SAO~Brazilian Portuguese~Aria in the Starless Night

From Baka-Tsuki
Jump to: navigation, search

Aria in the Starless Night[edit]

Capítulo 1[edit]

Apenas uma vez eu vi uma estrela cadente de verdade.

Não foi durante as férias de verão; foi da janela da minha casa. Para pessoas vivendo na cidade com ar fresco e noites realmente escuras, estrelas cadentes não são incomuns, mas infelizmente, a cidade de Kawagoe da prefeitura de Saitama, onde eu vivi todos os 14 anos da minha vida, não tem nenhuma dessas qualidades. Mesmo numa noite clara, o melhor que pode ser visto a olho nu são estrelas com pouco brilho.

Uma vez, durante uma noite em pleno inverno, quando eu por acaso olhei para fora da janela, eu definitivamente vi. Naquela noite profunda sem muitas estrelas, as luzes da cidade formaram uma cobertura pálida, cobrindo o céu. E de repente, ela foi cortada por um flash rápido de luz. Minha mentalidade de 5ª série pensou infantilmente, “Devo fazer algum pedido”... o que até este ponto não tinha nada de errado, mas o pedido que apareceu na minha mente foi, “Eu desejo que meu próximo drop1 de monstro seja um item raro”, sem um pingo de sentimento nele. Eu suponho que surgiu doo fato de que eu estava jogando um MMORPG2 e eu estava viciado naquela época.

A estrela cadente que eu vislumbrei naquele dia, eu vi de novo 3 (ou seriam 4?) anos depois, brilhando com a mesma cor, se movendo com a mesma velocidade.

No entanto, desta vez, eu não vi a olho nu, nem estava debaixo de um céu cinza escuro de noite.

Eu vi nas profundezas de uma dungeon3 sombria, produzido através do Nerve Gear – a primeira interface de VR4 sensorial completa.

Pode-se descrever a luta como horripilante.

O monstro humanoide de level 6, <<Ruin Kobold Trooper>>, estava balançando um machado de mão bárbaro, e a pessoa lutando o Kobold mal conseguia desviar. Eu senti um arrepio correr minhas costas conforme eu assistia a batalha. Mas depois de o jogador desviar de três ataques consecutivos, o Kobold perdeu completamente seu equilíbrio e, sem perder a chance, a pessoa usou uma habilidade de espada com força total.

Era a primeira habilidade que podia ser aprendida na categoria rapier: o ataque de impulso único <<Linear>>. Era uma habilidade simples e básica que consistia de um impulso para frente ao segurar a espada na frente do corpo e depois fazer uma curva, mas a velocidade era aterrorizante. Obviamente que a velocidade não era feita sozinha pelo movimento do sistema auxiliar, era impulsionada pelo movimento do próprio jogador.

Durante o período beta, eu tinha visto com meus próprios olhos vários membros de grupos e monstros inimigos usar essa mesma habilidade incontáveis vezes. Mas desta vez, eu não conseguia ver a própria rapier, somente a trajetória realizada pelo efeito de luz que era característico de habilidades de espadas. Esse flash puro branco, conforme atravessava a escuridão da dungeon mal iluminada, me fez lembrar a estrela cadente daquele dia.

O usuário de rapier continuou a desviar do combo de três ataques do Kobold, seguido pelo contra-ataque usando <<Linear>>. Depois de usar esse padrão de ataque e defesa mais três vezes, o jogador acabou com a criatura armada, um dos monstros mais fortes dessa dungeon, sem nenhuma ferida. Apesar disso, a batalha não pareceu ter sido fácil. Com a habilidade de espada letal tendo atravessado o centro do seu peito e o monstro ter se dispersado em partículas enquanto desmoronava para trás, o usuário de rapier cambaleou como se fosse empurrado pelos fragmentos de polígonos insubstanciais e encostou-se na parede do corredor. A pessoa deslizou lentamente contra a parede tentando se sentar, e começou a respirar pesadamente.

A pessoa pareceu não me perceber a 15 metros no canto do cruzamento.

Meu procedimento normal era me afastar sem falar nada e encontrar meu próprio monstro. Um mês atrás, naquele dia agitado, eu decidi viver como um jogador solo de forma egoísta. Desde aquele dia, eu nunca tinha me aproximado de outra pessoa. A única exceção era se eu visse um jogador em uma batalha em perigo claro, entretanto, a barra de HP do usuário de rapier ainda estava quase cheia. No mínimo, a pessoa parecia não precisar da ajuda de algum intrometido.

Ainda assim...

Depois de cinco segundos levando em consideração, eu sai das sombras do cruzamento e andei em direção ao usuário de rapier ainda sentado.

Figura um pouco magra. O torso estava equipado com uma túnica vermelho escura com um peitoral de cobre leve, enquanto a parte de baixo estava vestida com calças de couro puro, com botas até os joelhos. Uma capa com capuz envolvia o corpo da cabeça até a cintura, de forma que o rosto não podia ser visto. Além da capa, o equipamento parecia ser o de um lutador de esgrima, mas minha própria aparência como espadachim era quase a mesma. Minha amada espada <<Anneal Blade>>, a recompensa de uma quest5, é bem pesada. Então para manter minhas habilidades no ponto, eu vestia pouca armadura de metal – apenas um protetor de peito com uma jaqueta cinza escura por cima.

Percebendo meus passos se aproximando, os ombros do usuário de rapier estremeceram, mas não se moveu mais. O fato de não ser um monstro deveria ter sido revelado por um cursor de cor verde na visão daquela pessoa. Ele escondeu a face atrás dos joelhos, dando uma forte impressão de ‘apenas passe por mim e continue andando’, mas – eu parei mais ou menos dois metros do usuário de rapier e comecei a falar.

“...Isso foi um overkill que acabou de acontecer.”

Os pequenos ombros cobertos pela capa grossa de roupa moveram de leve de novo. O capuz tremeu, se moveu uns 5 cm, e de dentro da escuridão, duas pupilas me miraram. A única coisa que eu podia discernir eram seus olhos castanhos claros. As características da face não podiam ser vistas muito bem.

Por alguns segundos, o usuário de rapier continuou a me olhar com aquele mesmo olhar que ele usou na batalha mais cedo, mas eventualmente sua cabeça se inclinou um pouco para a direita num gesto como se dissesse ‘Não estou entendendo’.

Vendo isso, eu pensei, ‘Então é como eu pensava’.

Para alguém que parecia jogar solo para mim, havia algo que não se encaixava.

A <<Linear>> feita pelo usuário de rapier era tão perfeita que eu não conseguia deixar de me arrepiar. A concisão do pré e pós-movimento, e, acima de tudo, a velocidade de impulso, impediam a percepção da própria rapier. Eu nunca havia visto antes uma habilidade de espada tão aterrorizante e tão bonita.

Então desde o começo eu pensei que ele fosse um jogador beta. Antes de esse mundo ter se tornado em um jogo da morte, uma vasta experiência de batalha deve ter sido acumulada para alcançar essa velocidade.

No entanto, vendo <<Linear>> uma segunda vez, eu tive dúvidas sobre meu palpite. A habilidade era perfeita, mas o andamento da batalha era muito arriscado. Certamente, a <<Minimal Side Step Defense>> tem uma maior chance de contra-atacar do que evitar ou bloquear, e não diminui a durabilidade da armadura/arma. No entanto, em troca, quando a defesa falha, o perigo é maior. Na pior das hipóteses, o dano pode ser revidado e pode acontecer um atordoamento. Em batalhas solo, atordoamento é fatal.

O desequilíbrio entre a habilidade de espada perfeita e as táticas de defesa arriscada. Por alguma razão eu queria saber por que, a todo custo. Por isso eu cheguei mais perto e cumprimentei a pessoa, dizendo que, não importasse as circunstâncias, foi um overkill.

Entretanto, o oponente não parecia entender bem o termo jogo de rede. O que significava que o usuário de rapier na minha frente não era um jogador beta. Não só isso, ele poderia até nem ter sido um jogador de MMO antes de vir aqui.

Eu respirei de leve, e expliquei mais uma vez.

“Overkill significa.. levando em conta a barra de HP, o dano causado foi um pouco demais. O Kobold já estava quase morto depois do segundo <<Linear>>... não, estava praticamente morto. Sua barra de HP só tinha dois ou três pontos restantes. Em vez de terminar com uma habilidade de espada, um ataque normal teria sido mais que suficiente.

Neste mundo, quantos dias... Quantas semanas tinham se passado desde que eu tinha falado tanto? Ponderando essa pergunta, eu calei minha boca.

Mesmo depois de me ouvir, com minhas habilidades pobres de fala, o usuário de rapier não teve reação por mais de dez segundos. Eu pensei que não tinha sido claro, quando uma voz baixa finalmente saiu de dentro do capuz abaixado.

“.....Overkill? Tem algum problema com isso?”

Naquele momento, eu percebi que este usuário de rapier encolhido na minha frente era uma das extraordinariamente raras – especialmente nas profundezas de uma dungeon como essa - <<Jogadoras>>.


Já tinha se passado um mês desde o lançamento oficial do primeiro VRMMORPG do mundo, <<Sword Art Online>>.

A esta altura, a maioria dos MMOs começaria a ver jogadores se aproximando do level máximo, e o mapa deveria ter sido explorado de um canto ao outro. Entretanto, para SAO, até o grupo de alto nível atual era mal level 10 – eu não sabia o level máximo, mas – não havia como ser só isso. O castelo flutuante de Aincrad, onde o jogo acontece, tinha sido conquistado apenas poucos por cento do total.

O motivo era que SAO era um jogo que na verdade não era um jogo; de certa forma, tinha se tornado uma <<Cadeia>>. Desconexão manual não era possível e a morte do avatar resultava na morte do jogador real. Com essas condições, poucas pessoas entraram nas dungeons repletas de monstros periogosos e armadilhas.

Além disso, depois que o Game Master forçou todos os avatares a serem do mesmo sexo dos jogares do mundo real, pessoas do sexo feminino eram bem raras. Mesmo depois de um mês, eu acho que quase todas elas ficaram na <<Starting City>>. Na primeira dungeon considerável, na <<Dungeon do Primeiro Andar>>, eu vi jogadoras apenas duas ou três vezes, e elas eram todas membros de grandes grupos.

Por isso eu nunca imaginaria que o usuário de rapier solo que eu encontrei fosse uma jogadora.

Por um momento, eu pensei em me desculpar baixinho e deixar a área. Eu não sou o tipo de jogador que simplesmente fala com qualquer jogadora que encontra, eu sinceramente preferia não ser lembrado dessa forma.

Por outro lado, se a jogadora tivesse dito algo como ‘É minha escolha’ ou ‘Deixe-me em paz’, eu teria dito ‘Ok, eu entendo’ e imediatamente sairia. No entanto, a usuária de rapier respondeu com uma pergunta curta. Então, eu resisti em ir embora no último minuto, e mais uma vez respondi de forma desesperada, usando minhas habilidades de fala de novo.

“....O sistema não penalizava ou desmerecia o overkill, mas... Não é muito eficiente. Habilidades de espada exigem concentração, usa-las de forma contínua é mentalmente desgastante. Tem também o cominho de volta, é melhor tomar cuidado com o cansaço.”

“...Caminho de volta?”

Mais uma vez, uma voz em tom de pergunta emanava de dentro do capuz. A fadiga tornou a voz muito fraca e a entonação também, mas independente disso, eu achei sua voz muito bonita. Claro, não era algo que eu diria alto.

Em vez disso, eu expliquei mais uma vez.

“Sim. Demora em torno de uma hora daqui até a saída da dungeon, e de lá até a cidade mais próxima são mais 30 minutos, mesmo se movendo rapidamente, certo? Exaustão aumenta a chance de erros. Você parece um jogador solo, e para alguém sozinho, qualquer erro pequeno pode custar sua vida.”

Enquanto eu falava, me perguntei, ‘Porque estou falando com tanta convicção?’ Porque se trata de uma jogadora – esse podia ser o motivo, considerando que dei um longo discurso antes de saber disso.

Se eu fosse ela, e alguém superior a mim tivesse me ensinado isso, eu teria dito, ‘É minha escolha, então me deixe em paz’ ou algo parecido. Então, com a minha personalidade e ações, em vez de probabilidades, eu estava prestes a quebrar um gelo, quando a usuária de rapier finalmente respondeu.

“...Então, não tem problema. Eu não vou voltar.”

“O que? ...N-Não retornar para a cidade? Mas... repor poções e reparar equipamentos... e dormi...”

Eu perguntei feito um tolo. Os ombros da usuária de rapier tremeram um pouco.

“Eu não preciso de medicamentos quando não levo dano, e eu comprei cinco espadas iguais... Quanto a dormir, eu uso a área segura mais próxima.”

Ao terminar de falar, fiquei sem palavras um tempo.

Áreas seguras eram certos espaços numa dungeon que os monstros não entravam. Uma área segura podia ser reconhecida por uma coloração especial, tochas posicionadas nas paredes em cada um dos quatro canto. Enquanto caçava e mapeava, era um bom lugar; mas, mesmo assim, só poderia ser usado durante uma hora de um sono rápido. O chão era feito de uma pedra fria e claro que não haviam camas, e os passos e rosnads de monstros por perto podiam ser ouvido frequentemente. Não importa o quão corajoso o jogador fosse, sono profundo era absolutamente impossível.

Porém, baseado no que eu acabei de ouvir, essa usuária de rapier tem usado a área segura em vez de um hotel na cidade e tem continuado a se isolar na dungeon... é isso que ela quer dizer?

“...Quantas horas se passaram?”

Eu perguntei com medo.

A usuária de rapier respondeu depois de tomar um longo suspiro.

“Três... Ou quatro dias... É só isso? Os monstros aqui perto vão reviver logo, então eu já vou indo.”

Com sua mão esquerda delicada envolta em numa luva de couro grossa, ela se apoiou na parede e se levantou cambaleando.

Sua espada fina ainda desembainhada caiu pesadamente como se ela tivesse segurando uma espada de duas mãos apenas com uma, e a usuária de rapier virou as costas para mim.

Quando ela deu um passo, dois passos, percebi que sua capa estava em farrapos total, revelando que grande parte de sua durabilidade tinha sido perdida. Não, para equipamentos de pano que tinham sido usados por quatro dias caçando monstros, o mero fato de que tinha mantido o formato era um milagre. O comentário mais cedo ‘Contanto que eu não tome dano’ pode não ter sido um exagero...

Depois de perceber isso, eu disse algumas palavras sem pensar, mesmo ela estando de costas.

“...Se você lutar assim, você vai morrer...”

De repente, a usuária de rapier parou e encostou seu ombro na parede a sua direita e virou devagar. De dentro do capuz, seus olhos, que eu tinha visto que eram castanhos antes, me miraram com um brilho interior vermelho claro.

“...Todo mundo vai morrer mesmo.”

O som rouco e rachado de sua voz fez o ar frio da dungeon ainda mais frio.

“Em apenas um mês, 2000 pessoas morreram, e nem o primeiro andar não foi completo ainda. Não é possível concluir o jogo. Onde e como você morre, e se vai acontecer mais cedo... ou mais tarde, é a única diferença...”

O discurso mais longo e mais cheio de emoção que eu escutei até agora fraquejou no meio e parou.

Na minha frente, conforme eu avançava em sua direção, a usuária de rapier foi atingida por um ataque paralisante invisível e caiu lentamente no chão.


Capítulo 2[edit]

Enquanto ela caía no chão da dungeon, um pensamento banal passou pela sua cabeça. ‘Como é possível desmaiar num espaço virtual?’

Perda da consciência significava que a corrente sanguínea normal do cérebro foi momentariamente atrasada, e as suas funções pararam. A razão para essa isquemia poderia ser disfunção no coração ou nos vasos sanguíneos, anemia ou baixa pressão sanguínea, hiperventilação ou muitos outros motivos; mas quando se está numa realidade virtual do tipo FullDive, o corpo físico está descansando numa cama ou cadeira reclinada. Além disso, os corpos físicos dos jogadores presos por este jogo da morte chamado <<SAO>> estavam provavelmente localizados num hospital; a saúde deles obviamente seriam checadas e continuamente monitorizadas, e se necessário, até medicamentos seriam usados. É difícil acreditar que perda da consciência seria devido a alguma anormalidade fisiológica-.

Depois ela apenas pensou, ‘Esse tipo de coisa não importa’.

Sim, para mim nada mais importa...

Porque, ela ia morrer aqui. Desmaiando numa dungeon cheia de monstros violentos, não tinha como ela sair ilesa. Tinha outro jogador por perto, mas ela não achava que ele iria tão longe a ponto de por sua vida em risco para salvar outro jogador que tinha caído.

De qualquer forma, como ele poderia ajudar? Neste mundo, o peso máximo um único jogador podia carregar é estritamente limitado pelo sistema. Nas profundezas de uma dungeon, todo mundo carrega medicamentos e equipamentos extras até o limite de peso, deixando espaço para ouro e itens que caíam de monstros. Com isso, o ato de carregar uma outra pessoa é absolutamente impossível.

Ao pensar a este ponto, ela finalmente percebeu uma coisa.

O que ela pensou quando foi afetada com uma forte tontura e quando caiu no chão era ‘Finalmente, eu posso relaxar sem pensar durante muito tempo’. A pedra dura no chão da dungeon era o que deveria ter estado embaixo do seu corpo, mas de alguma forma, a sensação contra sua costa era curiosamente macia e fofa. O seu corpo sentiu calor, a uma leve brisa passou por seu rosto...

Ela abriu os olhos olhando ao redor.

Ela não estava mais em uma dungeon ladeada por paredes grossas. Ela estava agora numa clareira numa floresta, cercada por árvores antigas cobertas de musgo dourado e arbustos espinhosos com pequenas flores. No centro de um espaço circular de mais ou menos 7 ou 8 metros de diâmetro, ela parecia ter sido deitada numa camada macia de grama enquanto inconsciente... ou melhor, adormecida.

Mas – Por quê? Como ela, que tinha caído nas profundezas da dungeon, tinha sido movida para esse lugar tão distante?

A resposta dessa pergunta veio quando ela virou sua visão em 90 graus para a direita.

No limite da clareira, tinha uma silhueta cinza agachada na raiz de uma árvore particularmente majestosa. Ele segurava uma espada de uma mão um pouco grande com ambos os braços, e sua bainha estava encostada em sua cabeça abaixada. Cabelos pretos longos cobriam seu rosto de forma que não podia ser visto, mas julgando pelo seu equipamento e físico, não havia engano de que ele era o jogador que tinha falado com ela antes de ter desmaiado na dungeon.

O mais provável era que aquele rapaz tinha usado algum tipo de método para tirar ela da dungeon e leva-la para a floresta depois que caiu. Ela rapidamente olhou para além do bosque de árvores no fundo. À sua esquerda, cerca de 100 metros de distância, uma torre imensa alcançando o céu – A Dungeon do Primeiro Andar de Aincrad elevava-se numa escuridão profunda.

Ela retornou seu olhar para sua direita de novo. Sentindo seu movimento, o casaco de couro cinza-escuro que cobria os ombros sacudiu e ele levantou sua cabeça de leve. Mesmo na floresta clara ao meio-dia, os dois olhos do rapaz eram pretos, como uma noite sem estrelas.

No momento em que os olhos dela encontraram com seus olhos de cor negra, ela sentiu pequenos fogos de artifício explodindo em sua cabeça.

Do meio dos seus dentes, Asuna – Yuuki Asuna forçou uma voz baixa e rouca.

“Esforço... desnecessário.”

Depois de ter sido presa neste mundo, Asuna tinha se perguntado centenas de milhares de vezes.

Porque, naquele momento, ela tocou numa máquina de jogo que nem era dela? Porque ela colocou sua cabeça, deitou na cadeira reclinável, e acionou o comando para começar?

A tão sonhada interface virtual e máquina matadora amaldiçoada, <<Never Gear>>, e o jogo que aprisionou um imensurável número de almas, <<Sword Art Online>>, não tinha sido adquirido por Asuna, mas pelo seu irmão mais velho Kouichirou. Contudo, mesmo para seu irmão, coisas como MMORPGs ou qualquer coisa com o nome ‘jogo’ tinham sido privadas da sua vida desde sua infância. Nascido como o primeiro filho do presidente de uma grande companhia de eletrônicos manufaturados chamada <<Recto>>, tinha crescido enquanto recebia toda a educação e treinamento necessário para ele se tornar o sucessor do seu pai, e ao mesmo tempo sendo privado de tudo desnecessário. Porque seu irmão estaria interessado no Nerve Gear... não, no SÃO, era algo que ela não tinha entendido até agora.

Ironicamente, Koichiro não conseguiria jogar o primeiro jogo que comprou na sua vida. No dia do lançamento oficial, ele foi enviado numa viagem de negócios. No dia antes de sua partida, enquanto olhava ela no seu lugar na mesa de jantar, ele tinha se queixado sobre isso em tom de brincadeira, mas ela sentiu que ele genuinamente tinha arrependimentos sobre aquilo.

Embora não tão extremo quanto Koichiro a única experiência de jogo de Asuna, uma estudante de ensino fundamental, tinha tido anteriormente até agora foram jogos gratuitos no seu celular uma vez ou outra. Ela sabia sobre a existência de jogos online, mas com as provas se aproximando, ela não tinha razão ou motivação para estar interessada neles – ou assim é que deveria ter sido.

Por isso nem ela conseguia explicar porque, naquele dia um mês atrás, na tarde do dia 6 de novembro de 2022, ela tinha ido ao quarto vazio do seu irmão, pegou o Nerve Gear da sua mesa, colocou na sua cabeça e disse <<Link Start>>.

A partir de uma só ação, tudo mudou naquele dia... não, poderia ser dito ter acabado.

No começo, Asuna se trancou dentro de um hotel na Starting City para esperar o incidente terminar, mas após 2 semanas terem se passado sem nenhum contato com o mundo real, ela desistiu da esperança de ser salva pelo lado de fora. Além disso, ficando sabendo que o número de jogadores mortos tinha se passado de mil naquele momento e que apesar disso nem a primeira dungeon tinha sido atravessada, ela percebeu que esperar um jogo ser concluído era inútil.

A única escolha restante, portanto, era <<Que tipo de morte>>.

Esperar na única cidade segura por meses, não, anos dessa forma poderia ser uma solução. Contudo, ninguém pode ter certeza que essa regra de <<Monstros não podem entrar nas cidades>> iria continuar para sempre.

Em vez de continuar a se acovardar em um pequeno quarto escuro enquanto temia pelo futuro, era melhor sair e ir lá fora. Usar toda a habilidade que aprender, treinar e lutar. Se ela terminasse morrendo depois de usar toda sua força, pelo menos ela não iria precisar se lamentar do passado e se arrepender de um futuro perdido.

Correr. Investir para frente. Depois desaparecer. Como uma estrela cadente fugaz queimando ao entrar na atmosfera.

Se sustentando naquele único pensamento, Asuna tinha saído do hotel, e se aventurou no mundo do MMORPG, no qual ela não tinha conhecimento nenhum. Ela escolheu sua própria arma, e confiando naquela única habilidade que aprendeu, alcançou o inferior da dungeon que ninguém tinha estado antes.

Então hoje, Sexta-feira, 2 de dezembro, as 4 da manhã. Asuna tinha desmaiado devido a, mais provavelmente, um reflexo neural natural da fadiga causado por lutar continuamente, e sua trajetória deveria ter chegado a um fim. No <<Black Iron Palace>> da Starting City, perto do <<Monumento of Life>> do lado esquerdo, o nome Asuna, deveria ter sido cortado e tudo teria terminado – é como deveria ter sido. Ainda assim.

“Desnecessário...”

Asuna disse aquela única palavra de novo. O usuário de espada de uma mão, de cabelos negros se agachou a uns 4 metros de distancia dela e baixou sua visão. A primeira impressão que ela teve dele foi que ele era um pouco mais velho que ela, mas aquele gesto ingênuo inesperado a fez franzir sua testa ligeiramente.

Contudo, segundos depois, a boca do rapaz formou um sorriso cínico que a fez repensar sua primeira impressão.

“Eu não te salvei”

Um murmúrio tranquilo. Soava jovem, mas alguma coisa nele camuflou sua idade.

“...Então, porque você não me deixou lá?”

“O que eu salvei foram as informações do mapa que você tem. Se você se isolou nas linhas de frente por quase 4 dias, você deve ter mapeado uma quantidade considerável de áreas inexploradas. Seria um pouco de desperdício se desaparecesse com você.”

Com essa lógica e pragmatismo imposta a ela, ela tomou um profundo suspiro. ‘A importância da vida’ e ‘Como todo mundo deveria se juntar e trabalhar junto’; até agora, quando pessoas na cidade tinham dito tais coisas ela tinha imediatamente cortado eles – com palavras apenas, claro – e ela pensou em fazer isso agora, mas não conseguia pensar em nenhuma resposta razoável.

“....Então, apenas pegue”

Com um pequeno murmúrio, ela abriu sua janela principal. Navegando através de abas com o movimento das mãos que ela finalmente tinha se acostumado recentemente, ela acessou os dados do mapa e copiou tudo para um item tipo um pergaminho. Ela transformou em um objeto e o jogou perto dos pés do rapaz.

“Com isso você alcançou seu objetivo, certo? Então, eu já vou indo.”

Empurrando a grama com as mãos, ela se levantou e cambaleou levemente. Julgando pela exibição de tempo da janela, ela calculou que tinha dormido por 7 horas desde que caiu, mas pareceu não tinha se recuperado completamente da sua exaustão ainda. Contudo, ela ainda tinha 3 rapiers sobrando. Ela tinha decidido antes que ela não iria sair da torre até que sua última rapier tivesse apenas metade da durabilidade.

Ela tinha muitas perguntas não respondidas. Que tipo de meios o usuário de espada de uma mão com casaco cinza tinha usado para tirar ela de dentro das profundezas da dungeon ate a clareira na floresta? Mesmo aceitando que ele tivesse movido ela, porque ele tinha escolhido uma clareira na floresta em vez de uma área segura na dungeon?

Mesmo assim, ela não achava que isso fosse alguma coisa que ela precisava perguntar. Portanto, a fim de retornar para a dungeon que se erguia a esquerda acima do bosque, Asuna tentou dar um passo a frente. – Mas, antes que ela conseguisse.

“Espere, Rapier-san.”

“.....”

Asuna ignorou e deu alguns passos, mas o que veio depois fez ela parar.

“Você também esta dando duro para terminar o jogo, certo? Não morrer na dungeon. Então, não seria melhor se você aparecesse na <<Reunião>>?”

“...Reunião?”

Depois que ela murmurou isso com suas costas ainda viradas, a voz do espadachim alcançou ela em um tom alterado pela brisa suave dentro da floresta.

“Esta tarde, na cidade de <<Tolbana>>, que é a mais perto da dungeon, a primeira <<Conferencia de estratégia para o Boss do Primeiro Andar>> será realizada.”


Capítulo 3[edit]

Levando em consideração que o castelo flutuante de Aincrad tinha um formato afunilado, era claro que o primeiro andar no nível mais baixo era o mais largo, com um diâmetro de 10 quilômetros, e uma área de mais ou menos 80 quilômetros quadrados. Usando como referência para comparação, a cidade de Kawago na prefeitura de Saitama tem uma área de 110 quilômetros quadrados e uma população de mais de 300.000 pessoas.

Pelo seu enorme tamanho, o primeiro andar tinha uma grande variedade geográfica.

No limite sul estava a <<Starting City>>, cercada por um parapeito que faz um semi-círculo envolta dela com 1 quilômetro de diâmetro. Nos gramados que cercam a cidade, são encontrados principalmente monstros tipo animal como javalis e lobos além de vermes, besouros e vespas que também habitam a área.

A noroeste dos gramados tem uma floresta grande e densa e na direção nordeste tem uma região com um lago. Depois de passar pelos dois haviam montanhas, vales e ruínas que continham monstros esperam para emboscar jogadores que passavam por perto, e no limite mais ao norte do andar tinha uma torre pequena e grossa de 100 metros de altura e 300 metros de largura - a dungeon do primeiro andar.

Em muitos lugares do primeiro andar haviam cidades e vilas de tamanho médio e pequeno além da Starting City, mas a mais larg delas - apesar de que tinha somente 200 metros de um canto ao outro - estava a cidade situada no vale mais perto da dungeon: <<Tolbana>>.

A primeira vez que jogadores chegaram nesta cidade, rodeada por moinhos enormes, foi 3 semanas após o lançamento oficial de SAO.

A esta altura, o número total de mortes tinha alcançado 1800.


A misteriosa espadachim e eu partimos; mantendo uma certa distância entre nós, deixamos a floresta e ao portão norte de Tolbana.

As letras em roxo [INNER AREA]8 apareceram em meu visor, mostrando que eu tinha entrado em uma área segura de uma cidade. Naquele momento meus ombros relaxaram, e eu involuntariamente suspirei.

Eu estava exausto por ter deixado a cidade cedo de manhã. Ao me virar, imaginei que a usuária de rapier atrás de mim deve estar se sentindo bem pior, mas os pés calçados por botas que batiam na altura dos joelhos não vacilaram. Mesmo com poucas horas de sono, ninguém consegue se recuperar completamente de três dias contínuos de caça, então ela ainda deve estar agindo de forma um pouco teimosa. Ao retornar para a cidade, o corpo e a mente (que são essencialmente a mesma coisa no mundo virtual) deveriam relaxar. Eu pensei em dizer meus pensamentos, mas a atmosfera parecia muito solene para conversa fiada.

Em vez disso, eu virei em direção da usuária de rapier, e disse, em tom mais formal.

"A reunião está marcada para acontecer no centro da cidade, às 4 da tarde."

"..."

O rosto escondido pelo capuz, se mexeu ligeiramente para cima e para baixo. No entanto seus pés não pararam, e seu corpo esbelto passou na minha frente.

A brisa que soprava na cidade, levou sua capa a se agitar atrás dela. Abri minha boca, mas incapacitado de encontrar algo a dizer, fechei ela denovo. Pensando no assunto, eu, que tinha sido um jogador solo dando duro nas últimas três semanas, não estava apto a interagir com outros. Até agora, eu tinha gastado meus dias apenas protegendo minha própria vida...

"Uma garota estranha."

De repente ouvi um sussurro atrás de mim, e eu me virei das costas da usuária de rapier e olhei em volta.

"... Eu pensei que ela fosse morrer logo, mas me enganei. Não importa como visse, ela é apenas uma jogadora iniciante, mas sua habilidade é assustadora. Que tipo de pessoa ela é?"

A voz estridente continuou, terminando seu discurso com uma entonação anasalada. Essa pessoa não era muito corpulenta e em vez disso era um dos poucos mais baixos que eu, mas ainda assim era uma jogadora incrível. A armadura, igual a minha, cobria o corpo todo e era de couro. A arma presa à sua cintura à esqueda era uma garra pequena, e à sua direita, throwing nails9. Estas não eram armas usadas regularmente por aqueles que chegam às linhas de frente, mas a melhor arma dessa pessoa era outra.

"O que você sabe sobre aquela espadachim?"

Eu involuntariamente perguntei, mas sabendo a resposta, eu fechei a cara. A usuária de garra não traiu minhas expectativas e levantou cinco dedos e disse.

"Eu vendo barato. 500 col."

Seu rosto sorridente tem uma característica distinta. Nas duas bochechas tinham três bigodes como em alguns animais desenhados com maquiagem. Combinado com seu cabelo castanho encaracolado, sua aparência lembrou um certo roedor.

Uma vez no passado, eu perguntei porque ela usava essas marcas. No entanto, eu só recebi um 'Nunca pergunte o motivo de uma garota usar maquiagem' como resposta, imediatamente seguido por um furioso 'Eu te digo essa informação por 100.000 col!'. Então eu tive que rapidamente recuar.

Um dia, quando eu encontra um item ultra raro, eu realmente vou pagar esses 100.000 col - com esta idéia ainda em minha mente, eu amargamente respondi.

"Eu me sinto estranho em comprar uma informação sobre uma garota, então vou evitar fazer isso."

"Hihihi, você tem um bom coração."

A pessoa que disse isso sorrindo no limite da falta de vergonha era talvez a primeira informante de Aincrad; Conhecida como <<Argo the Rat>>.


'-Se você conversar com <<Rat>> por cinco minutos, você vai acabar pagando 100 col em histórias sem nem perceber. Tome cuidado.'

Este era o aviso de alguém. No entanto, Argo tinha dito que nunca tinha vendido uma informação de autenticação duvidosa por dinheiro. Ela disse que apenas consideraria como <<mercadoria>> depois que ela determinasse que tal história tivesse valor, se certificasse de pagar uma taxa à fonte, e também tivesse coletado evidências por si própria. Pensando nisso, se uma história falsa fosse vendida pelo menos uma vez, então a confiança no informante cairia, então o negócio de coleta de informações possuía um tipo diferente de perigo e ansiedade comparado com coleta de itens em dungeons e venda para NPCs nas cidades.

Embora fosse uma pergunta meio machista, 'Porque uma jogadora escolhe este tipo de trabalho'... é algo que eu inevitavelmente pensei toda vez que eu visse o rosto de Argo. Mas mesmo que eu perguntasse, o melhor que ela responderia seria outros '100.000 col' como resposta, então em vez disso eu fiz outra pergunta depois de tossir.

"Então? Hoje de novo, você não está aqui a negócios normais, mas como uma intermediadora como de costume?

Argo fez uma careta desta vez, e depois de rapidamente olhar para direita e para esquerda na rua, ela empurrou minhas costas com a ponta dos dedos e nos fez ir em direção a um beco próximo. A <<Conferencia de estratégia para o boss>> era só daqui a duas horas, então não haviam muitos jogadores aqui ainda, mas pareceu como se essa fosse uma conversa que ela não quisesse que outros ouvissem. A razão era - porque tinha a ver com sua reputação como informante, mais provavelmente.

Argo parou quando estávamos bem longe da rua principal, e depois encostou suas costas contra uma casa (habitada somente por NPCs, claro) e assentiu de novo.

"Bom, sim. Foi aumentada para 29.800 col."

"A oferta chegou a 29.8k agora, huh."

Eu sorri ironicamente, então dei de ombros.

"...Desculpe, mas não importa quanto for a oferta, minha resposta permanece a mesma. Eu não quero vender."

"Eu disse isso ao cliente da última vez também."

O principal negócio de Argo é como informante, mas ao usar seus altos stats de AGI (Agilidade) para movimentação, ela também mantém um outro negócio como <<Mensageira>>. Normalmente eram mensagens orais curtas ou mensagens em um pergaminho, mas a pessoa que vinha se comunicando comigo através dela na última semana parecia ser um pouco mais complicada... ou melhor, um cliente problemático.

Ele (ou ela) queria comprar minha espada longa de uma mão.

<<Anneal Blade +6 (3S3D)>>



O sistema de aprimoramento de armas em SAO era simples comparado aos MMORPGs mais recentes. Haviam cinco tipos de parâmetros de aprimoramentos: <<Sharpness>>, <<Quickness>>, <<Accuracy>>, <<Heaviness>> e <<Durability>>10. Pode-se fazer um aprimoramento de uma habilidade em uma arma em uma dessas categorias ao pedir a um NPC ou um jogador ferreiro. Os fatores materiais necessários que são exclusivos para melhorar os parâmetros das armas e probabilidade fixa de falha eram similares a outros MMORPG.

Sempre que o aprimoramento de qualquer parâmetro tinha êxito, o nome do item na janela de equipamentos teria um +1 ou +2 acompanhado. No entanto, os componentes desse número só poderiam ser verificados quando a arma fosse diretamente tocada e sua janela de propriedades fosse aberta. Durante uma venda de armas entre jogadores, dizer que um item tinha 'Accuracy +1, Heaviness +2...' e coisas do tipo tornou-se tedioso, então em vez disso, tinha se tornado costume usar uma abreviação, por exemplo: um item +4 com componentes de Accuracy +1, Heaviness +2 e Durability +1, era indicado por <<1A2H1D>>.

Em outras palavras, minha <<Anneal Blade +3 (3S3D)>> foi aprimorada com Sharpness +3 e Durability +3. Ter um item dessa qualidade no primeiro andar, na verdade requeria muita paciência e sorte. Devido a situação dentro de Aincrad, poucos jogadores tinham treinado habilidades de ferreiro que não tinha relação direta com a taxa de sobrevivência, e embora os NPCs ferreiros tenham uma verdadeira aparência de anão, o level de habilidade deles não é muito confiável.

Considerando que minha arma <<Anneal Blade>> também foi uma recompensa de uma quest que requereu uma série de dificuldades a serem superadas, as especificações da minha espada poderiam ser ditas quase como o item mais cobiçado do primeiro andar. Apesar de tudo é apenas um equipamento de iniciante. Eu só poderia aprimorar no máximo mais algumas vezes, então lá pelo 3º oui 4º andar, eu teria que trocar a espada por uma melhor e reforjá-la desde o começo denovo.

Por essas razões, eu não conseguia entender os motivos do cliente de Argo, que pagaria a grande quantia de 29.8k col no presente momento. Se fosse uma transação normal cara a cara, eu poderia perguntar o motivo diretamente, mas é impossível sem nem saber o nome do cliente.

"... O dinheiro pelo silêncio que ele pagou foi 1000 col, certo?"

Ao meu questionamento, Argo calmamente assentiu e disse.

"Isso mesmo. Vai aumentar?"

"Hmmm... 1k huh..."

Dinheiro pelo silêncio era a quantidade de col que o Sr. X, que queria comprar minha espada, pagou Argo para esconder seu nome de mim. Se eu decidisse pagar 1100 col, Argo enviaria uma mensagem instantânea ao seu cliente para informá-lo, e perguntar se ele gostaria de rebater aumentando para 1200 col. Se SIM fosse a resposta, então dessa vez eu seria forçado a escolher entre 1300 col ou não. Se eu vencesse esse aumento e rebatesse de novo, então eu saberia o nome do cliente, mas eu acabaria gastando uma quantidade significativa de dinheiro nessa <<transação de espada>> a uma taxa temerosa como resultado. Não importa como você pense sobre isso, seria idiota ao extremo.

"... Que aflição, você não pode simplesmente vender informação, porque mesmo quando não está vendendo informação, faz parte dos negócios, huh... esse é realmente um espírito de comerciante impressionante..."

Quando eu me queixei, os bigodes nas bochechas de Argo relaxaram com uma risadinha.

"Esta é a verdadeira alegria deste negócio! Quando eu vendo uma informação a alguém, nasce nesse instante uma história de que <<Alguém comprou tal e tal informação>>."

Era provavelmente um verdadeiro tabu para pessoas como advogados no mundo real revelar o nome do cliente, mas tal regra não existia para o rat o qual o lema era <<Vender todas as informações que podem ser vendidas>>. As pessoas que se tornavam seus clientes tinham que estar preparadas desde o começo para que seus nomes fossem vendidos, mas devido a suas habilidades como informante ser de primeira classe, ninguém podia se queixar com relação a isso.

"... Por favor me diga quando uma jogadora quiser comprar minhas informações, eu comprarei as dela."

Quando eu disse isso suspirando, Argo mais uma vez deu uma risada alegre, mas depois ela mudou sua expressão.

"Então, eu vou dizer que a oferta foi rejeitada desta vez de novo. E também que este negócio é impossível. Vejo você por aí, Ki-bou."

Acenando ela se virou e com uma agilidade que convinha ao seu apelido <<Rat>>, ela deixou o beco. Depois de ver seu cabelo ruivo encaracolado desaparecer na multidão, eu ociosamente pensei, 'Essa pessoa com certeza não vai morrer'.

Depois de ser preso no jogo mortal SAO por um mês, eu aprendi algumas coisas.

O que de fato separava a vida e a morte entre os jogadores? Existia um número infinito de fator hora para isso - como o número de poções que está carregando, ou quando é a hora de parar de explorar uma dungeon - mas eu acho que o fator principal que existia no centro desses detalhes era se a essência de cada pessoa acreditava incondicionalmente ou não. Colocando de outra forma era da sua <<arma definitiva>> que eles dependiam para sobreviver.

No caso de Argo, era provavelmente <<informação>>. Localizações de monstros perigosos, ou os locais mais eficientes de caça - essa pessoa sabia tudo sobre isso. Sua crença em conhecimento criou um senso de paz dentro dela, e aumentaram suas chances de sobreviver.

Então, para mim, minha essência era a espada nas minhas costas. Para ser preciso, era aquele determinado estado mental que ocorria quando meu corpo e espada se tornavam um só. Eu não estive totalmente nesta zona muitas vezes, mas o simples pensamento Eu quero fazer deste mundo o meu algum dia, e eu não vou morrer antes disso tinham me mantido vivo até agora. A razão pelo qual o aprimoramento da Anneal Blade era +3 Sharpness e +3 Durability, ignorando Quickness e Accuracy, era porque os dois primeiros eram simples especificações, enquanto os dois últimos eram aprimoramentos do sistema de assistência que mudavam a sensação do balanço da espada.

-Então isso significa

Que a usuária de rapier que eu encontrei hoje nas linhas de frente da dungeon. Qual era sua essência?

Eu de fato movi seu corpo inconsciente para fora da dungeon (eu realmente não consigo dizer como eu consegui sozinho), mas, por outro lado, mesmo se eu não estivesse lá, no momento que o próximo kobold aparecesse, ela iria inconscientemente se levantar e usar seu ultra veloz <<Linear>> como uma estrela cadente para matar o inimigo... Não pude deixar de pensar nisso.

O que diabos fez ela lutar uma batalha tão horripilante, e como ela tinha conseguido sobreviver até agora? Era provavelmente uma <<Força>> que eu não tinha conhecimento.

"... Eu deveria ter pago os 500 col para Argo..."

Sussurrando isso com um pequeno balançar de cabeça, eu olhei pra cima no céu.

Os moinhos que eram o símbolo da cidade de Tolbana, que tinham seu exterior pintado de branco, estavam agora tingidos de laranja por causa da luz da tarde. Deveriam ser um pouco depois de 3 da tarde. Para me preparar para a conferência de estratégia do boss que se aproximava, eu devo preencher meu estômago em algum lugar.

A reunião que começa as 4 seria, sem dúvidas, tenebrosa.

Isso porque hoje, um tipo de jogador que tinha se escondido no mundo de SAO se revelaria na frente de inúmeros jogadores regulares pela primeira vez. Isso mesmo - <<Novos jogadores>> e <<Jogadores experientes beta>>, uma lacuna que era difícil de preencher se estendia entre eles...

Para <<Argo the Rat>>, que vendia qualquer coisa que pdia ser vendida, tinha apenas um tipo de informação que ela nunca trocaria. Isso mesmo, as identidades dos jogadores beta originais. Não, não era somente Argo. Caros jogadores beta originais, apesar de terem rostos diferentes de antes, devem ter seus palpites sobre suas respectivas identidades baseado nos nomes ou toques de cada um, mas eles nunca entrariam em contato uns com os outros. Na verdade, era assim dessa forma agora também. Argo e eu tínhamos certeza da identidade um do outro como jogador beta, mas esse era o único assunto que nós contornávamos em nossas conversas, não importasse quantos anos-luz nós tivéssemos que viajar para isso.

A razão era simples. Quando a identidade de um jogador beta era revelada, sua vida poderia estar em risco.

Não do perigo de algum monstro te matar em alguma dungeon. Mas ao andar fora de áreas seguras, novos jogadores poderiam <<Executar>> você. Porque eles acreditavam que toda a culpa pelas mortes de não menos de 2000 pessoas no primeiro mês era dos jogadores beta originais.

E eu não conseguia negar completamente essa culpa.


Capítulo 4[edit]

A comida que Asuna escolheu nos últimos três (ou eram quatro) dias consistia do pão mais barato de um NPC padeiro, e um pote de água que poderia ser cheio quantas vezes você quisesse das fontes que estavam espalhadas pela cidade.

Mesmo no mundo real, ela não gostava de comer muito, mas a comida e a bebida no mundo virtual eram tão suaves que era indescritível. Não importa o quanto estivesse cheio de comida de luxo, nada chegaria a seu corpo real. Ela achou que seria melhor se o sistema de comida e das sensações de fome e satisfação não existisse, mas, quando seu estômago estava vazio três vezes por dia durante o horário das refeições, a fome não passaria até que se comesse uma comida virtual.

Mesmo assim, ela recentemente tinha conseguido superar essa falsa sensação de fome com força de vontade quando ela ia à dungeon, mas depois de retornar para a cidade, ela tinha que comer. Ela comprava os itens mais baratos dos cardápios como um ato de mínima resistência, mas achava estranhamente irritante que até mesmo um pedaço de pão seco e duro parecia delicioso, ela partia o pão em pedaços e os comia aos poucos.

No centro da cidade de Tolbana, Asuna sentou num banco simples de madeira no canto de um espaço aberto onde estava localizada uma fonte e continuou a mover sua boca para mastigar mantendo seu capuz sobre seus olhos. El tinha finalmente terminado metade do pão, que era relativamente grande ao preço de 1 col, quando-

“Esse pão parece delicioso.”

Aquela voz familiar estava vindo da sua direita. Ela parou sua mão que estava para partir outro pedaço do pão, e lançou um olhar penetrante.

A pessoa que estava lá era o rapaz que ela tinha se separado no portão de entrada da cidade a poucos minutos atrás. O espadachim de cabelos negros e jaqueta cinza. Uma pessoa problemática que tinha usado algum método mais cedo para desloca-la para fora da dungeon depois dela ter desmaiado e mudado seu caminho quando na verdade deveriam ter se separado.

No momento que ela percebeu isso, suas bochechas ficaram vermelhas. Apesar de ela ter dito que queria morrer, ele estava vendo ela bem ali, comendo uma refeição assim que voltou a si. Um forte constrangimento correu seu corpo todo, e ela não sabia o que fazer naquele momento.

Ela permaneceu sem jeito e sem se mover enquanto segurava a metade restante em formato de meia lua do pão com as duas mãos, quando o rapaz pigarreou e disse em voz baixa.

“Posso sentar ao seu lado?”

Normalmente, ela teria deixado o banco sem dizer nada, e saído de lá sem voltar atrás neste tipo de situação. No entanto, agora, ela estava tomada por uma confusão atordoadora que ela raramente sentia neste mundo, deixando-a sem reação. Talvez interpretando a rigidez de Asuna como um sinal de aprovação, o rapaz sentou na distância o mais longe possível dela do lado direito do banco, e começou a procurar no bolso de sua jaqueta. O que ele tirou de lá era um objeto preto e redondo – um pão no preço de 1 col.

Naquele momento, Asuna momentaneamente esqueceu seu constrangimento e confusão, e em vez disso olhou para o rapaz em admiração.

Julgando pela sua habilidade de ser capaz de ir fundo nas dungeons e a qualidade do equipamento por todo seu corpo, este espadachim deveria ganhar facilmente dinheiro suficiente para fazer uma escolha decente num cardápio de um restaurante. Neste caso, ou ele era uma pessoa econômica, ou-

“...Você realmente acha isso delicioso, não acha?”

Sem perceber, ela tinha feito a pergunta em voz alta. Ao escutar, o rapaz levantou suas sobrancelhas absurdamente, e depois assentiu profundamente.

“Mas é claro. Desde que cheguei nesta cidade, eu como isso todo dia... Bom, eu dou um pequeno toque.”

“Um toque... ?”

Sem entender o significado, ela balançou a cabeça debaixo do capuz. Em vez de responder, o espadachim colocou sua mão no bolso da jaqueta do lado oposto ao anterior, e tirou de lá um pequeno pote. Ele colocou no meio do banco e disse.

“Tente usar isso no seu pão.”

A frase ‘use no seu pão’ a confundiu momentaneamente, mas depois ela percebeu que era uma frase de jogo de internet, semelhante a <<Use a chave na porta>> ou <<Use o pote na fonte>>11. Ela estendeu sua mão direita com certa hesitação, e tocou a tampa do pote com seu dedo. Do menu que apareceu, ela selecionou <<Usar>>, e depois a ponta do seu dedo começou a brilhar com uma luz roxa fraca. Neste estado que era chamado de <<Modo de Seleção>>, ela tocou então no pão comido pela metade na sua mão esquerda.

Então, com um efeito sonoro baixo, um lado do pão estava com uma cor branca. O que tinha sido aplicado completamente, ou melhor, densamente ao pão era, de fato-

“...Creme? Onde você conseguiu... ?”

“É uma recompensa de uma quest da <<Vacas do contra-ataque>> que eu aceitei uma vila atrás. Porém, nem todo mundo faz ela, porque demora um pouco até terminar.”

Depois de dar essa resposta com uma expressão séria, o espadachim também <<Usou o pote no seu pão>> com um gesto. Depois, com seu conteúdo usado, o pote se despedaçou com um efeito sonoro baixo e um efeito de luz. O espadachim abriu sua boca bem aberta e mordeu o pão que agora também tinha creme. Ouvindo o som enquanto mastigava, o próprio estômago de Asuna não sentiu a dor que ela estava acostumada a algum tempo, mas em vez disso o ataque de uma fome violenta.

Ela hesitantemente mordeu um pedaço de pão com creme que estava segurando na sua mão esquerda.

Naquele momento, o gosto do pão duro e seco se espalhou na sua boca como se tivesse transformado num bolo rústico com uma textura pesada. O creme era doce e suave, junto com um gosto amargo refrescante de iogurte. Enquanto era atingida por um sentimento de desejo realizado, que anestesiou até as suas bochechas, Asuna colocou o pão em sua boca com duas, três mordidas.

Quando ela voltou ao normal, o item de comida que estava na sua mão tinha desaparecido completamente sem nem deixar um pedacinho. Quando ela olhou ao seu lado com um sobressalto, ela pareceu ter terminado uns dois segundos antes do espadachim. De novo, um forte constrangimento cresceu dentro dela e ela quis fugir daquele lugar, mas em se tratando de comido, teria sido muito maus modos.

Após respirar profundamente algumas vezes e se acalmar de alguma forma, Asuna disse numa voz fraca.

“...Obrigada pela comida.”

“Não há de que.”

Tendo terminado sua própria refeição, o espadachim limpou suas luvas de couro, e depois continuou.

“A quest das vacas que eu falei anteriormente. Se você quiser tenta-la eu posso lhe dar algumas dicas. Se fizer de forma eficiente, pode terminar em duas horas.”

“.....”

Para ser sincera, seu coração estava comovido. Com aquele creme de iogurte, até o pão de 1 col se tornava um banquete. Era uma falsa sensação de desejo realizado do mecanismo de recriação do gosto, mas ela queria provar mais uma... não, comer todo dia se possível. Era o que Asuna não conseguia parar de pensar.

No entanto-

Asuna abaixou seus olhos, e balançou sua cabeça gentilmente debaixo de seu capuz.

“... Tudo bem. Eu não vim tão longe a esta cidade apenas para comer coisas deliciosas.”

“Hmm. Então, por que motivo?”

A voz do espadachim, que não poderia se dizer ser uma voz especialmente bonita, não tinha uma única parte que era desagradável de se ouvir, e tinha a cadência como de um garoto de alguma forma. Talvez, por causa disso, Asuna falou sem estar consciente disso, aquilo lá no fundo do seu colração, que ela não tinha falado a ninguém desde que chegou a esse mundo.

“É para... Provar que eu existo, em vez de me trancar num quarto de um hotel como fiz no começou e apodrecer aos poucos, eu quero ser eu mesma até o último momento. Mesmo se eu perder para um monstro e morrer, eu não quero perder para esse jogo... para esse mundo. Não importa o que aconteça.”

Asuna – os 15 anos de Yuuki Asuna tinham sido uma série de batalhas. A começar com sua prova de entrada no jardim de infância, ela tinha tido uma série de desafios, grandes e pequenos, impostos a ela uma atrás da outra, e ela tinha superado todos eles. Foi determinado que mesmo uma falha a tornaria uma pessoa inútil, de modo que ela continuou a deixar de lado toda aquela pressão.

Um novo desafio com o nome de <<Sword Art Online>> tinha aparecido no final desses 15 anos de luta, mas ela provavelmente não conseguiria superar esse desafio. Com regras e uma cultura que eram muito desconhecidas e diferentes, este era um tipo de batalha que a força de uma única pessoa não poderia fazer nada.

Essa era a condição para se ganhar: ‘Alcance o andar mais alto dos 100 andares do castelo flutuante, e derrote o inimigo final. ’ No entanto, um mês depois do jogo ter começado, um quinto dos jogadores já tinham sido derrotados, e ainda mais, a maioria eram veteranos experientes que tinham confiança nas suas habilidades. A força de combate que restava era muito pequena, e a distância que bloqueava o seu caminho era muito longa...

Asuna disse isso sem pausar, como se a torneira de seu coração tivesse sido solta e gotas fossem lentamente escorrendo. Como se ainda estivesse dando seu monólogo que provavelmente não tinha qualquer consistência, o espadachim de cabelos negros escutou em silêncio, mas – eventualmente a voz de Asuna foi cortada pela brisa da noite, e depois ele sussurrou calmamente uma palavra.

“....Desculpe.”

Sword Art Online Progressive Vol 1 - 047.jpg

Depois de alguns segundos, Asuna se perguntou, ‘Porque ele diria isso?’

Ela encontrou com esse espadachim pela primeira vez hoje, então não deveria haver razão para ele se desculpar. Quando ela olhou ao seu lado de debaixo do capuz, o rapaz de jaqueta cinza que estava sentado no banco repousou seus cotovelos nos joelhos e apoiou sua cabeça baixa. Seus lábios moveram-se de leve, e ela ouviu sua voz de novo.

“Desculpe... – O que levou a situação atual... ou, colocando de outra forma, o que te levou a se esforçar tanto, é de um jeito minha...”

No entanto, ela não conseguiu ouvir o resto do que ele disse. Porque o relógio do enorme moinho que ficava no centro da cidade tocou alto.

Eram 4 da tarde. A hora da <<Reunião>> chegou. Olhando em volta, Asuna olhou que alguns jogadores tinham se agrupado perto do espaço da fonte por algum tempo agora sem ela ter percebido.

“... Vamos. É a conferência que você me convidou.”

Asuna observou isso, e se levantou. O espadachim também assentiu, e lentamente se levantou. O que ele iria dizer? Ela provavelmente não iria falar com ele de novo, então não importava. Mas num canto dentro desse pensamento, havia um sentimento como um pequeno formigamento na espinha.

‘Eu quero saber.’ ‘Eu não quero saber.’ Qual desses sentimentos era mais forte, até ela mesma não entendia muito bem.


Capítulo 5[edit]

44 pessoas.

Esse era o número total de jogadores que se reuniram na praça do chafariz de Tolbana.

Comparado com minhas previsões – ou melhor, minhas expectativas, tudo que eu podia dizer era que era muito pouco. Em SAO, o tamanho máximo de um time era 6, e juntando 8 times podia se fazer um time de ataque com um total de 48 pessoas. Pela minha experiência do período beta, se fossemos enfrentar o boss do andar sem mortes, seria difícil sem pelo menos dois times de ataque para trocar durante a batalha, mas esses números não podiam completar nem mesmo um time de ataque inteiro.

Eu respirei fundo em um suspiro, mas perdi minha chance de expirar.

“...Isso tudo...”

Foi porque a usuária de rapier encapuzada sussurrou isso atrás de mim à minha esquerda. Eu involuntariamente me virei para perguntar.

“Isso tudo...? Esse número de pessoas?”

“Sim. Porque... eles se reuniram aqui para o primeiro desafio contra o monstro boss deste andar, certo? Mesmo que a chance de aniquilação completa exista...”

“...Entendo.”

Eu assenti, e depois olhei novamente o rosto dos guerreiros juntos em grupos de três e cinco em volta da praça.

Haviam cinco ou seis jogadores aqui que eu conhecia pelo nome, e vice-versa. Além disso, tinha em torno de quinze pessoas que eu já tinha visto antes em cidades próximas às linhas de frente e nas dungeons. Quanto aos outros 20 ou mais jogares, esta era a primeira vez que eu os via. Claro que a proporção entre jogadores e jogadoras era extremamente distorcida. A única jogadora que eu podia ver de cara era a usuária de rapier, mas não era possível de se discernir isso só de olhar por causa do capuz que ela usava cobrindo os olhos, então as outras pessoas aqui além de mim deveriam estar pensando que todo mundo aqui era homem. <<Argo the Rat>> também estava aqui encostada contra uma parede alta do outro lado da praça, mas ela participaria da operação de captura ao boss.

Como a usuária de rapier tinha dito, ninguém tinha visto alguém – não dentro do Aincrad atual – desafiar o boss do primeiro andar. O risco da barra de HP1 chegar a zero, ou em outras palavras, o risco de morrer seria o maior entre as batalhas de larga escala que tinham acontecido neste andar até agora. Em outras palavras, todos reunidos na praça estavam preparados para a própria morte, e se estavam aqui, tinham aceitado que tinham se tornado jogadores em quem se espelhar parra futuros jogadores... esse devia ser o significado, mas...

“... Não, eu estive pensando nisso...”

Eu inconscientemente sussurrei isso. A usuária de rapier lançou-me um olhar questionador de debaixo do capuz. Em resposta, eu respondi escolhendo minhas palavras cuidadosamente.

“Eu não posso dizer isso por todo mundo, mas em vez de <<Mostrar um espírito de sacrifício próprio>>, eu acho que muitas pessoas vieram aqui devido ao <<Sentimento de ser deixado para trás>> também. Contando que eu vim aqui pelo último desses dois motivos...”

“...Deixado para trás? De que?”

“Da linha de frente. Aniquilação total dá medo, mas ter o boss derrotado num lugar que você não sabe também é assustador.”

O capuz se inclinou um pouco. Ela não conseguiria entender o que eu disse muito bem, visto que ela era uma iniciante em jogos online – foi o que eu pensei, mas.

“...Isso é como, não querer cair abaixo da décima colocação na sua escola, ou querer manter sua pontuação padrão de 70, esse tipo de motivação?”

“...........”

Desta vez foi a minha vez de ficar sem palavras. Pensando sobre isso um pouco, eu assenti em um ângulo sutil.

“É... Bom, provavelmente... talvez seja isso mesmo...”

Então-

Espiando dentro do capuz, eu vi seus lábios sorrirem ligeiramente. ‘Fu, fu’, um som de desmaio pode ser ouvido. Ela estava... rindo? Da jogadora da habilidade <<Linear>> além da perfeição, que tinha dito que meus atos eram um “esforço desnecessário” quando eu a carreguei para fora do labirinto?

Eu inconscientemente tentei olhar diretamente no interior do capuz, mas felizmente a situação mudou antes disso. Com um som de bater de palmas *Pan, Pan*, uma voz alta fluiu pela praça.

“O-K! Agora então, estamos 5 minutos atrasados, mas vamos começar! Todo mundo, um pouco mais a frente... bem ai, cheguem três passos mais perto!”

O dono daquela voz majestosa era um espadachim com uma armadura metálica reluzente cobrindo toda sua figura alta. Ele agilmente pulou sem correr antes na borda do chafariz que estava no centro da praça. Para ter pulado esta altura com toda aquela armadura, ele devia possuir muita força e destreza.

Quando eles viram o espadachim de costas, muitas das quarenta e poucas pessoas presentes sussurraram um pouco. Eu entendi o que eles estavam sentindo. Porque eu também me perguntei por que aquele homem que estava na borda do chafariz era tão bonito, a ponto de eu não achar outra explicação a não ser que era um produto de um VRMMO. Além disso, seu cabelo longo ondulado estava tingido de um azul brilhante. Ele deve ter caçado ou comprado um drop de item raro, visto que itens de tingir o cabelo não eram vendidos em lojas no primeiro andar.

Se ele enfrentou todo esse transtorno para personalizar seu corte de cabelo e cor para essa reunião, com apenas duas jogadoras aqui (apesar de que uma delas estava coberta por um capuz que ninguém poderia identificar), eu acho que ele deve ter se sentido um pouco relutante, mas o homem deu um sorriso refrescante que desviou completamente a minha suspeita e disse.

“Hoje, obrigado por atender a minha convocação! Algumas pessoas aqui me conhecem, mas eu vou me apresentar! Eu sou <<Diabel>>, e a minha classe do coração <<Cavaleiro>>!”

Com isso, as pessoas ao redor do chafariz explodiram em aplausos e assobios, em conjunto com vários gritos como ‘Você quis dizer <<Herói>>, certo!>> se espalharam pelo lugar.

Em SAO, não existiam <<Classes>> determinadas pelo sistema. Cada jogador tinha um número de <<Slots de habilidade>>, e poderiam livremente selecionar e configurar todos os tipos de habilidades e treiná-las. Por exemplo, pessoas com habilidades do tipo fabricação ou troca como habilidade principal poderiam ser chamados de <<Ferreiro>>, <<Costureiro>>, <<Cozinheiro>>, dentre outros títulos de empregos não oficiais – no entanto, eu tenho conhecimento limitado sobre as classes <<Cavaleiro>> e <<Herói>>, não tendo ouvido delas antes.

É claro que ‘chamar alguém por qualquer título que queira’ é uma escolha que qualquer um pode fazer. Olhando ele de perto, o cara chamado Diabel estava usando uma armadura de bronze em seu peito, ombros, braços e canelas, com uma enorme espada longa à esquerda do seu quadril, e um kite shield nas suas costas. Poderia se dizer que esse era o armamento da tão comentada classe de cavaleiro.

Enquanto olhava para ele de trás da multidão, eu rapidamente tentei me lembrar. Seu equipamento e seu estilo de cabelo eram diferentes, então era difícil de associar, mas eu sentia como se eu o tivesse visto várias vezes nas vilas e cidades próximas às linhas de frente. E antes disso – a <<Outra Aincrad>>, eu vi ele lá? Pelo menos não me lembro de ter ouvido seu nome antes...

“Bom... então, quanto a razão pela qual eu reuni vocês, os melhores jogadores, que estão ativos nas linhas de frente, eu acho que não preciso dizer, mas...”

Conforme o discurso de Diabel continuou, eu parei meus pensamentos e me concentrei nele. O cavaleiro de cabelos azuis levantou sua mão direita, apontou para a torre imensa que se erguia bem atrás da cidade – a Dungeon do Primeiro Andar, e continuou.

“... Hoje, nosso time encontrou as escadas que levam ao último andar daquela torre. Em outras palavras, amanhã, ou mais tardar depois de amanhã, nós chegaremos a ele: o boss do primeiro andar... a Sala do Boss!”

Os jogadores urraram e tornaram-se barulhentos entre si. Eu estava um pouco surpreso também. A dungeon do primeiro andar tinha 20 andares; eu e a usuária de rapier ao meu lado estivemos próximos de subir do 18º para o 19º andar quando passamos pela dungeon hoje, mas eu não sabia que o 19º andar já estava tão bem mapeado.

“Um mês. Chegar a esse ponto demorou um mês... mas mesmo assim, nós devemos servir de exemplo. Nós devemos vencer o boss, alcançar o segundo andar, e mostrar para todos que ainda estão esperando na Starting City que definitivamente é possível terminar esse jogo mortal. Esse é o nosso dever, dos melhores jogadores, aqui e agora! Não estou certo, gente?”

Novamente, vivas! Desta vez, parecia haver pessoas batendo palmas que não eram amigos do Diabel. Certamente, o que estava sendo dito era esplêndido e não havia nada sendo escondido. Não, seria estranho até mesmo se perguntar se há alguma coisa escondida naquelas palavras. Será que eu deveria agora dar meu aplauso ao Cavaleiro-sama, mediador dos jogadores das linhas de frente que tinha um elevado conceito em minha opinião?

“Espere um minutos, Diabel-han.”

Naquele momento, alguém falou numa voz baixa.

Os vivas pararam imediatamente, e a frente da multidão se dividiu em duas. De pé no meio do espaço recém-formado estava um homem baixo. Da minha posição, eu só pude distinguir uma espada grande de uma mão nas suas costas, e um tipo de cabelo pontudo castanho claro parecendo um cacto.

Avançando um passo, o cabeça de cactos resmungou numa voz grave e profunda, o completo oposto da voz bonita de Diabel.

“Antes disso, tem uma coisa que eu gostaria de dizer, do contrário eu não posso me juntar a vocês.”

Apesar da intromissão rude, a expressão de Diabel não mudou nem um pouco. Com um sorriso cheio de calma, ele disse enquanto acenava.

“O que você precisa dizer? Bom, o que quer que seja, opiniões são muito bem-vindas. Mas, se você vai dizer algo, você deveria nos dizer seu nome primeiro.”

“...Hmph.”

O cabeça de cacto respirou fundo e depois deu um ou dois passos a frente. Quando ele chegou ao chafariz, ele se virou para nós.

“Eu sou <<Kibaou>>.”

O espadachim cabeça de cacto que se apresentou com um nome um pouco ousado olhou para todos os jogadores na praça com olhos pequenos, mas penetrantes e brilhantes.

O olhar arrebatador parou por um instante no meu rosto – ou talvez fosse apenas minha imaginação. Eu não o reconhecia pelo nome e nem tinha lembranças de ter passado por ele em algum lugar. Depois de levar um tempo olhando a todos, Kibaou disse numa voz ainda mais ameaçadora.

“Neste grupo, devem existir pelo menos 5 a 10 pessoas que devem se desculpar.”

“Se desculpar? A quem?”

O <<Cavaleiro>> Diabel, que ainda estava atrás dele na borda do chafariz, levantou as duas mãos de maneira interrogatória. Sem olhar para ele, Kibaou cuspiu em ódio.

“Há, não é óbvio. Às 2000 pessoas que morreram até agora. Esses caras têm um monopólio de tudo, e por isso 2000 pessoas morreram em um mês! Não estou certo?!”

Naquele momento, a plateia de quarenta e poucas pessoas que estiveram sussurrando em voz baixa ficaram em completo silêncio. O que Kibaou estava insinuando finalmente foi entendido. Incluindo-me nisso, claro.

No silêncio sufocante, apenas a música de fundo da orquestra do NPC tocava calmamente. Ninguém tentou falar. Se qualquer coisa fosse dita naquele momento, então você seria taxado como um <<daqueles caras>> - esse era o medo provável de todo mundo. Não, mais que isso. No mínimo, eu estava certamente tomado por esse medo...

“-Kibaou-san. <<Esses caras>> a quem você está se referindo são... os jogadores beta originais, certo?”

“Obviamente.”

Com os grossos pedaços de metal da sua armadura de escamas cobrindo o couro que ele vestia, Kibaou olhou em direção ao cavaleiro atrás dele, e depois continuou.

Sword Art Online Progressive Vol 1 - 057.jpg

“Esses jogadores beta, no dia que essa droga de jogo começou, correram da Starting City e desapareceram. Eles deixaram para trás mais ou menos 9000 pessoas que não tinham nem direção. Eles monopolizaram os lugares de caça bons e as quests lucrativas, se tornaram fortes sozinhos, e depois fingiram não saber de nada... Devem haver alguns neste grupo, alguém astuto escondendo seu status beta e pensando em se juntar a luta contra o boss. Eu exigo que eles ajoelhem e dividam todo o gold e itens que eles juntaram para o bem dessa operação, e eles não podem ser confiados com as vidas dos nossos membros do grupo!”

Assim como o seu nome12, ele terminou sua condenação com um estalo em seu dente, mas, ainda assim, ninguém tentou levantar a voz para falar. Como um membro do grupo de jogadores beta originais, eu também cerrei os dentes, segurei minha respiração e continuei em silêncio.

Não foi devido a uma vontade de gritar em resposta algo como ‘Você acha que nenhum dos jogadores beta morreu?’.

Há mais ou menos uma semana atrás, eu comprei um certo tipo de informação de Argo – para ser preciso, eu pedi a ela para investigar uma coisa. Descobrir um número estimado do número de mortes dos jogadores beta.

O período de teste beta de SAO que aconteceu durante as férias de verão tinha aceitado apenas 1000 pessoas. Cada participante teve privilégios para adquirirem a versão oficial, mas considerando o status do login no fim do período de testes, meu palpite é que nem todos os 1000 jogadores tinham mudado para o serviço oficial. Provavelmente 700 a 800 pessoas – esse era o número provável de jogadores beta originais que começaram o jogo mortal.

No entanto, descobrir <<Quem era um jogador beta>> não era tão simples. Se um cursor de um jogador tivesse uma marca [β], claro que seria fácil – dito isso, poderia se dizer sorte que tal marca não existia, e todos as aparências dos nossos avatares tinham sido mudadas para a aparência real de cada um devido ao GM kayaba Akihiko. A única pista que poderíamos seguir era o nome, mas muitos provavelmente tinham mudado os nomes do período beta para o lançamento oficial. A propósito, a razão pela qual Argo e eu estamos certos de que nós dois somos jogadores beta tem relação com a primeira vez que nos encontramos, mas isso é outra história.

Em todo caso, por essas razões, a pesquisa de Argo deve ter sido um pouco difícil. No entanto, demorou apenas 3 dias para ela me dar uma resposta..

Aproximadamente 300 pessoas. Essa era a estimativa de Argo para o número de mortes dos jogadores beta originais.

Se esse número fosse preciso, isso significa que, dentro do número de mortes de 2000, 1700 eram jogadores novos. Em termos percentuais, a taxa de morte de jogadores novos era de aproximadamente 18%. Por outro lado, a taxa de morte dos jogadores beta era – em torno de 40%.13

Conhecimento e experiência prévia não significava necessariamente segurança. Pelo contrário, poderia ser uma cilada. Eu mesmo quase perdi minha vida numa quest difícil que eu aceitei fazer bem no primeiro dia desse jogo mortal. Além disso, tinham fatores externos. No serviço de SAO, a geografia, monstros e itens são basicamente os mesmos do período beta, mas uma vez ou outra, tem uma pequena diferença, como uma pequena e mortal agulha envenenada...

“Posso falar?”

Naquele momento, uma voz masculina forte ressoou pela praça à noite. Quando eu voltei dos meus pensamentos e levantei meu olhar, havia uma silhueta se movendo para frente e saindo de dentro do lado esquerdo da multidão.

Enorme. Devia ter mais de 1,80m. O tamanho do avatar não influenciava nos stats, mas o battle-axe de duas mãos às suas costas certamente pareciam leves para ele.

Sua aparência também era impressionante e não perdia para a sua arma. Era careca e pele cor de chocolate. No entanto, essa personalização radical caía muito bem com seu rosto bem masculino. Ele de fato não parecia japonês... ou melhor, ele pode na verdade ser de uma raça diferente.

Andando em direção a fonte, o gigante musculoso se curvou de leve para o restante para as outras quarenta e poucas pessoas, e depois se virou para Kibaou que tinha uma diferença drástica de altura.

“Meu nome é Agil. Kibaou-san, o que você quer dizer é que muitos iniciantes morreram porque os jogadores beta não cuidaram deles, e que eles deviam aceitar essa responsabilidade e se desculpar com eles dando satisfação, estou certo?”

“Is... Isso mesmo.”

Kibaou, momentariamente oprimido, deu um passo para trás, e depois encarou o usuário de axe chamado Agil com seus pequenos olhos ardentes e gritou.

“Se eles não tivessem nos deixado para trás, 2000 pessoas não teriam que morrer! Mais que isso, eles não eram 2000 pessoas quaisquer, a maioria deles eram jogadores tops de outros MMOs! Se esses betas estúpidos tivessem dividido informação, itens e gold, então teriam 10 vezes mais pessoas do que existem aqui hoje... não, no momento já teríamos alcançado o segundo ou terceiro andar!!”

-300 desses 2000 são compostos por aquilo que chamou de ‘betas estúpidos’!

Eu desesperadamente contive o impulso de gritar isso. Motivos triviais como ‘Eu não podia mostrar uma base para o número 300 agora’ e ‘seria assustador ser apontado e denunciado por todos’ eram parte do que me parou. No entanto, mais que isso, não seria inteligente revelar meu status como um jogador beta me intrometendo nesta situação, não importa o que eu pensasse sobre isso.

Neste exato momento, em torno de 400 ou 500 dos jogadores restantes do período beta estavam entre os novos jogadores. Com level e equipamentos equiparados, eles não se destacavam mais. Com essa situação, eu tinha medo que, mesmo que eu me revelasse como um jogador beta, em vez de tentar criar uma reconciliação, uma situação perigosa de caça às bruxas surgisse. Na pior das hipóteses, os jogadores das linhas de frente se dividiriam entre iniciantes e betas, e começariam a brigar. Isso tinha que ser impedido a qualquer custo, porque em SAO, ataques de jogadores eram permitidos em lugares como campos e dungeons conhecidos como <<Área Externa>>...

“Isso é você que está dizendo, Kibaou-san. Eu não sei sobre o gold e os itens, mas eu acredito que de fato eles têm bastante informação”.

Enquanto eu baixava meus olhos me sentindo envergonhado, Agil, o guerreiro de axe respondeu novamente com sua voz máscula. Ele tirou um livro de encadernado com pele carneiro da sua bolsa enorme de sua cintura. Na capa, tinha uma <Marca do Rato>> desenhado com orelhas redondas e três bigodes em cada bochecha.

“Este guia, você também conseguiu um, certo? É distribuído de graça nos shops de itens em Horuka em Medai”.

“...D-De graça?”

Eu gaguejei involuntariamente em voz baixa. Aquilo, como a marca em sua capa indicava, era o <<Guia de estratégia por área>> vendido pela informante Argo the Rat. Ele era composto por assuntos desde informações sobre detalhadas sobre terrenos até a aparência dos monstros, drops de itens e até explicações de quests, e o slogan [Tudo bem. Esse é o guia de estratégia da Argo] escrito na parte de baixo da capa com letras grandes sem exagero. Apesar de embaraçoso, eu mesmo adquiri a coleção toda para refrescar minha memória – mas, de acordo com minha memória, cada guia deveria ser 500 col, um preço considerável...

“...Eu também adquiri um.”

Ao meu lado, a usuária de rapier que estava em silêncio até agora sussurrou. Eu indaguei “De graça?”, e ela assentiu.

“Tem uma comissão para o dono do item shop, mas contando que o preço era 0 col, todo mundo adquiriu um. Realmente ajudou bastante.”

“Qu-Que está acontecendo...”

Aquele <<Rato>> - aquela praga negociadora que venderia até seu próprio status se isso desse dinheiro tinha dado informação de graça? Impossível! Eu mudei meu olhar, mas a parede em que Argo estava sentada agora pouco estava vazia. Da próxima vez que eu encontrar com ela, eu vou perguntar o motivo, mas eu já podia até vê-la dizendo “Essa informação custa 1000 col” em resposta.

“-Eu adquiri. O que tem nisso?”

A voz fina de Kibaou me fez interromper relutantemente meus pensamentos. Agil colocou seu guia de estratégia de volta na sua bolsa, e disse de braços cruzados.

“Este guia, sempre alcançar uma nova vila ou cidade, é sempre encontrado no item shop. Você deve ter percebido isso também. A informação voa, você não acha?”

“E se for rápido demais!?”

“Isso significa que quem forneceu a informação sobre os monstros e os dados do mapa que aparece no guia não tem como não ser um jogador beta.”

Os jogadores ficaram agitados de repente. Kibaou fechou sua boca e o cavaleiro Diabel atrás dele assentiu como em um ‘Entendo’.

Agil voltou seu olhar para o grupo reunido e falou em voz grave.

“Veja bem, existe informação. E mesmo assim, muitos jogadores morreram. Eu acho que a razão para tal é porque eles eram jogadores de MMO veteranos. Eles avaliaram SAO da mesma forma que os outros, e esqueceram coisas que eles deviam ter percebido. No entanto, não é hora de ir atrás dos responsáveis por isso. O tema de ser ou não responsáveis vai influenciar esta reunião, é o que eu acho.”

A atitude do usuário de axe de duas mãos era bem imponente e seu argumento foi extremamente direto, então Kibaou cerrou os dentes pois não achou uma brecha no que havia sido dito. Se alguém mais além de Agil afirmasse a mesma coisa, então Kibaou poderia rebater com ‘Dizendo isso significa então que você é um jogador beta’, eu acho. Mas, do jeito que está tudo que ele podia fazer era encarar o gigante com ódio.

Ainda de pé, ao lado do chafariz, atrás dos dois se confrontando, em silêncio, Diabel assentiu mais uma vez conforme seu cabelo balançava e se tingia de roxo com o pôr-do-sol.

“Kibaou-san, eu também entendo seu ponto de vista. Eu também me aventurei sem saber pra onde ir, e finalmente cheguei aqui depois de quase morrer várias vezes. Mas, como Agil-san disse, não é hora de seguir em frente? Até mesmo os jogadores beta... ou melhor, especialmente os jogadores beta, nós precisamos da ajuda deles na batalha contra o boss. Se excluíssemos eles, e a batalha resultasse num fracasso... Não seria um desperdício?”

Esse foi realmente um discurso que me fez pensar ‘Justo como eu esperava de alguém que se auto intitula um cavaleiro’. Muitas pessoas também assentiram profundamente. Eu senti a atmosfera mudando de ‘condenando jogadores beta’, e eu involuntariamente suspirei em alívio. Apesar de ter percebido que era uma vergonha ter feito isso, eu prestei atenção conforme Diabel continuou.

“Pessoal, tenho certeza que vocês têm seus próprios questionamentos e sentimentos, mas agora, eu gostaria que cooperassem para passar pelo primeiro andar. Se houver alguém que não vai lutar junto com os jogadores beta sob qualquer circunstância, então é uma pena, mas vocês são livres em desistir. Para uma luta contra o boss, trabalho em equipe é mais importante do que qualquer coisa.”

Passando o olhar por todo mundo, o cavaleiro finalmente encarou Kibaou com um olhar sério. O espadachim cabeça de cacto encarou um pouco, mas bufou e, em seguida, disse com uma voz sufocada.

“....Muito bem, eu vou obedecer você aqui. Mas quero que fique claro, que é apenas até o fim da batalha contra o boss.”

Virando-se, Kibaou retirou da frente do grupo com sua armadura tintilando. O usuário de axe Agil soltou os braços mostrando que ele não tinha mais nada a dizer, e retornou para sua posição.

No final, essa cena foi o ponto alto dessa reunião. Porque, mesmo que elaborássemos estratégias anti-boss, nós tínhamos apenas chegado ao último andar do labirinto. Numa situação em que ninguém tinha visto o rosto do boss, estratégias não poderiam ser feitas, mas...

-Não, a verdade era um pouco diferente. Porque eu saboa que o boss do primeiro andar de Aincrad era um Kobold gigante, no qual sua arma era um Talwar gigante, e uma vez ativado, 12 guardas kobolds armados surgiriam.

Se eu revelasse que eu era um jogador beta aqui e fornecesse informações sobre o boss, nossa chance de sucesso poderia aumentar bastante. No entanto, se assim fizesse, eles poderiam perguntar ‘Porque permaneceu em silêncio todo esse tempo’, e tinha também o medo da atmosfera de ‘enforcar os jogadores beta’ voltar.

Além disso, meu conhecimento foi adquirido da velha Aincrad, então ainda havia a possibilidade de que, quando o serviço oficial começasse, uma pequena parte ou até mesmo tudo sobre o boss tivesse mudado. Se nós nos baseássemos em informações do período beta e nos apressássemos, então nós lutássemos contra o boss, se a aparência do boss ou mesmo o padrão de ataque fosse completamente diferente... Ou algo do tipo, então o grupo de ataque poderia ser aniquilado na confusão. Em última análise, até que a porta do boss fosse aberta e seu habitante aparecesse nada podia ser planejado.

Eu me convenci com isso em parte, e continuei calado.

A reunião finalmente terminou com palavras bem positivas do cavaleiro Diabel, e com os participantes respondendo em um grito alto de guerra. Eu também levantei minha mão direita no ar, mas a usuária de rapier ao meu lado nem chegou a tirar sua mão de dentro de sua capa, muito menos dar um grito. Virando-se sem dizer nada, mesmo antes de terem dito “Dispensados”, ela sussurrou para mim num tom que somente eu poderia escutar antes que ela fosse embora.

“Antes da reunião, você disse alguma coisa... Se nós sobrevivermos à luta do boss você me disse.”

Eu respondi silenciosamente para suas costas conforme ela desaparecia pela rua escura.

-Claro, eu vou lhe dizer. Que para minha própria sobrevivência eu desisti de todo o resto.


Capítulo 6[edit]

Apesar de que não tinha nenhuma discussão real, ainda parecia ter melhorado o ânimo dos jogadores, e o 20º andar da dungeon do primeiro andar foi mapeado numa velocidade nunca antes visto. Na tarde do dia depois da reunião, sábado 3 de dezembro, o primeiro grupo (o grupo de 6 jogadores do Diabel), encontraram portas duplas enormes nas profundezas da dungeon. O som da comemoração deles alcançou meus ouvidos enquanto eu lutava solo por perto.

Ouvi falar que o grupo de Diabel audaciosamente abriu a sala do Boss, e viram a face de seu habitante. Na madrugada daquele dia, em outra reunião na praça da fonte de Tolbana, o cavaleiro de cabelos azuis relatou orgulhosamente.

O Boss era um Kobold imenso, 2 metros de altura. Seu nome era <<Illfang the Kobold Lord>>, e sua arma era da categoria Scimitar14. Ao seu redor, tinham 3 <<Ruin Kobold Sentinels>> com armaduras de metal empunhando halberds15.

Até aqui, a informação era exatamente igual ao período Beta. Se bem me lembro, os <<Sentinelas>> reapareceriam quando o Boss perdesse uma das quatro barras de HP, totalizando 12 <<Sentinelas>> que precisavam ser eliminados, mas, como de costume, eu não tinha coragem de dizer isso na reunião. De qualquer forma, a verdadeira batalha não ocorrerá tão cedo, e contando que várias patrulhas serão conduzidas antes, essa informação vai acabar sendo descoberta – foi isso que disse a mim mesmo como desculpa, mas uma coisa que provou que minhas preocupações foram totalmente desnecessárias foi descoberta no meio da reunião.

Na loja da tenda de um NPC, num canto da praça, <<o item mencionado acima>> foi posto a venda sabe lá desde quando. Era mais um panfleto que um livro, composto de três páginas e encadernados por pele de ovelha. ‘Guia de estratégia de Argo: Edição do Boss do primeiro andar’ – era seu título. O preço era 0 col.

Claro, a reunião foi temporariamente pausada, pois todos os participantes compraram (ou mais apropriadamente levaram) um guia do NPC e examinaram seu conteúdo.

Como de costume, havia uma quantidade impressionante de informações. Desde o recém-descoberto nome do Boss até seu HP estimado, sua arma principal o Talwar, a velocidade da arma, o tanto de dano causado por ela, e as habilidades de espada do Boss. Estas informações compreendiam as 3 primeiras páginas. A quarta página continha informações sobre os <<Sentinelas>>; ali estava claramente escrito que eles apareceriam quatro vezes, totalizando 12.

Na capa do guia havia também uma linha única de texto numa fonte vermelho brilhante que não havia estado em nenhum anterior até agora, <<Guia de estratégia de Argo>>. La dizia –

[Esta informação é do período de teste Beta do SAO. É possível que a versão atual seja diferente.]

Quando eu li isso, eu levantei minha cabeça e procurei por Argo ao redor da praça. Entretanto, eu não pude encontrar o <<Rato>> hoje, vestida numa armadura simples de couro. Baixei minha cabeça de novo e sussurrei numa voz baixa.

“...Ela partiu para a ofensiva...”

Aquele aviso vermelho poderia ter destruído a condição atual de Argo – sua posição de <<uma informante que simplesmente comprou informação de jogadores Beta que ninguém conhecia>>. Quase todo mundo que leu isso começou a se perguntar se o Rato era um jogador Beta ou não. Claro que não havia provas, mas depois, se a disputa entre novos jogadores e jogadores beta se expandisse mais do que já estava, não haveria dúvida de que o perigo dela ser o alvo principal de denúncias aumentaria.

Mas, por outro lado, graças a esse guia de estratégia, alguns incômodos e o perigo de algumas patrulhas seriam evitados também. Assim como ontem, as quarenta e poucas pessoas que leram o guia olharam para o cavaleiro de cabelo azul de pé na borda da fonte como se estivessem esperando pelo seu líder para saber como iriam agir.

Diabel abaixou sua cabeça como se parecesse pensar e considerar alguma coisa durante alguns segundos, mas logo em seguida ele se endireitou de pé e gritou em uma voz cheio de positividade.

“- Agora, vamos ser todos agradecidos por essa informação!”

O público foi imerso em um zumbido. Porque esse discurso escolheu reconciliação em vez de confrontação com os jogadores beta originais. Eu achei que Kibaou iria pular de novo rosnando, mas a cabeça de cactos marrom que apareceu e desapareceu na frente da multidão estava parada no momento.

“Deixando de lado suas fontes, graças a esse guia, nós poderemos pular dois ou três dias de patrulhas. De fato, eu acho isso incrivelmente útil. Porque, durante as patrulhas existe a possibilidade de ocorrer mais mortes.”

Aqui e ali na praça, cabeças de diferentes cores assentiram.

“...Se isso for verdade, os stats numéricos do Boss não são tão ruins. Se SAO fosse um MMO normal, então mesmo se a média de level fosse 3... não, level 5, isso seria suficiente para mata-lo, eu acho. Então, se nós fizermos nossas táticas corretamente e trouxermos POTs16 suficientes para a luta, é possível para nós derrotarmos ele sem nenhuma morte. Não, desculpe, nada disso. Não vão haver mortes, absolutamente nenhuma. Isso, eu prometo a vocês com a minha honra de cavaleiro!”

Palmas altas continuaram com ‘Yo, cavaleiro-sama!’ e outros vivas. O fato de que Diabel era alguém com boa liderança era algo que até mesmo um jogador solo rebelde tinha de aceitar. Guilds17 não poderiam ser formadas até o terceiro andar, mas quando chegar a hora uma guild impressionante de conquista provavelmente será formada...

Eu estava sentindo vários graus de admiração como esse, mas como o cavaleiro continuou falando, eu engasguei um pouco.

“- Então, é um pouco rápido demais, mas estou pensando em começar a verdadeira reunião de estratégia de conquista agora mesmo! De qualquer forma, se não fizermos um grupo de ataque, não poderemos dividir nossos deveres, certo? Primeiro todos façam um grupo com seus amigos ou pessoas próximas de vocês!”

.......O que foi que ele disse?

Com essa simples frase que me lembrou das vezes durante minhas aulas de ginástica no passado, eu rapidamente calculei na minha cabeça. Em SAO, um grupo continha 6 pessoas, e tinham 44 pessoas aqui, então... Se quisessem ser mais balanceados , o melhor seria 4 grupos com 6 membros e 4 grupos com 5 membros. Mas mesmo que fosse isso, o líder não especificou.....

Meus pensamentos acelerados sobre o assunto enquanto eu estava parado foram inúteis no final. Porque, em menos de um minuto depois das instruções de Diabel, 7 grupos de 6 pessoas foram rapidamente formados. Entendendo que o cavaleiro queria formar grupos de 6 desde o princípio, até Kibaou, que era um lobo solitário, não importasse como você olhasse para ele, e Agil que deu a impressão de um gigante gentil, encontraram 5 amigos rapidamente. Talvez a única pessoa que não disse ‘Vamos lutar juntos’ realmente fosse eu-

Não, isso não estava certo.

Quando eu olhei ao redor com um olhar cabisbaixo, eu descobri a usuária de rapier encapuzada por perto sozinha, e rapidamente me aproximei dela.

“....Então, você foi deixada de fora também, huh?

Para minha pequena consulta, um olhar quente e zangado foi dirigido a mim debaixo de seu capuz, e ao mesmo tempo uma voz suprimida respondeu.

“.....Não deixada de fora. Todas as pessoas ao meu redor pareciam ser amigos umas com as outras, então eu simplesmente abstive-me.”

É isso que deixado de fora significa-

Eu, sabiamente, me impedi de responder dessa forma, e em vez disso apenas assenti seriamente e disse.

“Então, o que você acha de formar um grupo comigo? O ataque tem até 8 grupos; se não fizermos isso então não poderemos nos juntar.”

Parecia que atacar de uma forma sistemática como essa era correto, visto que a usuária de rapier hesitou só por um momento, antes de ela debochar e dizer.

“Se você me convidou, eu vou ter que aceitar.”

A expressão competitiva infantil que dizia ‘você me perguntou primeiro, portanto você faz o pedido’ que ela deu era algo que eu já tinha experiência do mês passado, então eu assenti e toquei o cursor colorido dela na minha vista e mandei o pedido de convite para grupo. A usuária de rapier apertou OK com um gesto curto, e depois do lado esquerdo da minha vista, uma segunda barra de HP pequena apareceu.

Eu olhei para as pequenas letras do alfabeto mostradas abaixo dela.

[ASUNA]. Esse era o nome da misteriosa esgrimista que possuía a habilidade de velocidade lendária <<Linear>>.


A liderança do cavaleiro Diabel era muito boa não apenas com discursos, mas também com pequenos detalhes práticos.

Ele checou todos os 7 grupos completos de 6 pessoas, e com apenas o menor numero de trocas formou 7 grupos especializados. 2 grupos com Tankers18 com armaduras pesadas. 3 grupos de ataque com alta mobilidade e alto dano. E finalmente, 2 grupos de suporte com armas longas.

Os dois grupos de Tank trocam turnos sendo o alvo do do Boss Kobold Lord. 2 dos grupos de ataque de alto dano se concentrariam no Boss, enquanto o 3º mataria os sentinelas primeiro. Os grupos de suporte usariam principalmente a habilidade de retardo com as armas de longo alcance, e interromperiam os ataques ou do Boss ou dos sentinelas quando possível.

Embora simples, este plano não tinha muitas falhas, e eu achei uma boa estratégia. Enquanto eu estava perdido em admiração, o cavaleiro veio por ultimo para o bom-para-nada grupo de duas pessoas (claro, eu e a usuária de rapier), e depois de parecer estar perdido em seus pensamentos por um instante, disse agradavelmente.

“Vocês dois, por favor, deem suporte ao grupo E para se ter certeza que não restem nenhum dos guardas Kobold, okay?”

Em outras palavras, ‘Não interfiram com a luta do Boss e fiquem quietos na retaguarda’ foi o que eu senti que suas palavras significavam. Sentindo que a usuária de rapier, que aparentemente era chamado de <<Asuna>>, ao meu lado estava para dar uma resposta não amigável, eu a parei com uma mão e respondi com um sorriso.

“Entendido. Este é um papel importante, conte conosco.”

“Sim, estou contando com vocês.”

Com seus dentes brancos brilhantes, o cavaleiro retornou à fonte. Naquele momento, perto da minha orelha esquerda, eu ouvi uma voz tingida com um tom perigoso.

“...Que papel importante. Vai acabar sem conseguirmos dar um único golpe no Boss.”

“N-Nós não podemos fazer nada a respeito, só temos duas pessoas. Não tem nem tempo suficiente para Troca e rodízio de POT16.”

“....Troca? POT?...”

Escutando esse sussurro em tom de pergunta, eu mais uma vez pensei. A usuária de rapier realmente deixou a Starting City como uma completa iniciante sem nenhum conhecimento, e lutou até aqui sozinha. Com apenas 5 rapiers compradas na loja sem melhoramentos, e contando com apenas uma habilidade <<Linear>>-

“Eu te explico em detalhes depois. Se conversarmos aqui, nunca vai acabar.”

Eu estimei que sua resposta seria ‘Desnecessário’ com uma probabilidade maior que 50% mas a usuária de rapier permaneceu em silêncio por alguns segundos, então assentiu.

A segunda reunião de estratégia para o Boss terminou depois de um pequeno cumprimento entre os lideres de cada grupo que foram designados de A a G e depois que o plano de como o col e os itens ganhos na batalha do Boss seriam divididos foi estabelecido. O gigante usuário de Axe, Agil, era o líder do Grupo B de Tank, e Kibaou, que tinha uma inimizade por Jogadores Beta Originais era o líder do grupo atacante E. Visto que o objetivo do grupo E era matar os Guardas Kobold, isso significava que a usuária de rapier e eu, o par restante, daria suporte a Kibaou. Para falar a verdade, ele era um oponente que eu não iria querer ficar muito próximo, mas ele não sabia que eu era um Jogador Beta Original – ele não deveria saber. Em uma nota lateral, a face do <<Rato>> não estava entre o grupo de ataque. Claro, eu não quis criticá-la. Com aquele <<Guia de estratégia>>, seu dever estava bem cumprido.

Para a distribuição dos drops, nós adotamos a regra simples de ‘Col será automaticamente dividido igualmente entre os 44 membros do grupo de ataque enquanto cada item pertencerá à pessoa que o receber’. Nos MMOs dos últimos anos, os drops têm um sistema onde ocorre de forma aleatória entre as pessoas que queriam o drop e competiram por ele, mas por alguma razão, SAO usava um método mais antigo, onde o item aparecia de repente diretamente nos pertences do jogador e, além disso, sem que ninguém mais soubesse também. Em outras palavras, se uma regra do tipo <<itens dropados pelo Boss devem ser escolhidos aleatoriamente>> fosse adotada, então a pessoa com o item teria que entregar o item notificando os outros jogadores. Eu testemunhei isso várias vezes durante o período beta, mas é um grande teste de força de vontade. Pelo contrário, na realidade, depois de uma luta contra Boss, ninguém se pronunciaria (em outras palavras, alguém ficaria com o drop), então muitos grupos se separavam de forma estranha.

Diabel, provavelmente para prevenir este tipo de coisa, usou a regra <<Drop para a pessoa>>. Que cavaleiro perspicaz.

Às 5:30 da tarde, a reunião tinha terminado com mensagens como ontem ‘Vamos trabalhar duro!’ e ‘Isso-!’, e depois o grupo se dividiu em trios e grupos de cinco, desaparecendo dentro de bares e restaurantes. Enquanto me movia com meus ombros rígidos e terríveis, me perguntei se essa rigidez era só uma ilusão, ou se meu corpo real realmente estava tenso, embora não importasse de qualquer forma-

“....Então, a explicação, onde vai ser?”

‘O que você disse?’, eu fiquei confuso por um instante, então eu rapidamente encarei a usuária de rapier.

“Ah, é... Qualquer lugar está bom para mim. O que você acha daquele bar?”

“....Não. Eu não quero ser vista por ninguém.”

Aquilo quase me perfurou por um instante, mas então eu recuperei meu espírito ao arbitrariamente complementar a parte que ela omitiu, <<vista junta com qualquer jogador do sexo masculino>> em vez de <<vista junto comigo>>, e eu de alguma forma consegui assentir calmamente.

“Então, o que você acha daquela casa de NPC... mas, alguém pode entrar. Um quarto de hotel pode ser trancado, mas também não está bom pra você, certo?”

“É claro.”

Dessa vez eu sustentei um pequeno dano penetrante daquelas palavras que eram o objetivo da rapier. Visto que isso era um mundo virtual, eu podia de alguma forma manter uma conversa com jogadoras, mas até um mês atrás, eu era um estudante que as habilidades interpessoais eram tão baixas que eu tinha dificuldade até de falar com a minha irmã. Em primeiro lugar, como somente eu, que segui um caminho de jogador solo, terminei nesse tipo de situação? Eu entendi que não havia jeito a não ser entrar em grupos para a luta contra o Boss, mas quando eu pensei sobre isso cuidadosamente, todos os outros 7 grupos contém apenas membros do sexo masculino, então se eu tivesse me juntado a eles não haveria muito com o que me preocupar...

Enquanto eu estava timidamente pensando sobre essas coisas, a usuária de rapier suspirou e continuou.

“...Em todo caso, a maioria dos quartos privados em hotéis neste mundo não podem nem ser chamados de quartos. Um espaço com menos de seis tatames com apenas uma cama e mesa, que custa só 50 col por noite. Comer não importa muito, mas considerando que o sono é genuíno aqui, eu quero dormir num quarto um pouco melhor.”

“É...S-Sério?”

Eu inconscientemente inclinei minha cabeça.

“Se você procurar, você pode achar melhores condições de quarto em algum lugar, certo?”

“Você diz ‘procurar’, mas tem apenas 3 hotéis nesta cidade. Os quartos são todos similares.”

Ouvindo a essa resposta, eu finalmente entendi.

“Ah... Entendi. Você olhou apenas lugares com placas [HOTEL], certo?”

“Sim, considerando que... HOTEL significa hotel.”

“Verdade, mas em andares mais baixos como esse nesse mundo, significa apenas shops onde você pode dormir pelo preço mais baixo por tempo. Há muitos outros quartos além daqueles nos hotéis que você pode alugar com col.”

No instante que eu disse isso, os lábios da usuária de rapier ficaram abertos.

“Wha... V-Você deveria ter dito antes....”

Sentindo que eu finalmente consegui um jeito de contra-atacar, eu sorri e comecei a me vangloriar a respeito do quarto que eu estava atualmente alugando.

“O lugar que eu aluguei nessa cidade fica no segundo andar de uma fazenda pelo custo de apenas 80 col por noite, mas ele tem 2 quartos que vêm com um bônus de beber todo o leite que conseguir, tem uma cama com uma bela vista, e o melhor de tudo tem também um banheiro junto...”

Eu tinha sido levado pela conversa, mas naquele momento.

Estendendo-se para frente numa velocidade impressionante como aquela do <<Linear>> que eu tinha visto nas profundezas da dungeon, a mão da usuária de rapier agarrou a gola do meu casaco cinza com uma força um pouco menor do que a necessária para desencadear o Código de Prevenção de Crime. Então uma voz baixa e rouca saiu forçadamente.

“...O que você disse?”


Capítulo 7[edit]

Embora ela mesma já tivesse dito, Asuna achou que, de todos os atos dentro deste mundo, o único que poderia ser considerado real era <<dormir>>.

Todo o resto era uma imitação virtual. Andar, correr, falar, comer e lutar. Não seria uma mentira dizer que todas essas ações não se passavam de código de dados calculados pelo servidor que faz funcionar o Sword Art Online. Uma vez que, não importasse o que o avatar fizesse, o corpo no mundo real que estava deitado em algum lugar não moveria um único dedo. A única exceção era quando o avatar dormia numa cama, nesse caso, o cérebro real também dormiria. Por isso, ela queria pelo menos dormir em paz, o que era feito quando ela dormia num dos hotéis da cidade – contudo, isso era bastante difícil.

Ela foi pega no calor da batalha enquanto lutava em campos ou dungeons, então ela não tinha tempo de olhar para trás e refletir, mas quando ela retornou a cidade e se deitou numa cama de seu quarto, ela iria inevitavelmente recordar as suas ações de um mês atrás na sua mente. Porque, naquele dia, ela teve uma vontade tão incomum? Porque ela não ficou satisfeita em só tocar o Nerve Gear? Porque ela tinha de colocar o cruel capacete na sua cabeça, e dizer aquela simples frase “Link Start”? – Foi sobre isso que ela pensou.

Ela cairia em um sono superficial enquanto pensava naqueles arrependimentos, e naturalmente via sonhos ruins. Seus colegas de classe, ridicularizando Asuna por ter dado um imenso tropeço num momento tão importante no seu segundo ano de ensino médio, tudo por causa de um mero jogo. Seus parentes, se lamentando por Asuna ter desistido da corrida que continuaria muitos anos além. E – seus pais, encarando o corpo de Asuna em coma na cama de um hospital, com expressões que ela não poderia ver-...

Com um corpo trêmulo, ela iria de repente pular na cama e ver a hora exibida no canto inferior esquerdo da sua visão, indicando que, mesmo que um longo tempo tivesse passado desde que ela foi dormir, o verdadeiro total de tempo que ela tinha dormido era menos de três horas. Depois disso, não importasse quantas vezes fechasse os olhos, ela simplesmente não conseguiria voltar a adormecer. Então de novo, se ela tivesse dormido apropriadamente cada noite, ela não teria sido capaz de lutar ferozmente por três ou quatro dias continuamente nas dungeons.

Portanto, Asuna sempre quis pelo menos gastar o dinheiro que ela acumulou num quarto e cama de boa qualidade. Os quartos nos hotéis desse mundo eram todos apertados e sombrios, com camas feitas de materiais desconhecidos que eram mofadas e duras. Se fosse feito de espuma de poliuretano de alta elasticidade e alta tecnologia italiana... Ou pelo menos algodão normal, ela poderia ter conseguido transformar suas três horas por noite de sono em quatro horas. E falando em coisas que ela queria, ela desejava que tivesse um banheiro ou pelo menos um chuveiro acoplado ao quarto. Mesmo assim, tomar banho aqui não nada mais que uma experiência virtual e seu corpo no mundo real provavelmente era lavado regularmente pelo pessoal do hospital, este era apenas um problema de sentimento. Ela já estava preparada para morrer sozinha nas profundezas da dungeon, mas antes disso ela queria pelo menos uma vez, mesmo que fosse somente virtualmente, mergulhar suas mãos e pés em um pouco de água quente...

- E aquele desejo ardente dela tinha sido atingido diretamente pelas palavras do espadachim de cabelos negros.


“....O que você disse?”

Asuna perguntou com uma voz rouca, enquanto segurava inconscientemente a gola da outra pessoa do espadachim. Se ela não estivesse tendo uma alucinação auditiva no seu cérebro, ela realmente tinha escutado aquilo que o espadachim tinha acabado de dizer...

“T-Todo o leite que você conseguir beber...?”

“Depois disso.”

“T-Tem uma cama com uma bela vista...?”

“Depois disso.”

“T-Tem um banheiro...?”

-Parecia que ela não tinha escutado errado mesmo. Depois de soltar a gola, Asuna continuou como se estivesse ficando impaciente.

“Você disse que o seu quarto custou 80 cols para passar uma noite?”

“S...Sim, eu disse isso mesmo.”

“Quantos desse ainda estão disponíveis nesses alojamentos? Qual a localização? Eu quero alugar um também, por favor me mostre o caminho até lá.”

Naquele momento, o espadachim pareceu finalmente entender a situação. Depois de tossir uma vez, ele fez um rosto estranhamente solene e disse.

“Ah, eu disse que eu aluguei o segundo andar de uma fazenda?”

“...Foi isso que você disse.”

“Eu quis dizer que eu aluguei o segundo andar inteiro. Portanto, não tem quartos livres. A propósito, não tem quartos para alugar no primeiro andar.”

“Wha....”

Naquele momento, ela ficou fraca dos joelhos e mal conseguiu se manter de pé.

“....E-Esse quarto...”

Embora ela tenha dito apenas isso, ele parecia ciente do que tinha sido omitido. Seus olhos se moviam como se estivesse pensando sobre o assunto, e com uma expressão de desculpas ele disse.

“Sobre isso, na verdade, eu já estou satisfeito depois de ter ficado la por mais ou menos uma semana, e eu com certeza daria um quarto para você, mas... a verdade é que, eu paguei adiantado pelo número máximo de dias permitido pelo sistema... vale dez dias de aluguel. E, não tem como cancelar.”

“Wha..........”

Seu corpo vacilou de novo, mas desta vez Asuna resistiu de alguma forma, como se ela estivesse em um grande conflito.

O que o espadachim diante dela tinha acabado de dizer para ela era ‘tem quartos alugáveis além daqueles dentro dos hotéis, e mais que isso, tem também versões de luxo entre eles’. Neste caso, se ela procurasse bastante, poderiam ter quartos alugáveis na vila de Tolbana que ela poderia encontrar. Mas, dezenas de jogadores visando alcançar o próximo andar já haviam se reunido neste vilarejo em multidões. Naturalmente, todos os quartos bons já tinham sido pegos, e esse era justamente o motivo pelo qual o espadachim de cabelos negros tinha pago o aluguel pelo número máximo de dias.

Então, e se ela voltasse a um dos vilarejos anteriores? Mas depois do anoitecer deveriam ter monstros fortes que não deveriam ser subestimados ao perambular pelos campos ao redor, e amanhã de manhã ela tinha a reunião às 10 da manhã na praça da fonte. Apesar de que ela inicialmente tivesse pouco interesse no grupo que enfrentaria o Boss, não era do seu feitio ignorar seu dever e estar atrasada ou ausente, sem aviso prévio – por uma razão tão banal, não menos que isso.

Então, havia apenas uma escolha restante.

Por alguns segundos, Asuna estava em conflito de corpo e alma. Se isso fosse um mundo real, ela não faria tal coisa nem se o céu e a terra virassem de cabeça pra baixo. Mas, este era um mero mundo virtual onde tudo era feito de dados digitais, e seu próprio avatar também não era diferente. Além disso, a pessoa diante de seus olhos não poderia mais ser considerada um completo estranho. Eles tinha camido pão com creme juntos, foram arrastados para o mesmo grupo para a batalha contra o Boss, e, isso mesmo, este homem tinha dito antes que ele explicaria alguma coisa ou outra pra ela mesmo. Se ela usasse essa oportunidade para receber a explicação, poderia servir como uma boa desculpa... certo? Definitivamente. Provavelmente.

Virando para o espadachim cujo olhar estava vagando sem direção como de costume, Asuna de repente baixou sua cabeça – e disse num a altura que de alguma forma poderia ser escutado apenas por ele.

“......Me empreste o banheiro no seu quarto.”


A fazenda que o espadachim de cabelos negros tinha alugado era situada ao longo de um pequeno pasto na parte mais ao leste de Tolbana. Era muito maior do que ela esperava. Se o celeiro e a casa principal fossem postas juntas, o lugar seria tão grande quanto a casa de Asuna na vida real.

Um córrego bonito fluía pelo lado do terreno da fazenda, e a pequena roda hidráulica fazia um som tranquilo enquanto a água passava por ela. Na construção principal de dois andares, vivia uma família NPC no primeiro andar, e a alegre senhora da casa dirigiu um largo sorriso para Asuna quando chegaram à entrada. Havia uma velhinha que estava dormindo numa cadeira de balanço perto da lareira e tinha um [!] dourado – a indicação de uma quest – flutuando acima de sua cabeça que era incomodo, mas ela ignorou por ora.

Asuna seguiu o espadachim até a escadaria enorme para o segundo andar, em que havia apenas uma porta no final de um corredor curto. Quando o espadachim tocou a maçaneta, houve um som de uma fechadura se abrindo automaticamente. Se tivesse sido Asuna a tocar a maçaneta, a porta definitivamente não abriria. Era completamente impossível de destrancar quartos alugados, mesmo com a habilidade de <<Arrombamento>>.

“...B-Bom, por favor entre.”

O espadachim abriu a porta, e fez um gesto de boas-vindas esquisito.

“...Obrigada.”

Expressando sua gratidão em uma voz baixa, Asuna entrou no quarto – e nesse momento, ela gritou involuntariamente.

“O-O Que é isso? Tão largo...... T-Tem uma diferença de apenas 20 cols entre esse quarto e o meu!? N-Não é barato demais....?"

“Ser capaz de encontrar um quarto como esse rapidamente é uma habilidade que vai além das habilidades do sistema... Bem, no meu caso...”

Naquele instante, o espadachim cessou suas palavras anormalmente, então ela virou para olhá-lo, mas ele apenas sacudiu sua cabeça de leve. Asuna olhou em volta do quarto de novo e deixou escapar um grande suspiro.

O quarto em que os dois estavam agora era de pelo menos 20 tatamis19. Se a porta que podia ser vista na parede leste fosse o quarto com a cama, então aquele quarto era certamente mais ou menos do mesmo tamanho. E na parede oeste, tinha uma porta com uma placa [Banheiro] pendurada. Aquelas letras do alfabeto, inscritas em uma forma estranha, pareciam ter liberado um poder mágico atrativo para Asuna. O espadachim rapidamente desequipou sua espada de uma mão da suas costas e o equipamento defensivo nas suas mãos e pés, e confortavelmente afundou seu corpo em um sofá aparentemente macio entre a mobília que era simples, mas possuía um excelente ambiente.

Depois espreguiçar seu corpo, o espadachim olhou para Asuna, que estava perdido em seus pensamentos, e depois limpou a garganta e disse.

“Ãnn, bem, você provavelmente pode deduzir só de olhar, mas o banheiro é bem ali, então... S-Sinta-se a vontade para usá-lo.”

“Ah... o-okay.”

Asuna não conseguia acreditar que ela visitaria o quarto de alguém e de repente correr para o banheiro, mas era tarde demais para se conter agora. Quando ela murmurou “Bom, então” e se dirigiu a porta, a voz do espadachim chamou por ela.

“Oh sim, vou lhe dizer só por curiosidade, mas mesmo sendo chamado de banho, não é o mesmo que na vida real. O Nerve Gear parece ser inadequado em recriar o ambiente líquido... Então, não crie muitas expectativas.”

“...Havendo bastante água quente, eu não desejo nada mais que isso.”

Respondendo com a maior sinceridade, Asuna abriu a porta do banheiro. Ela deslizou para dentro e logo em seguida se afastou da maçaneta com firmeza.

... ... Além da água quente, outra característica do banheiro era que poderia ser trancado.

Ela encarou a porta que estava apenas fechada e considerou adicionar aquela precaução, mas lamentavelmente, era improvável que ela conseguiria fazer aquilo. Ela não conseguia achar qualquer fechadura ou botão perto da maçaneta, e mesmo depois de tocar com a ponta dos dedos para se certificar, parecia que a comando não poderia ser operado por Asuna, que não era o inquilino deste quarto.

No entanto, a presença ou ausência de uma fechadura já era uma insignificância nesta situação. Afinal, ela tinha invadido um quarto que pertencia a um cara que ela tinha acabado de conhecer ontem e estava emprestando seu banheiro. Ela não conseguia imaginar nem a idade nem o caráter do espadachim de cabelos negros – pensando nisso, ela não sabia nem seu nome – mas na pior das hipóteses ele não devia ser do tipo de invadir um banheiro, provavelmente. Bom, mesmo se por algum motivo ele corresse pra cá, ele não conseguiria fazer nada aqui <<dentro dos limites da cidade>> onde o <<Código de Prevenção de Crime>> ou alguma coisa seria ativada, mas...

Pensando até aqui, Asuna finalmente mudou seu olhar da porta, e virou para o sul.

“...Incrível...”

E depois ela involuntariamente falou em uma voz fraca.

Esse quarto também era bastante espaçoso. A metade norte era um camarim, com um tapete grosso estirado no chão e prateleiras de madeira maciça construídas na parede. E o chão da metade sul tinham azulejos feitos de pedra polida, enquanto a maioria dessa parte era ocupada por uma banheira branca no formato de um navio.

No alto da parede de tijolos no oeste tinha uma torneira de água quente no formato do rosto de um monstro, e de sua boca grandes quantidades em cascata de líquido claro. Encheu a banheira até a borda, enquanto o vapor puro branco subia, e a água transbordava das bordas e fluía para um canto do chão de azulejos.

Baseado em senso comum, tais instalações de abastecimento de água quente em grande escala não deveriam existir em uma casa feudal medieval europeia na qual esta foi modelada. Contudo, Asuna não tinha coragem de reclamar dos erros de pesquisas históricas nesse mundo virtual. Ela abriu a janela do Menu Principal com um movimento de mão sem direção, e pressionou o botão para remover todos os seus equipamentos na <<Imagem de Equipamentos>> que era mostrada na metade direita da janela.

Sua capa com capuz que ela sempre se cobria até agora, a armadura de cobre cobrindo seu tórax, ambas as luvas e botas longas, e a longa e delgada espada pendurada na sua cintura; todos desapareceram, e seus longos e lisos cabelos castanhos correram para trás dela. As únicas roupas que restaram foram uma túnica de lã com mangas de três quartos e uma calça de couro longa apertada. O botão que ela acabou de pressionar mudou para <<Remover toda a roupa>>, então ela pressionou novamente. A túnica e as calças desapareceram, restando apenas duas peças simples de roupas íntimas de algodão.

Asuna olhou para a porta mais uma vez, e então pressionou o botão que tinha mudado mais uma vez para <<Remover toda roupa íntima>>. Com apenas 3 operações, seu avatar se tornou sem equipamentos, e uma sensação virtual de frio roçou sua pele nua. No estranho castelo nomeado e conhecido como Aincrad, as quatro estações era sincronizadas com a realidade, e pelo fato de que o mundo real estava no começo de dezembro, a temperatura do quarto era bem baixo.

Ela correu depressa pelo banheiro, e no momento em que ela subiu na borda da banheira de cerâmica e submergiu sua perna esquerda na água quente, os sinais sensoriais complicados que eram gerados a partir disso atingiram o topo da sua cabeça. Resistindo a tentação de mergulhar seu corpo inteiro na água, ela primeiro colocou sua cabeça debaixo da água saindo da torneira. Com a sensação de calor envolvendo a superfície de seu corpo inteiro, a diferença de temperatura do ar a sua volta desapareceu. –

*Splash*

Sword Art Online Progressive Vol 1 - 089.jpg

Ela se abaixou dentro da água quente.

“...Uaaaa...”

Asuna não poderia evitar ao soltar outro gemido baixo.

De fato, como o espadachim de cabelos negros tinha dito, a sensação de tomar banho no mundo real não poderia ser reproduzida. A sensação da água quente na pele, a pressão da água contra o corpo, e o reflexo da luz na superfície da água; todos eles deixaram uma subta sensação de incongruência.

Mas, a <<sensação de tomar um banho>>, que era pré-definida a um certo alcance, como comer, parecia ser mandado ao seu cérebro e quando ela fechava os olhos e esticava seus braços e pernas, a diferença era tão banal que ela nem se importava mais. Este era um banho. Mais ainda, era uma versão de luxo de uma banheira de 2 metros de comprimento com uma luxuosa água que corria livremente.

Enquanto afundava dentro d’água quente até sua boca com seus olhos fechados e com seu corpo completamente relaxado, ela começou a pensar.

- Mesmo se eu morrer agora mesmo está tudo ótimo. Não tenho nada mais que me arrepender.

Desde que ela deixou a Starting City duas semanas atrás, tinha um pensamento que estava constantemente ali. Terminar esse jogo da morte era uma tarefa impossível; assim, todas as dez mil pessoas presas aqui iriam eventualmente morrer. Era só uma questão de tempo, então tudo nesse mundo virtual é falso e sem significado. Nesse caso, seria melhor continuar avançando e avançando de forma imprudente, até alguém entrar em colapso e não conseguir mais se mexer, e depois morrer.

Lembrando-se das <<reuniões de estratégia>> que foram realizadas ontem e hoje, Asuna era bastante indiferente em relação à coragem. Ela não se importava quem eram os jogadores beta (que ela não sabia bem o significado) ou como os itens eram distribuídos. O que eles iriam tentar enfrentar amanhã no domingo era a maior barreira e a final do Primeiro Andar de Aincrad que, até agora, tinha acabado com duas mil pessoas. Não era possível concluir algo como aquilo com umas quarenta e poucas pessoas, e, além disso, apenas na primeira batalha. Tinha uma grande chance de aniquilação total, e mesmo que não chegasse a tanto, uma derrota era inevitável.

Tomar um banho era algo que ela queria aponto de desviar muito do seu comportamento habitual, em outras palavras, um desejo que ela queria realizar <<pelo menos uma vez antes de morrer>>. Agora que tinha se tornado realidade, ela não tinha mais arrependimentos em desaparecer desse mundo na batalha contra o Boss amanhã.

- Aquele pão coberto de creme.

- Antes de morrer, eu quero comê-lo mais uma vez.

Esse desejo que apareceu de repente de dentro do peito dela confundiu Asuna. Ela abriu os olhos, e levantou um pouco seu corpo da água quente.

O gosto, de fato, não era mal. Mas, era uma imitação total. Seus olhos viram apenas polígonos, e os sinais de gosto eram pré-determinados. Entrando nesse assunto, até esse banho era o mesmo. O que parecia água quente não passava de fórmulas matemáticas que criavam sua permeabilidade e reflexo. O calor envolvendo seu corpo todo era também na realidade a enumeração de sinais eletrônicos emitidos do Nerve Gear.

Mas... Mas.

No mundo real que ela vivia até uma mês atrás, ela já tinha desejado tanto alguma coisa para comer tanto quanto agora? Já teve um desejo tão forte de tomar um banho tão forte quanto o que ela teve?

Os ingredientes orgânicos que ela tinha movido em direção a sua boca enquanto conversava com seus pais mesmo que não quisesse comer, e o pão coberto com creme virtual que seu corpo desejava tanto que sua boca salivava. Qual deveria ser considerado mais <<Real>>...?

Asuna estava surpresa com a sensação que ela agora considerava de alguma maneira muito, muito importante, e ela calmamente prendeu a respiração.


Capítulo 8[edit]

Pensar que eu seria forçado a esse teste de resistência conter minha vontade de olhar no banheiro.

Conforme meu corpo afundava fundo no sofá na sala de estar, eu usei toda a minha energia mental e tentei manter a concentração no <<Guia de estratégia da Argo: Edição do Boss do Primeiro Andar>> que eu tinha adquirido hoje. Porém, apesar de ler a mesma linha de japonês simples, meu cérebro não processava o que estava escrito.

-Bom... Pelo menos isso prova que este lugar não é o mundo real.

Por exemplo, supondo que isso fosse na minha casa em Kawagoe, Prefeitura de Saitama, que minha mãe e irmã mais nova estivessem ausentes, e que tivesse uma colega da escola tomando um banho no meu banheiro por alguma razão. Nestas circunstâncias, o que eu faria? É óbvio. Eu sairia pela porta da frente em silêncio, pegaria minha bicicleta, e andaria o mais veloz possível em direção a rua da prefeitura nº 51 no distrito de Arakawa.

Mas felizmente, este era o segundo andar de uma fazenda grande construída na periferia de Tolbana no primeiro andar do castelo flutuante de Aincrad, e eu não era um estudante gamer maníaco, em vez disso, o espadachim Kirito. Meu corpo era apenas um avatar num mundo virtual, por isso nada aconteceria mesmo depois que Asuna saísse do banheiro. Não, bem, a possibilidade não era zero de que isso poderia ser uma armadilha bem elaborada e que quando fosse minha vez de tomar banho ela desapareceria com o conteúdo do meu baú na sala de estar, mas a caixa continha apenas um série de itens de nível baixo que eu consegui de pequenos monstros. Pensando bem, eu não tenho motivo para ir ao banheiro. Quando ela sair, eu vou dizer “Muito bem, vamos trabalhar duro amanhã”, mostrar o caminho até a saída e pronto. É isso.

Tremendo minha cabeça eu voltei minha atenção para guia na mesa, mas, nesse momento.

Da porta da frente – não da do banheiro, mas a que levava ao corredor lá fora – um tap, tap-tap-tap.

O som de alguém batendo na porta. Mas quem quer que esteja batendo na porta não poderia ser a proprietária da casa. Este ritmo era o sinal que eu e uma certa pessoa tínhamos concordado.

Surpreso, meu corpo todo tremeu, e eu timidamente me virei para olhar a porta grossa de carvalho – para olhar para Argo the Rat, que estaria de pé do outro lado da porta.

- Eu poderia escapar pela janela ao sul para o jardim da frente, saltar montando no burro amarrado ao estábulo, e galopar a toda velocidade pelo caminho que levava à floresta para chegar até a área da dungeon.

Eu não podia negar que por um segundo eu considerei essa opção. No entanto, cavalgar em SAO era extremamente difícil. Eu ouvi falar que a habilidade de cavalgar pode ser treinada e melhorada gradualmente, mas eu não tenho espaço dentro dos meus slots de habilidade para adicionar uma habilidade de hobby.

Portanto, enquanto eu levantava do sofá, eu primeiramente olhei na direção do banheiro para avaliar a situação. Nesse exato momento, do outro lado desta porta, a usuária de rapier Asuna-san estava tomando um banho relaxante. Se Argo soubesse disso, ela definitivamente escreveria coisas como <<Kirito é o tipo do cara que traz uma mulher que ele acabou de conhecer para o seu quarto>> nas suas anotações. Se essa informação se espalhasse, minha reputação como jogador solo estaria completamente arruinada.

Felizmente – poderia se dizer, todas as portas neste mundo é perfeitamente à prova de som dentro de certas condições. Até onde eu sei, os únicos três sons que poderiam atravessar as portas eram ① um grito ② batida na porta e ③ o som de combate. Os sons da fala normal ou o som da água do banho não poderiam ser escutados mesmo que pressionasse o ouvido contra a porta.

Portanto, mesmo que eu a deixasse entrar, ela não deveria perceber que um jogador estava aqui usando o banheiro no outro cômodo. Se, por alguma razão, a usuária de rapier saísse de lá enquanto Argo estivesse aqui – eu vou definitivamente pular pela janela, e fugir no burro.

Tomando uma decisão na mesma velocidade que eu uso para tomar decisões numa batalha, eu fui em direção à porta para o corredor e, com uma decisão tomada, eu a abri. Ao ver o rosto da pessoa do outro lado, eu disse.

“Que coisa, você veio até aqui para visitar meu quarto.”

Eu disse a frase que eu já tinha preparado em minha mente. A marca registrada no rosto da informante <<Argo the Rat>> se contorceram de um jeito suspeito, mas ela imediatamente deu de ombros e respondeu.

“Sim. O cliente quer ouvir sua resposta hoje a todo custo.”

Sem mais nem menos, Argo entrou no quarto despreocupada e sentou com um baque no sofá que eu tinha acabado de levantar. Eu fechei a porta, fui até um canto do quarto enquanto ainda resistia a vontade de olhar pelo no banheiro, e servi dois copos com leite fresco de uma jarra grande. Eu os trouxe até o sofá, colocando-os na mesa. Ela levantou uma sobrancelha e riu.

“Para ki-bou, isso com certeza foi muito atencioso. Por acaso você não colocou nenhum sonífero aqui não é?”

“...Esse tipo de coisa não teria efeito algum em jogadores. Além disso, eu não poderia fazer nada enquanto estivesse adormecida dentro dos limites da cidade.”

Dessa vez, Argo bateu palmas e disse “Bom, isso é verdade” enquanto assentia. Levantando o copo, ela bebeu tudo com um só gole.

“Obrigada pela bebida. Esta bebida ilimitada com certeza tem um ótimo gosto. O que você acha de colocar em recipientes e vender para outros jogadores?”

“Infelizmente, quando você sai da fazenda, sua duração acaba depois de cinco minutos. Além disso, o líquido restante apodrece em vez de desaparecer...”

“Ho, eu não sabia disso. Parece que não há nada mais assustador que coisas gratuitas.”

...Conforme ela falava, meu coração apertava com a simples idéia de ‘Se apresse e vá direto ao assunto!’, mas se ela decobrir que eu estou pensando isso, quem sabe o que ela faria. Com uma expressão inocente, eu peguei o <<Guia de Estratégia do Argo: Edição do Boss do Primeiro Andar>> que eu tinha deixado na mesa, e apontei para ele.

“Falando em coisas gratuitas, o que você acha disso? Embora seja grato a você toda vez que eu compro, eu sempre comprei este livro por quinhentos col... Ainda assim, na reunião de ontem, aquele usuário de axe Agil disse que esses livros são distribuídos gratuitamente, não disse?”

Ouvindo o meu tom ligeiramente ressentido, o Rato riu com um “nishishi”.

“Isso é por causa das vendas da primeira edição de Ki-bou e de todos os outros jogadores das linhas de frente, daí lancei uma segunda edição. Mas não se preocupe, apenas a primeira edição tem o autógrafo da Argo-sama.”

“....Entendo, então no futuro eu não vou comprar mais.”

-Em outras palavras, a edição gratuita é o jeito de Argo se responsabilizar como um jogador beta. Embora eu quisesse ir mais a fundo e perguntar um pouco mais, havia um clima de tabu entre eu e Argo em expressar a palavra beta. Não, eu não devo ter direito nenhum de perguntar, visto que eu não fiz nada antes para contribuir como um jogador beta.

O clima ficou momentaneamente tenso. Argo balançou seu cabelo castanho dourado e mudou o assunto.

“Bom, então eu acho que é hora de ir ao assunto principal.”

Enquanto gritava em silêncio ‘prossiga, prossiga, prossiga!’ eu assenti gentilmente.

“Bom, eu acho que o cliente está num ponto em que está sendo atencioso. O tópico em questão é sobre seu desejo em comprar a espada de Ki-bou... Se você vender para ele hoje, o cliente vai comprar por trinta e nove mil e oitocentos col.”

“.....Tr...”

‘Três nove oito?’ Eu quase não consegui me impedir de dizer isso. Depois de respirar fundo, eu pensei seriamente por alguns segundos, e disse.

“.....Eu não pretendo insultar você, mas... Não é algum tipo de golpe? Por mais que você queira, a espada não valia quarenta mil col. Afinal, o preço de uma <<Anneal Blade>> original deveria ser em torno de quinze mil col, certo? Adicionando outros vinte mil col a isso, e você consegue comprar os materiais para aprimorá-la para +6 de maneira segura. Embora demore um pouco, eu acho que trinta e cinco mil dá para comprar uma espada parecida com a minha.”

“Eu também disse isso três vezes ao cliente.”

Argo tinha uma expressão no rosto como quem dizia ‘Não entendo!’ ao mesmo tempo em que fazia um gesto com os braços representando a mesma indignação.

Quando eu cruzei os braços e encostei minhas costas no sofá, toda aquela ideia do banheiro e toda aquela confusão saíram da minha mente e fiquei perturbado. Neste assunto, sou absolutamente contra diminuir meus bens. Mas, esquecer esse mistério parecia mais repugnante. Decidindo o que fazer, falei com a melhor informante de Aincrad.

“...Argo, eu quero saber o nome do seu cliente por mil e quinhentos col. Por favor cheque com o seu cliente se ele vai querer aumentar o preço.”

“...Entendo.”

Argo assentiu, abriu sua janela, e digitou rapidamente antes de mandar a mensagem instantânea.

Depois de um minuto, um lado de suas sobrancelhas se contraiu quando ela leu a resposta, e então deu de ombros.

“Ele não se importa em você saber o nome dele.”

“.........”

Num estado de ‘Eu não me importo mais’, eu abri minha janela também e materializei mil e quinhentos col. Eu empilhei as seis moedas que os representavam na frente de Argo.

Pegando nas moedas casualmente com a ponta dos dedos, Argo depositou uma a uma no seu inventário. Depois de assentir com um “De fato” – ela disse.

“...Ki-bou, você já conhece seu rosto e nome. De ontem, quando ele fez um tumulto na reunião.”

“...Poderia ser... Kibaou?”

Ao escutar meu sussurro, Argo claramente assentiu.

-Kibaou. O homem que queimava com intensa hostilidade contra os jogadores beta. Aquele cara quer comprar minha espada pela larga quantia de quarenta mil col?

Certamente a espada que ele carregava nas costas era do mesmo tipo que a minha, <<Espada longa de Uma Mão>>. No entanto, ontem deveria ter sido a primeira vez que nós tínhamos nos encontrado. Ainda assim Argo ofereceu este negócio uma semana atrás...

Esta informação que eu tinha obtido por 1500 col me fez mais confuso ainda. Argo, sentando de pernas cruzadas no sofá enquanto me olhava em choque, falou comigo como se tivesse me lembrando.

“...Então eu acho que isso significa que você a rejeita a oferta pela espada também?”

“Sim...”

Claro, independente do preço, eu não tinha intenções em vender minha amada espada. Eu assenti no semi-automático, e Argo se levantou sem dizer nada.

“Bom então, me desculpe por lhe incomodar com isso. Eu espero que esse guia de estratégia seja útil para você.”

“Sim...”

“Então, desculpe perguntar mas, antes de ir, eu gostaria de usar aquele outro aposento. Eu quero equipar meu equipamento noturno.”

“Sim....”

-Se eu fizesse um esforço, eu de fato tinha achado que durante a reunião de ontem, enquanto Kibaou estava lá na frente de todos, seu olhar parou em mim por um momento. Então aquele olhar não era pelo fato de suspeitar que eu fosse um jogador beta, mas sim para olhar a minha espada... Era isso? Não, talvez fosse pelos dois motivos...

-Espera um pouco. O que Argo acabou de dizer?

Enquanto oitenta por cento da minha atenção estava em Kibaou, eu olhei sem entender.

No canto da minha visão, eu vi Argo a ponto de girar a maçaneta. A porta não era nem a que levava ao corredor lá fora, nem a porta do quarto na parede leste – era a porta com uma placa dizendo Banheiro pendurada nela.

Diante de meus olhos enquanto eu assistia perplexo, a pequena figura de Argo entrou no banheiro e desapareceu.

Três segundos depois-

“Waaaaaaaaah!?”

Uma voz surpresa, e.

“....Kyaaaaaaaaaaa!!”

Um grito terrível sacudiu a casa toda. Subsequentemente, um jogador que não era Argo voou para fora da porta.

Eu não tenho lembranças do que aconteceu depois disso.


Notas de tradução[edit]

1 Drop: em muitos jogos, após matar um monstro você recebe itens e dinheiro, esses são os drops do monstro; existem jogos que você recebe automaticamente o drop e outros que o monstro faz o drop no chão e você tem que pegá-lo.

2 MMORPG: Massive Multiplayer Online Role Playing Game, jogo no estilo RPG jogado online com várias pessoas ao mesmo tempo.

3 Dungeon: pode ser traduzido como masmorra, caverna dentre outros; a ideia é de um lugar fechado e escuro.

4 VR: virtual reality, realidade virtual

5 Quest: missões dadas durante o jogo com recompensas, geralmente itens raros ou gold (no caso col).

6 FullDive: Poderia ser traduzido como imersão total.

7 Gold: Ouro. Geralmente em jogos, os jogadores não se referem a moeda local como ‘money’ (dinheiro), geralmente usam o termo gold para substituí-lo.

8 INNER AREA: Área interna, área protegida pelo sistema.

9 Throwing nails: São pregos que são lançados. Num dos episódios do anime o personagem principal os usa para matar o monstro que dropou o item raro classe S.

10 <<Sharpness>>, <<Quickness>>, <<Accuracy>>, <<Heaviness>> e <<Durability>>: Respectivamente <<Amolamento>> (a ideia aqui é o tanto que a arma está afiada), <<Velocidade>>, <<Precisão>>, <<Peso>> e <<Durabilidade>>.

11 Só para esclarecer, aqui a referência é a um comando.

12 A palavra “Kiba” significa “presa, dente” em japonês e “Ou” significa “Rei”.

13 18% pois, 1700 mortos / 9000 jogadores novos. Da mesma forma, 40%: 300 mortes beta / 700 ou 800 jogadores beta (estimativa dos que continuaram depois do período beta). Essa última divisão da um valor entre 37 – 42%.

14 Scimitar – Arma tipo um sabre com uma lâmina curva.

15 Halberd – Um tipo de arma de duas mãos.

16 POT – POTs são itens usados para cura, para recuperar o HP.

17 Guild – Em jogos de MMORPG, guilds são grupos grandes de pessoas que se juntam com algum objetivo no jogo. Exemplo KOB.

18 Tankers – Tank é um termo usado para representar jogadores que sofrem tomam dano para que outros jogares possam causar dano no adversário. Normalmente são jogadores que focam em manter um alto HP e uma alta defesa.

19 20 tatamis – aproximadamente 30 metros quadrados.