Tate no Yuusha no Nariagari:Web Chapter 361 (Brazilian Portuguese)

From Baka-Tsuki
Jump to: navigation, search

Capítulo 361 – Um Inimigo de um Inimigo É[edit]

Não é como se nós estivéssemos apenas indo lá para morrer.

Nós estamos partindo para proteger todo mundo.

Eu visualizei esse desejo fortemente em minha mente.

Mesmo que nós não tenhamos o poder para derrotar Medea, eu irei.

Mas se possível, eu quero proteger eles.

Mesmo se meu corpo estiver para apodrecer.

Pareceu como se eu tivesse repentinamente corrido numa parede com força total.

Mas não há absolutamente nenhuma dor.

Era como se eu tivesse batido numa esponja.

O que me cercou era a escuridão da noite, e no céu, estrelas muito maiores do que o normal estavam brilhando.

Não, estrelas estilo gemas tão grandes que era perturbante brilharam a minha volta.

Mas o chão era escuro demais, e eu não conseguia realmente ver ele.

… No que eu olhei à minha volta, eu percebi que Raphtalia não estava ao meu lado.

“Raphtalia!” (Naofumi)

Mesmo que eu chamasse, não há resposta.

“Raphtalia!” (Naofumi)

Eu chamo o nome dela múltiplas vezes, mas nenhuma voz surge em resposta.

Este já é o outro mundo?

Eu checo para ver se eu consigo trazer minha magia de Status.

… Não há resposta.

Pela luz das estrelas, eu começo a buscar a área.

Eu pisoteei o chão de uma gentil inclinação um passo de cada vez no que eu subi.

… Só quanto tempo eu estive andando?

Eu acho que foi cerca de 30 minutos.

No topo da colina, no topo de uma larga pedra, eu encontrei alguém envolto num robe que cobria seu corpo inteiro.

A figura estava sentada no chão no que ela olhava para o céu noturno.

Em volta dele, muitas pequenas luzes se juntaram como vaga-lumes.

A constituição dele era… curta.

Cerca de até meu quadril.

Mas, ele tinha um pouco de largura nele, então eu consigo imaginar ele sendo humano.

“Vocês finalmente estão[1] aqui… Eu estava observando do topo da colina.”

Desse jeito, a figura de robe chamou por mim.

Ele estava observando? Nesta montanha tão escura que eu quase não consigo ver o meu próprio pé?

De qualquer jeito, eu tentarei falar com ele.

Dependendo do resultado, eu posso acabar lutando.

“Eu perdi meu caminho. Você por acaso viu uma garota bonita em qualquer lugar?” (Naofumi)

“Eh? Do que vocês estão falando?”

Este cara parece realmente sombrio[2].

O robe cobrindo o corpo inteiro dele é só suspeito demais.

Enquanto ele está sentado, tem alguma coisa estranha sobre o jeito que ele está vestindo ele.

Tem uma extensão estranha nas costas.

Eu acho que eu devo assumir que ele tem uma cauda ali embaixo.

Um demi-humano, ou talvez um beastman. Essa possibilidade é alta.

“Mais importantemente, se vocês Me disserem para onde vocês estavam tentando ir, Eu posso ser de alguma ajuda.”

“Ora, que gentil de você. Desculpa, mas eu não tenho uma personalidade que me deixa confiar em pessoas assim.” (Naofumi)

“Entendo… então por que Eu não começo lhe contando sobre Mim?”

Ele desmontou da rocha, e começou a andar em minha direção no que ele respondeu.

A luz dos vaga-lumes dele iluminam a área.

“Para colocar diretamente, vocês bateram em Mim. É por isso que Eu estava um pouco curioso.”

“O que?” (Naofumi)

“Quando vocês chegaram aqui, vocês não se sentiram batendo em alguma coisa? Isso era Eu.”

“Eu… entendo…” (Naofumi)

Então aquilo lá trás foi culpa dele?

Isso significa que nós falhamos em nos transportarmos para o outro mundo?

“Você com certeza fez uma zona das coisas!” (Naofumi)

“P-por que você está ficando bravo? Eu só estava andando normalmente. Aqueles que mudaram seus caminhos repentinamente e bateram em Mim foram vocês, não foi?”

“Mu…” (Naofumi)

Pensando de novo, Atlas me disse para desejar fortemente para retornar para o mundo. Invés, eu… desejei proteger todo mundo.

Eu estava pensando sobre como derrotar aquela Deusa.

Esta linha de pensamento… poderia ser que alterou meu trajeto?

Ge… então somente Raphtalia foi capaz de voltar? O que eu devo fazer!?

Escudo! Por favor responda!

Eu penso no que eu confirmo a Correia de Escudo.

Uma luz sai dela, e começa a circular a figura usando robe diante de mim.

E espera, esses vaga-lumes circulando a área não são os Espíritos das Armas Sagradas!?

“Você… só quem é você!? Por que você está acompanhado pelos Espíritos?” (Naofumi)

“Então vocês podem ver eles?”

A figura duvidosa em robes pareceu surpresa.

“Bem, mesmo que vocês digam que Eu estou acompanhado por eles… infelizmente, Eu não posso realmente ver eles, sabe.”

“Você é cego?[3]” (Naofumi)

“Não, não é isso. Eu não posso ver Espíritos, ou seres desse tipo. Eu acho que tem algo a ver com Minha constituição.”

Algo clica, e o cara usando robe começa a tirar algo dos fundos do robe.

É uma arma!?

Eu me preparei sem pensar, mas a figura meramente abriu sua mão para mostrar para mim.

Era um colar com cara de caro com ornamentos intricados presos nele.

“Isto é o que está atraindo os Espíritos aqui. Vocês veem, os Espíritos não podem Me perceber também.”

Ele jogou o colar no chão aos meus pés.

E os espíritos cercando começaram a se amontoar em volta dele.

… Ele não parece estar mentindo.

“Mesmo que vocês Me perguntem quem Eu sou, Eu não tenho certeza se vocês seriam capazes de entender qualquer resposta que Eu dê. Se circunstâncias permitissem, Eu gostaria de lhes contar, eu acho. Sobre como uma pessoa normal acabou num lugar como esse.”

Até o Espírito do Escudo saiu para acompanhar ele.

Pode haver algum mérito em escutar o que ele tem a dizer.

Em primeiro lugar, também tem a questão de onde é que eu estou.

“Eu posso lhe perguntar algo?” (Naofumi)

“Eu lhes darei quantas respostas vocês quiserem.”

“… Então, onde é isto?” (Naofumi)

Eu realmente acho que o céu estrelado é bonito, mas eu realmente não consigo ver para onde eu estou indo.

Mesmo com a luz dos espíritos, isso realmente não muda.

“Aqui? Vocês entenderiam se Eu chamasse isso de fenda dimensional?”

“O que?” (Naofumi)

“É o espaço entre um mundo e outro. Toda e cada luz que vocês veem flutuando no céu é apenas outro mundo.”

O homem aponta seu dedo para o céu no que ele responde.

No que eu apertei meus olhos, eu pude ver que elas, de fato, não eram estrelas.

Elas meio que pareciam bolas de cristal flutuando no espaço, eu acho? Não como estrelas de verdade.

E elas pareciam mais perto do que eu pensei. Como se eu pudesse alcançar e pegar uma se eu tivesse uma escada.

“Esta é a fenda que vocês podem alcançar de qualquer mundo. Vocês parecem ter vindo de um mundo sem magia, então eu acho que se Eu colocar isso simplesmente, isto seria o espaço? Bem, algo parecido com isso. Um mundo sem regras de desordem. Um humano normal iria garantidamente se perder aqui.”

“Bem… eu realmente entendo que meu senso de senso comum não está funcionando aqui.” (Naofumi)

“Então ele não está.”

Eu olhei para o céu.

Eu vi as estrelas circulares brilhando claramente.

Essas orbes, então toda e cada uma delas é seu próprio mundo… onde está aquele que eu quero alcançar?

A não ser que o Espírito do Escudo me diga, eu não tenho como saber.

“O que vem depois?”

“Vejamos… quem é você?” (Naofumi)

Vamos assumir que o Espírito do Escudo pode me guiar para onde eu preciso ir. Agora por que este espírito se aproximou dele?

“Antes disso, eu gostaria que vocês Me[4] contassem um pouco sobre si mesmos. Ou senão, Eu não terei como responder.”

“Mu…” (Naofumi)

É, antes de pressionar um cara por informação, é melhor que eu ao menos me nomeie.

Até eu escondi minha posição para fazer coisas naquele mundo.

Se você quer pedir por dinheiro, você tem que achar o que a outra pessoa quer primeiro.

Significando que eu terei que dar para ele um entendimento da minha situação.

O robe dele tem sido suspeito desde o começo, mas ele parece estar seriamente respondendo minhas questões.

“Meu nome é Iwatani Naofumi. Num mundo moderno sem magia, eu sou um estudante universitário, e num certo mundo, eu fui invocado como o Herói do Escudo.” (Naofumi)

“É mesmo? Só quão avançado é o mundo que vocês chamam de moderno?”

“…?” (Naofumi)

“Vocês não entenderam isso? O fato que tem tantos mundos por aí significa que há civilizações mágicas, civilizações de máquinas, e muitas, muitas mais. Então quando vocês Me disseram de um mundo moderno… é um mundo com robôs, ou um que funciona em magia? Eu só gostaria de uma ideia geral de que tipo de mundo é.”

A única resposta que eu pude dar para isso era silêncio.

Que tipo de civilização?

Só quão longe junto é meu próprio mundo?

Eu fui criado em Mangá e Jogos, então eu tenho um leve entendimento disso, mas eu só tenho meu próprio mundo, e um mundo estilo idade média mágico para comparar, então é um pouco difícil de determinar.

“Vejamos… ter uma ideia de suas tendências e estrutura é o suficiente. Quão velho ele é? Ele tem robôs com IA autônoma senciente? Só quão boa é sua habilidade de transferir informação?”

“Sua idade é…”

Eu respondi as perguntas do robe até certo ponto.

E ele acenou, como se ele estivesse satisfeito.

“Entendo. Obrigado. E então, vocês[5] foram invocados para outro mundo pelos espíritos para emprestarem suas forças para eles.”

“Bem… você não está errado.” (Naofumi)

“Bem, é só assim que a maioria das invocações vão hoje em dia. E?”

“É, eu fui invocado para um mundo a beira da ruína. E lá, eu lutei a onda, um fenômeno de assimilação mundial. Mas uma garota que se chamou de Deus usou um ataque misterioso, e quando eu pensei que eu havia sido morto, eu fui enviado de volta para meu próprio mundo moderno. Depois disso… bem, eu estou no meio de voltar para o mundo em que eu fui invocado mais uma vez.” (Naofumi)

Eu fiz as coisas curtas, no que eu expliquei minha própria situação para o robe.

Ele acena de novo e de novo.

“Então você me fez dizer tudo isso. Eu terei você respondendo minhas questões.” (Naofumi)

“Naturalmente. Então Eu falarei de tudo que está dentro do escopo do que Eu sou permitido dizer.”

Ele limpou sua garganta, antes de falar mais uma vez.

“Eu sou um ser que cruzou muitos mundos para matar aquela que vocês estão lutando, um matador de deuses. Isso é perfeito para vocês, certo?”

“Mah–” (Naofumi)

Espera, espera, espera. O que isso devia significar?

Alguém conveniente assim realmente existe?

“Parece que vocês não acreditam em Mim.”

“Claro que não. Se alguém como você existisse, então por que ela não está morta ainda?” (Naofumi)

“Hey, vocês veem… por favor olhem para o céu.”

Como dito, eu olho para cima.

Mundos infinitos empilhados um próximo ao outro.

“Eu sou apenas uma única pessoa, sabe? Há tantas pessoas armando coisas assim como há estrelas neste céu. E por um longo tempo, muitos desses problemas estiveram acontecendo simultaneamente. Não tem como Eu poder lidar com todos eles.”

“Tantos quanto há estrelas no céu?” (Naofumi)

“É. Como vocês Me acompanharam até aqui, Eu acho que eu posso dizer a vocês que tipo de seres eles são.”

O robe começou a explicar coisas uma de cada vez.

“Eles são geralmente o resultado de mundos muito anciões.”

“Anciões?” (Naofumi)

“Colocando isso nos padrões do seu mundo, se ciência e tecnologia continuassem avançando sem fim, o que vocês acham que aconteceria?”

“Eu imagino…” (Naofumi)

Eu não realmente gosto de ser sugado no ritmo dele, mas vamos tentar pensar sobre isso.

Um mundo com tecnologia avançada.

O mundo que eu conhecia tinha magia, e heróis, e monstros.

Se você fosse dar um gênero para ele, seria fantasia.

Então um tecnológico seria Sci-fi.

ESPers, e robôs gigantes. Coisas assim iriam lutar.

“De acordo com Mangá, eu acho que teria guerras de robôs gigantes através do cosmos.” (Naofumi)

“Depois disso. Tentem pensar do que vem depois.”

“… Eu não sei.” (Naofumi)

Há abundância de possibilidades divergentes.

Humanidade poderia declinar, poderia continuar avançando, poderia migrar para outra estrela.

“Bem, eles numeram poucos, mas há aqueles que colocam seus esforços em parar a morte.”

“Eu… entendo…” (Naofumi)

“Eventualmente, essa pesquisa vem à fruição, e a população se torna imortal. Corpos que não morrem não importa o quanto você o corte. Almas que não decaem não importa quantos milhões de anos passem.”

Isso já está transitando para o reino de criação literária.

Eu li histórias sobre corpos imortais. Elas sempre são duras.

Ainda assim, se eles até modificaram almas para não decaírem, então eu acho que eles podem aguentar o teste do tempo.

E não é como se um único indivíduo é imortal, então eu acho que isso pode ser chamado a completude de uma civilização.

“Quando isso acontece, há sempre aquele um cara que se proclama deus, e esnoba todos aqueles que são da mesma criação que ele. Isso ainda está bem em si. Eles fazem movimentos para controlar mais e mais, e conquistam seus mundos inteiros. Então, o que vem depois? Que tal expandir para ainda outro mundo?”

… Entendo. Que simples. Que idiotice.

Coisas assim eram feitas no meu mundo, e naquele mundo também.

“Então eles começam invasões de outros mundos?” (Naofumi)

“Correto. Desta vez, eles tomam a magia que eles chamam de ciência para outro mundo, e vão para guerra. Alguns deles são mortos, mas eu irei apostar que a maioria deles veem sucesso.”

“isso é mais problemático que outra coisa. Então essa é a identidade dela?” (Naofumi)

“Não, esse foi apenas um exemplo, então é provavelmente diferente. Há incontáveis jeitos para ascender para aquele nível, e se você tiver que dizer, eu acho que ela se inclina para o lado mágico do espectro. Você consegue imaginar isso até algum ponto, certo?”

“Então me diga. Qual é o objetivo dela? Ela disse que ela queria EXP.” (Naofumi)

“É provavelmente como ela disse. Ela quer ficar mais forte.”

“Mais forte?” (Naofumi)

“É. Ela suga magia e vida do mundo, e converte isso para seu próprio poder. E se isso acontece, a única coisa sobrando para o mundo sugado é desaparecer. Bem, eu irei apostar que o número de mundos que ela pode transformar em poder é limitado.”

Eu tentei entrar na explicação profunda do robe.

Então ela veio para sugar todo o poder daquele mundo, e ela não pode fazer nada para um mundo sem magia.

“Ela usou ataques como infinidade, e 100% e ilimitado em seus nomes. Se você não sabe exatamente o que ela fez… Eu acho que eles eram ataques conceituais. Como ela atacou passado, presente e futuro, parece que ela pode fazer ataques temporais também. Se ela até atacou mundos paralelos, ela realmente, REALMENTE queria você morto, cara[6].”

“Ataque conceitual…” (Naofumi)

Eu tento lembrar o ataque daquela Maldita Deusa.

Eu morri sem saber de nada.

Foi provavelmente isso.

“Certo. Ela só encara seu inimigo, e declara assim. É o tipo de lógica de um jogo de criança. Os meios não realmente importam, enquanto que ela transmita a mensagem 『O Inimigo Morreu』 a diante. Mesmo que vocês usassem todos os meios no mundo, eu duvido que vocês seriam capazes de derrotar um inimigo desse jeito. Ela educadamente lhes disse que ela era eterna, imortal e perpétua, ou algo assim, e ela parecia ser obsessiva sobre sua velocidade também, então ela deve ser uma bela maníaca por batalha.”

Empurrando mensagens nas pessoas…

Honestamente, eu não tenho ideia do que ele está falando, mas vamos esquecer o senso comum por um segundo.

Normalmente, você teria que danificar um inimigo, e eles iriam morrer numa poça de seu próprio sangue.

Se você tirar o dano e o sangue, o inimigo morre sem nada acontecendo com ele.

Eu realmente duvido que algo assim é possível, mas ela definitivamente fez algo louco e ilógico como isso.

“Para alguém desse jeito… como eu posso ganhar?” (Naofumi)

“Então Eu acho que é melhor para esperar por alguém numa posição similar com a dela, não acham? Os espíritos lhe dando poder estavam provavelmente esperando por algo assim acontecer.”

“O que?” (Naofumi)

“Ah, desculpe, Eu esqueci a explicação. Claro, para todo mundo que tenta conquistar outro, tem outro que tenta proteger. Há um número ilimitado de mundos por aí. Por prazer, para satisfazer seus sensos de justiça, há alguns desse jeito também.”

Senso de Justiça, é?

O Itsuki, Motoyasu e Ren passados aparecem na minha cabeça.

É verdade que ajudar os outros pode fazer você se sentir bem.

Há raramente uma pessoa que acha agradecimentos honestos dos outros sendo desagradável.

E esse sentimento é amplificado para o pior quanto maior for a depravidade de seus oponentes.

Mas esse cara… o jeito que ele coloca isso parece estar escondendo algum significado.

Não, isso pode ser para me deixar aliviado.

Nós estávamos apenas tendo uma conversa normal, mas não é como se nós fossemos aliados, e eu não tenho certeza se eu posso confiar nele.

Não há regra definidora que diz que o inimigo de um inimigo é um amigo.

Há muita chance de que o inimigo de um inimigo é apenas outro inimigo.


Notas do Tradutor[edit]

  1. Apesar de singular/plural ser meio parecido em inglês, tem horas que fica claro que é o plural, então eu estou assumindo que ele está sempre no plural
  2. É mais algo como ‘suspeito’, mas a próxima linha tá mais descaradamente com ‘suspeito’…
  3. Pergunta honesta, ele não está zoando ou insultando
  4. Algumas vezes, o que ele fala está em maiúsculo, outras em minúsculo… eu adotei o padrão do tudo-ou-nada, e preferi o tudo
  5. Eu realmente acho que devia separar singular e plural, mas… ia dar uma merda tão grande…
  6. Singular porque eu não consigo pensar em plural usando ‘cara’ no final… e parece meio específico que era para o Naofumi
Voltar para Web Chapter 360 Retornar para Página Principal Avançar para Web Chapter 362