, estava uma lamentável correia feita de correntes, com uma joia familiar no centro. Meu Escudo.

Nota do Thyros[edit]

Nota especial sobre o capítulo em si, por isso está separada das outras notas... caso alguém se pergunte disso.

Aqui é o fim original de Tate no Yuusha no Nariagari. Era uma história para mostrar que a vida é injusta, certo? Mas reclamaram tanto para o autor que ele continuou a história, por isso ainda há alguns capítulos. O texto deste capítulo foi alterado um pouco da primeira publicação por causa da decisão em continuar a história; e essas informações gerais foram retiradas do Yoraikun, só deixando claro.


Notas do Tradutor[edit]

  1. E tinha gente achando que ele ia trair todo mundo depois da aparição da Rainha; tenham mais fé no grande Lixo
  2. Eu sempre uso o Ren por ser a pessoa mais normal dos Heróis, mas pode ser todos ao mesmo tempo, sei lá
  3. Normalmente eu uso surtar como sair quebrando tudo, aqui é perder a sanidade
  4. Primeira vez que o Naofumi fala isso com todas as letras… o resto era eu me empolgando
  5. Mira Mortal é o ESP que é acima daquele do Itsuki, capítulo 261 fala disso
  6. Essas coisas que vão girando para alterar a sombra/luz de posição e tal, para dar movimento
  7. Garantindo, porque não sei se isso é comum no Brasil inteiro: pescar é aquele cochilo que você faz durante a aula que você precisa prestar atenção, acho que isso dá a ideia
Voltar para Web Chapter 355 Retornar para Página Principal Avançar para Web Chapter 357