Sword Art Online ~Brazilian Portuguese~:Volume 3 Capitulo 4

From Baka-Tsuki
Jump to: navigation, search

Capítulo 4[edit]

Assistindo Kirito lutar, Lyfa estava tão chocada quanto paralisada.

Eles estavam nos céus próximos ao fim da Ancient Forest a nordeste do território Sylph; um poucos mais e eles passariam para o planalto vizinho. Sylvain já estava muito atrás deles e, não importa o quanto você forçasse seus olhos, a torre de jade já não podia ser vista.

Eles estavam entrando nas profundezas da então chamada zona neutra, onde os monstros eram mais poderosos e possuíam um nível maior. Kirito estava lutando contra três lagartos alados de um único olho, «Evil Glancer», simultaneamente. A força deles quase equivalia a de um chefe dos calabouços mais baixos do território Sylph.

Deixando de lado a força básica deles, o verdadeiro problema eram os seus grandes olhos que lançavam o ataque «Evil Eye» – um tipo de magia que reduzia significamente os status do jogador por um certo período de tempo quando o acertava. Lyfa estava mantendo distância, agindo como suporte. Sempre que Kirito fosse atingido pela maldição, Lyfa utilizaria um outro encanto, mas, honestamente, não havia necessidade para isso pelo que estava acontecendo no ar.

Para Kirito, cujo nível como espadachim estava próximo ao seu, palavras como defesa e evasiva não existiam no seu dicionário; como se fosse um berserker, os lagartos caiam um atrás do outro. Ele simplesmente não se importava com os ataques a longa distância dos largartos, e quando eles usavam suas caudas; ele os atravessava, atacando com a sua espada, fazendo com que muitos lagartos fossem pegos em um único ataque, virando pedacinhos. Com todo esse poder nos ataques, o que eram cinco lagartos no começo, se tornou apenas um. O último tentava fugir e tinha ainda 20% de HP. Ele gritou de forma miserável como se pedisse refugio na floresta, mas Lyfa levantou sua mão esquerda, ativando uma magia de longa distância do tipo buscador.

Quatro ou cinco lâminas parecidas com bumerangues rapidamente atingiram o lagarto e o cortaram em pedaços. Um pouco depois, o corpo azul do réptil começou a se partir em vários polígonos azuis de luz, sinalizando um fim rápido para a quinta lutado do dia.

Um longo som metálico acompanhou o guardar das espadas, Lyfa levantou sua mão direita em direção de Kirito que se aproximava no ar.

“Bom trabalho—”

“Obrigado pela cobertura—”

Suas mãos se encontraram no ar em um cumprimento e eles trocaram sorrisos.

“Mas como eu posso descrever... Seu estilo de luta é muito imprudente.”

Ouvindo o que Lyfa disse, Kirito coçou a cabeça.

“É-É mesmo?”

“Geralmente, é melhor atacar, e correr, e usar táticas de evasão, mas você apenas ataca e ataca!”

“Em troca, nós acabamos mais rápido... Então, tudo bem, não?”

“Isso deve funcionar em situações com monstros iguais como hoje, mas se você, por exemplo, avançar contra um grupo de monstros com combinação de combate a curta e a longa distância isso se tornará perigoso. Se nós tivermos de lutar contra um grupo de jogadores, então eles usarão magia, então, tome cuidado.”

“Magia—não dá para apenas evitá-la?”

“Há muitos tipos de magia de longa distância; magias baseadas em poder vão em linha reta, então você pode ler a direção e evitá-las, mas se forem magias de ataque do tipo área ou buscador isso será impossível. Caso haja um mago que usa esses tipos de magia, é melhor você manter-se em alta velocidade no momento em que as direções mudarem.”

“Hmmm... Parece que tem muita coisa para lembrar.”

Kirito coçou a cabeça tendo no rosto uma cara que parecia a de uma criança tendo dificuldades para resolver um problema difícil.

“Bem, você vai ser capaz de pegar isso rápido... Eu acho, afinal, Você tem uma intuição muito boa e olhos afiados. Você pratica esportes ou algo assim na vida real?”

“N-Não, não mesmo.”

“Hmm... Certo. Então vamos indo.”

“Ok.”

Eles assentiram um para o outro e começaram a bater suas asas, voltando a se mover. Sob o sol nascente, o matagal verde-dourado começou a emergir em meio a floresta. Sem encontrar nenhum monstro depois disso, os dois finalmente saíram da Ancient Forest e entratram em uma região montanhosa. Próximos ao limite do tempo de voo, eles pousaram em uma campina próxima ao pé de uma montanha.

Assim que as solas alcançaram a grama no pouso, Lyfa levantou ambos os braços e se espreguiçou. Mesmo que o seu corpo não tivesse tais membros, a base das asas estavam misteriosamente fadigadas pelos longos voos. Alguns segundos depois, Kirito também pousou e, de modo similiar, endireitou as suas costas.

“Fufu, já está cansado?”

“Não, ainda não!”

“Certo, vamos dar o nosso melhor... Era isso o que eu queria dizer, mas nós vamos ter que dar um tempo nas nossas viagens aéreas.” Kirito levantou suas sobrancelhas com a fala de Lyfa.

“Eh, Por quê?”

“Está vendo essa montanha?”

Lyfa apontou para o fim da campina, mais alto e mais alto, até os picos nevados das monhtanhas.

“Voar é restrito pela altura. Nós não podemos voar mais por cima das montanhas, então vamos ter que passar por uma caverna e atravessar a montanha por dentro. Parece ser a parte mais perigosa quando se viaja do território Sylph para Aarun. Eu não tenho certeza, porque é a primeira vez que venho aqui também.”

“Entendo... Esse túnel, ele é muito longo?”

“Consideravelmente, mas tem uma cidade de mineiros neutra no meio, então nós poderemos descansar ali. Kirito-kun, até que horas você pode ficar?”

Kirito chamou pelo menu com sua mão esquerda e checou o relógio, assetindo.

“No mundo real são sete em ponto. Está tudo bem por mim.”

“Certo, então vamos tentar ir um pouco mais longe. Vamos fazer uma ‘Alternação de Saídas’ aqui.”

“Al-Alternação?”

“Ah, nós vamos fazer turnos para sair e descansar. Como essa é uma zona neutra, não podemos sair instanteamente. Por isso, quando uma pessoa sair, a outra vai defendendo o avatar que fica em um estado de inatividade.”

“Entendi. Lyfa, por favor, vá primeiro.”

“Tá, eu agradeço pela gentileza. Eu fico ao seus cuidados por uns 20 minutos!”

Terminando, Lyfa chamou a janela e pressionou o botão de sair. Quando ela tocou a parte na mensagem de alerta dizendo “SIM”, os arredores começaram a se desfocalizar e desaparecer.

Sentada na cama depois de se levantar, Suguha removeu o Amusphere e saltou da cama. Descendo as escadas em silêncio, Suguha confirmou que o primeiro andar estava vazio. A revisão final da revista do dia ainda estava sendo feita, então Midori não tinha voltado para casa ainda e Kazuto estava provavelmente no quarto, então o primeiro andar estava em silêncio.

Abrindo a geladeira, Suguha tirou duas cenouras, presunto, queijo e vegetais, um atrás do outro. Rapidamente cortando o pão ao meio, ela colocou dentro mostarda, adcionou o presunto e colocou um sanduíche completo no prato. Depois, esquentou um pouco de leite que estava guardado, Suguha foi até as escadas, olhou para o segundo andar e gritou:

“Onii-chan, você quer alguma coisa para comer?”

... Mas não houve resposta. Ele deve estar dormindo, ela encolheu os ombros e voltou a cozinha. Colocando o agora aquecido leite dentro de um copo, ela se sentou ali, na sala, com um prato a sua frente. Depois de noventa segundos, ela terminou o seu jantar. Colocando o prato e o copo na maquina de lavar, ela correu para o banheiro. Mesmo sendo um mundo virtual, se você lutar por muito tempo, você irá suar e sofrer com o stress. Depois de tanto tempo, as roupas começam a ficar pegajosas se não forem lavadas e trocadas.


Sword Art Online Vol 03 - 207.jpg

Suguha tirou suas roupas e pulou no chuveiro em uma velocidade supersônica, a água quente do chuveiro começou a descer em sua cabeça.

Na verdade, se ela jogasse tanto VRMMO a ponto de interferir na sua alimentação e nos banhos, Midori, sua mãe, iria brigar com ela. Por isso ela evitava juntar-se a grupos de eventos muito longos. Entretanto, dessa vez, ela não pode evitar. Ela provavelmente viajaria com Kirito amanhã e talvez depois de amanhã se isso piorasse. Talvez, devido a sua personalidade, Suguha não conseguia permanecer em grupos que durassem muito tempo, pois logo ela se sentia desconfortável. Mas, por alguma razão misteriosa, isso não estava acontecendo. Na verdade...

... Ela estava animada.

Suguha pensava enquanto seus olhos permaneciam fechados, sentido o toque da água quente na sua pele.

Abrindo seus olhos, suas pupílas negras encaravam o espelho na sua frente. Refletido ali, estava um misto de animação e mal-estar.

O físico da verdadeira Suguha era sem dúvidas grande para um praticante de kendo, até mesmo comparado ao espirito de vento Sylph, Lyfa, ela obviamente tinha ossos grandes. Seus ombros, seu estômago e seu tronco, sempre que eram movidos, faziam surgir as linhas dos músculos desenvolvidos e, em cima, ela sentia que seus peitos tinham crescido muito recentemente.

Isso era o que ela permitia sentir sobre seu corpo, mas no fundo do seu coração, havia um conflito surgindo. Suguha fechou seus olhos novamente.

... Não era como se ela estivesse gostando dele. Isso não era sobre ter alguém para viver aventuras juntos... Era apenas, voar em um novo mundo que era divertido.

Esse parecia ter sido o murmuro do seu coração, mas ele não estava nem próximo de convencê-la, apesar de haver verdades contidas nele. Pensando bem, ela já havia sentido isso no passado.

Quando ela ficou mais forte, pouco a pouco os seus campos de atividades se expandiram; apenas voar em uma terra desconhecida fazia seu coração bater mais rápido. Entretanto, ela adquiriu um papel de jogadora sênior do território Sylph e, com isso, seus conhecimentos e obrigações aumentaram simultaneamente. Antes que ela percebesse, ela já estava presa nisso como um hábito do dia-dia. O chamado dever de lutar pelo bem da sua raça estava prendendo suas asas com grilhões invisíveis.

Jogadores no ALO que abandonavam seus territórios eram chamados de «Renegades», a palavra inglesa para «Renegados». Aqueles que descartaram suas obrigações depois de as obterem, aqueles que estavam sob pressão de seus países, e que até agora os dava impressão de serem traidores, mesmo possuindo algum orgulho em seus corações.

Com sua mente ainda pensativa sobre eles, ela lavou seu cabelo e seu corpo rapidamente e então saiu do box. Tirando a toalha que estava presa em um gancho da parede, ela usou o painel ao lado para liberar uma rajada de ar quente que soprou das aberturas do furo. Com seu cabelo quase seco, ela enrolou a toalha sobre o seu corpo e foi para a sala de estar. Olhando para o relógio viu que faltava menos de três minutos para o fim do tempo estipulado.

Ela agarrou o sanduíche que sobrou no prato, pegou um papel e escreveu, “Onii-chan, se você estiver com fome, por favor, coma isso.” Feito isso, ela colocou-o embaixo do prato.

De volta ao Segundo andar, ela colocou os pijamas, se deitou e colocou o elmo da Amusphere de volta. Depois de esperar pelo processo de conexão, passar pelas cores do arco-íris e os precidementos de login, Suguha/Lyfa sentiu uma leve brisa e o cheiro de um aroma refrescante.

Da sua posição de espera, agachada, com um dos joelhos ao chão, Lyfa se levantou.

“Desculpe por te deixar esperando, algum monstro apareceu?”

Kirito, que estava deitado na grama com uma palhinha na boca, tirou-a e assentiu.

“Bem vinda de volta. Esteve bastante quieto.”

“O que é isso?”

“O NPC da loja de doces disse que é uma especialidade de Sylvain.”

“Não era isso que queria ouvir!”

Kirito ofereceu algo e Lyfa aceitou com sua mão. Ela abandonou a sua tensão interna e resolveu experimentar. Em um suspiro, a fragância de hortelã adocicada emanava da sua boca.

“É minha vez de sair, por favor, me proteja.”

“Ok, boa viagem.”

Quando Kirito chamou pelo menu e pressionou o botão de sair, seu corpo automaticamente caiu em um estado de espera. Lyfa se sentou ao seu lado e começou a olhar para os céus, sugando a palhinha sabor hortelã quando a pixie de dentro do bolso de Kirito voou para for a e a surpreendeu.

“Uau! Você pode se mover enquanto o seu mestre está fora?”

Yui fez uma cara de ‘é claro’ e colocou suas mãos nos quadris, assentindo.

“É claro que eu posso. Eu existo por conta própria e ele não é meu mestre, ele é meu pai.”

“Falando nisso, por que você chama o Kirito de pai? Ele te configurou para tratá-lo assim?”

“Papai me ajudou uma vez, mas ele também disse que eu sou sua filha. Então ele é meu pai.”

“Entendo...”

É claro que ela não havia entendido nada.

“Você ama o seu pai?”

Lyfa perguntou casualmente e Yui olhou para ela com uma expressão séria.

“Lyfa, o que é amor?”

“O-o que....”

Lyfa não estava pronta para essa pergunta inesperada e pensou por um momento antes de responder de forma vaga.

“... É o sentimento de querer estar junto. E quando estão juntos, seus corações batem mais rápido, mais ou menos isso...”

O sorriso de Kazuto surgiu na sua mente, mas por que ele tinha o mesmo rosto do avatar que estava deitado ao seu lado? Lyfa arfou. Ela já não sabia se os sentimentos por Kirito tinham se tornado semelhante aos por Kazuto. Lyfa balançou a cabeça tentando tirar isso da cabeça. Yui a viu fazendo isso e levantou sua cabeça, perguntando:

“O que foi, Lyfa?”

“Não, não, não, não é nada!”

Lyfa gritou e, naquele instante -

“O que não é nada?”

“Quee!!”

Kirito subitamente levantou sua cabeça e Lyfa saltou.

“Voltei. O que aconteceu?”

Kirito olhou para a angustida Lyfa e levantou-se. Pousando em seu ombro, Yui disse:

“Bem vindo de volta papai. Nós estavamos falando sobre quem ela gosta e --,”

“Ei, nós não estavámos!!”

Lyfa se apressou em interromper Yui.

“Você voltou rápido. Comeu alguma coisa?”

Lyfa perguntou para esconder sua vergonha.

“Ah sim, minha família fez algo para mim.”

“Certo, então vamos continuar logo. Se nós não chegarmos na cidade antes de ficar tarde, teremos problemas para deslogar. Vamos lá, vamos logo para a entrada da caverna!”

Lyfa terminou sua fala com pressa e se levantou. Mesmo com Kirito e Yui não entendendo o que tinha acontecido, ela não queria esperar que eles percebessem e começou a bater suas asas gentilmente.

“Ah, certo. Então vamos.”

Ainda sem entender a razão da expressão confusa de Lyfa, ele também começou bater suas asas. Porém, antes, ele se virou em direção da floresta da qual eles vieram.

“Que foi?”

“Nada...”

Kirito respondeu, ainda que continuasse olhando para a floresta.

“Sinto como se alguém estivesse nos observando. Yui, você pode sentir algum jogador perto de nós?”

“Não, não tem ninguém perto daqui.”

A pixie balançou sua cabecinha, mas Kirito não parecia convencido.

“Sentir como se estivesse sendo observado... Tem algum tipo de sexto sentido nesse jogo?”

Ao ouvir a pergunta de Lyfa, Kirito esfregou sua testa com sua mão direita e disse:

“É mesmo dificil fazer isso. Se alguém está olhando para nós, o sistema teria que automaticamente nos «Referencia», então você consegue sentir o fluxo de dados caso se acostume com isso, ou ao menos, é o que as pessoas dizem.”

“É mesmo?”

“Mas a Yui não sentiu ninguém próximo, então não tem como ser isso.”

“Ah, então eles podem estar usando um Tracer.”

Lyfa sussurou para Kirito, que levantou suas sobrancelhas.

“O que é isso?”

“É um feitiço de rastreamento. Normalmente, uma pequena criatura mágica que diz ao seu mestre qual é a posição do alvo.”

“É um feitiço bastante conveniente. Você pode removê-lo?”

“Se eu puder ver o Trancer, então eu poderei removê-lo. Mas se as habilidades de quem o invocou forem muito altas, a distância em que ele pode observar será maior, então encontrá-lo em um campo como esse é quase impossível. “

“Entendo. Deve ser apenas a minha imaginação, enfim, vamos logo.”

“Ok.”

Após assentirem, eles voaram em direção ao céu novamente. Os picos brancos da montanha não estavam muito longe e ,no meio de um dos picos, estava uma grande caverna negra. Mirando a abertura da caverna, de onde um ar frio sinistro saia, Lyfa bateu suas asas mais rápido e acelerou. Depois de alguns minutos voando, os dois alcançaram a entrada da caverna.

Quase perpendicular as rochas, a caverna era um gigantesco quadrado aberto no rosto do penhasco. A sua altura e largura eram quase três ou quatro vezes maiores que Lyfa. Eles não conseguiam dizer o quão longe eles estavam mas, encravados na entrada da caverna, havia figuras de monstros. A parte superior da caverna tinha a cabeça de um demônio, contemplando com seus olhos todos os intrusos.

“Essa caverna... Ela tem um nome?”

Em resposta a pergunta de Kirito, Lyfa assentiu e respondeu:

“É chamada de «Ruger Corridor». Ruger aparentemente é o nome da Cidade dos Mineiros.”

“Legal, é como uma história de um filme de fantasia que eu assisti!”

Lyfa olhou para Kirito com sua visão periférica e viu um sorriso nele. Ele provavelmente se referia àqueles livros de fantasia clássica, na qual os filmes eram baseados. No quarto de Kazuto, havia uma caixa com vários desses livros, verdadeiras edições de colecionador, ela os pegou sem permissão e os leu.

“Eu sei do que você está falando. Para cruzar a montanha, eles tiveram que passar pelas minas subterrâneas e foram atacados por um demônio gigante. Mas, infelizmente, não existem monstros do tipo demônio aqui.” “Que pena.”

“Ah, mas essa caverna está infestada por orcs. Se você quiser, pode ir tentar encarar uma horda deles.”

Terminando, ambos seguiram a pé na caverna.

Era muito frio dentro da caverna, havia muita pouca luz vindo do lado de fora, então lentamente eles foram envolvidos pela escuridão. Era melhor eles usarem magias de luz; ela pensou e se virou para Kirito que andava ao seu lado.

“Oh sim, Kirito-kun, você treina as suas habilidades mágicas?”

“Ah, só as magias iniciais da minha raça, mas eu nem uso elas.”

“Explorar cavernas é uma especialidade dos Spriggans por que eles usam luz, que é muito mais efetivo do que magias de vento.”

“Hmm, Yui, você sabe como fazer?”

Kirito coçou a cabeça e Yui saiu do seu bolso e disse em uma voz que sugeria uma bronca:

“Papai, eu preciso mesmo te mandar ao menos ler o manual de instruções. Usar magias de luz é...”

Yui lentamente disse o feitiço e Kirito levantou sua mão direita repetindo as palavras. Sua mão direita enviou uma onda de luz cinza que continuou a se espalhar. Ela cobriu Lyfa, que era capaz de ver uma área extensa ao seu redor. A luz não parecia ser uma fonte de luminosidade, ao invés disso, ela dava ao usuário visão noturna.

“Incrível, isso é mesmo conveniente. Então os Spriggans tem mesmo alguma utilidade.”

“Ah, ouvir você dizendo isso machuca.” “Ha ha ha. Mas sério, você deveria ao menos memorizar algumas magias úteis. Se você não conseguir usar as especialidades dos Spriggans em situações de vida ou morte, as coisas vão ficar ruins.”

“Ouch, essas palavras doem ainda mais.”

Enquanto conversavam, eles continuaram a adentrar a caverna, que tinha muitas curvas. Logo, eles não conseguiam mais ver a luz branca da entrada. “Eu acho que é ‘ARLU-DENA-RERE’.”

Kirito olhou para o Manual de Instruções brilhante e tentou falar as palavras mágicas pouco familiares.

“Não, não, lendo não vai ativar o feitiço... Não adianta recitar as palavras de modo mecânico, você precisa entender separadamente cada «Word of Power» e associá-la ao efeito da magia enquanto a memoriza..”

Ouvindo essa observação, o espadachim negro suspirou profundamente e abaixou a cabeça.

“Eu não pensava que teria de aprender palavras que parecem Inglês nesse jogo.”

“Eu estou te avisando, feitiços de alto nível tem ao menos vinte palavras.”

“Ah, qual é! Eu vou ser só um lutador então...”

“Chorar é inútil!! Ande logo e tente de novo.”

Nas quase duas horas em que eles viajaram dentro da caverna, eles lutarem contra orcs dez vezes e venceram sem maiores problemas. Graças ao mapa pego em Sylvain, eles atravessaram o lugar praticamente em linha reta rapidamente. De acordo com o mapa, eles estavam perto de um grande lago subterrâneo, bastava eles atravessarem a ponte ali perto e chegar a cidade mineira, Ruger.

Ruger não era tão grande quando a capital subterranean dos Gnomes, mas nas proximidades se produziam minérios de alta qualidade e muitos homens de negócios e ferreiros viviam ali. Eles não conheciam nenhum jogador daqui. Essa caverna não era um bom lugar de caçadas, mas, acima de tudo, como o ponto forte dos Sylphs é voar, muitos evitam lugares em que não se pode voar. A caverna era bem grande, mas nem a luz do sol nem da lua, os recursos necessariós para que houvesse voo, alcançavam essa área. As asas não eram capazes de se recuperar.

Jogadores Sylph que queriam chegar em Aarun para negócios ou turismo normalmente pegavam o caminho mais longo, que passava pelo noroeste de Sylvain, então passavam dentro do território dos Caith Sith, perto das montanhas. Vivendo ali, estavam os Caith Sith, uma raça de pessoas com orelhas de gato e cauda. Eles podiam usar a habilidade de «Domar», alimentando monstros e animais, sempre providenciando montarias domesticadas para capital Sylph em sinal de amizade, por isso as raças se dão tão bem há muito tempo. A relação entre os dois lordes de ambas as raças também era muito boa e diziam que logo eles firmariam um pacto.

Como Lyfa tinha alguns amigos Caith Siths próximos, ela tinha pensando em escolher a rota pela passagem noroeste, mas eles vieram pelas montanhas por que Kirito parecia mesmo com pressa. Na verdade, estar no subterrâneo fazia Lyfa se sentir desconfortável, mas na atual situação, atravessar as montanhas não era, de modo algum, um problema.

De qualquer modo, a razão pela qual Kirito estava com tanta pressa para chegar em Aarun e na Árvore do Mundo continuava um mistério para ela. A sua atitude a fazia pensar sobre a incerteza no seu coração, enquanto que a postura de luta dele demonstrava muita ansiosidade.

Ela lembrava-se que Kirito tinha mencionado estar procurando por alguém. Pessoas que perderam contato no mundo real e vinham procurá-las no jogo não era algo tão incomum. No boletim de avisos na frente da loja de doces, no canto dos pedidos, avisos de ‘Procurando alguém’ não tinham fim. Normalmente era por vingança ou por interesse romântico, mas nenhum deles parecia se encaixar em Kirito. E, procurar em Aarun era compreensível, mas por que na Árvore do Mundo? Hoje, essa era uma área impossível de alcançar e, mesmo se eles alcançassem a base, chegar ao topo era praticamente impossível. Perdida em meio aos seus pensamentos, Lyfa andava ao lado de Kirito, que continuava com sua árdua luta contra as palavras mágicas. Normalmente, não prestar atenção enquanto se está em uma zona neutral era equivalente a suicidio, mas graças aos sentidos de perigo de Yui, ela seria alertada caso monstros aparecessem, então ela não precisava se preocupar com emboscadas.

Então, depois de alguns minutos, eles chegaram até o lago subterrâneo quando Lyfa ouviu um som, não era um alerta de Yui, era muito mais próximo a chamada de um telefone.

Lyfa levantou sua cabeça, se virou para Kirito e disse:

“Ah, Eu recebi uma mensagem. Desculpe, espere um instante.”

“Ok.”

Lyfa parou, frente ao seu corpo e abaixo do seu peito, ela pressionou o ícone que surgiu. Uma janela apareceu, mostrando que havia recebido uma mensagem de um amigo. A lista de amigos de Lyfa tinha apenas um nome; Recon. Então, mesmo antes de lê-la, ela já sabia de quem era. Provavelmente era apenas conteúdo irrelevante, ela pensou quando olhou. Mas -

‘Como eu pensava! Tome cuidado, S’ Essa era a única coisa escrita.

“Que porra é essa?”

Ela disse sem pensar.

Não fazia sentido. O que ele estava pensando? Tome cuidado com o que? E por que ‘S’ no final? Mesmo se ele tivesse assinado a mensagem, seria um ‘R’. Então, era algum tipo de mensagem secreta? “Esu... Sa... Shi... Su... Hmm.” “O que é isso?” Lyfa explicou para Kirito. Entao, Yui colocou sua cabeça para for a do bolso e disse:

“Papai, Eu estou detectando alguém nas proximidades.” “Monstros?”

A mão de Kirito pegou no punhal da espada, mas Yui balançou a cabeça em negativa.

“Não – jogadores. Muitos, vinte deles.”

“Vinte!?” Lyfa ficou muda.

Um grupo de jogadores, mesmo para um grupo de combate, era simplesmente muito. Talvez fossem um grupo de Sylphs vindo de Sylvain para Ruger ou até mesmo uma caravana de trocas. Isso mesmo. A cada mês um grupo grande se juntava na capital Sylph para uma viagem em direção à área central. Normalmente, alguns dias antes da partida, eles falavam isso para os jogadores em busca de participantes. Mas de manhã, quando ela olhou no boletim de avisos, não havia nada escrito sobre a caravana.

Era um grupo desconhecido. Se fossem Sylphs não teria problema, mas a chance de ser um grupo de PKs de uma raça diferente era provável. Lyfa tinha um mau pressentimento sobre isso e se virou para Kirito.

“Eu tenho um mau pressentimento sobre isso. Vamos nos esconder e esperar eles passarem.”

“Mas, nos esconder aonde?”

Confuso, Kirito observou os arredores. Eles estavam em um caminho longo e largo, mas sem nenhum local bom para um esconderijo. “Bem, deixe comigo.”

Lyfa agarrou o pulso de Kirito e o puxou para uma área côncava.

Suprimindo o rubor trazido pelo contato físico, ela levantou a mão esquerda para começar o feitiço.

Logo, uma luz verde irradiou dos seus pés e cobriu os dois corpos. A visão estava um pouco distorcida pelo verde, mas lá fora eles estavam quase que completamente ocultos. Lyfa olhou para Kirito, que estava ao seu lado, e sussurrou.

“Fale baixo. Se nós falarmos muito alto, a magia será removida.” “Entendo. Essa magia e muito útil.” Kirito observou a área em que eles estavam escondidos, a escaneando constantemente. Yui apareceu para fora do bolso e disse em voz baixa:

“Em dois minutos, nós veremos eles.”

Os dois se agacharam em uma tentativa de ficarem menores e se moveram para mais perto do muro da caverna. Depois de alguns segundos tensos, Lyfa ouviu o som de passos se aproximando. Junto ao som das passadas, estava o som de armaduras pesadas batendo, o que a fez pensar e observar.

Kirito esticou o pescoço, olhando para a direção do grupo desconhecido.

“O que é isso?”

“O que? Eu não estou vendo nada.”

“Eu não estou vendo nenhum jogador, mas, monstros talvez? Um morcego pequeno, vermelho.”

“!?”

Lyfa segurou sua respiração e olhou para frente. Na escuridão da caverna, um pequena forma vermelha voava na direção deles. Aquilo era-

“Droga.”

Lyfa sem querer, amaldiçoou mais alto do que poderia e saltou do chão em que estava deitada. A magia de ocultação foi removida ao mesmo tempo em que Kirito se levantou aturdido.

“Ei, ei, o que aconteceu?”

“Isso é um Tracer de alto nível!! Nós precisamos destruí-lo rápido!!”

Enquanto dizia isso, as mãos de Lyfa se estenderam e iniciaram um novo feitiço. Depois de dizer as demoradas palavras mágicas, seus dedos liberaram várias agulhas brilhantes de esmeralda. Viii; o som do ar sendo cortado pelas sementes, prontas para matar a criatura vermelha.

O morcego movia-se no ar lentamente e tentou desviar dos ataques, mas eram tantos que logo ele foi atravessado. A criatura caiu no chão, engolida por uma chama vermelha, e desapareceu. Confirmando que havia acertado, Lyfa se virou para Kirito e gritou:

“Corra para a cidade, Kirito-kun!!”

“Oh, chega de se esconder?”

“O inimigo vai logo descobrir que o trancer foi destruído. Eles vão mandar um monte de batedores e será quase impossível se esconder. O morcego tem propriedades do fogo. Isso significa que o grupo que se aproxima são...”

“Salamanders!”

Kirito franziu a testa depois de mostrar seus conhecimentos. Enquanto eles falavam, os passos, misturados com batidas de metal, ficavam mais próximos. Lyfa se virou e viu a distância para a luz vermelha negra.

“Vamos lá.”

Assentindo, ambos começaram a correr.

Eles checaram o mapa enquanto corriam e viram que aquela estrada logo acabaria e, na frente deles, estava o grande lago subterrâneo. Para passar pelo lago havia uma ponte e do outro lado estava a entrada para a cidade, Ruger. Ela era uma cidade neutra, então ataques não seriam permitidos lá dentro. Não importa quantas pessoas eles tinham, eles não seriam capazes de fazer nada.

Mas por que um grupo tão grande de Salamanders estaria aqui?

Lyfa mordeu seu lábio. Usar um trancer significava que eles estavam nos caçando desde o princípio. Depois de terem partido de Sylvian, graças ao poder de busca de Yui, eles não teriam como utilizá-la. A única possibilidade era que eles haviam usado a magia enquanto estavamos nas ruas de Sylvain.

O número de Sylph que podiam usar magias de fogo não era zero. Cada raça tinha um atributo de magia que lhe era concecido; vento para os Sylphs, terra para os Gnomes, etc. E outros feitiços de outros tributos podiam ser aprendidos com muito treinamento e aperfeiçoamento.

Entretanto, aquele morcego vermelho que eles mataram podia seguir e rastrear o alvo, além de procurar por um alvo oculto. Era uma magia de um nível tão alto que seria quase impossível para outra raça além dos Salamanders a obterem. Em outras palavras. -

‘Havia um Salamander em Sylvain?’

Lyfa pensava nisso enquanto corria. Se isso era verdade, então não foi fácil de fazer. Apesar de Sylvain estar aberta para viagens de outras raças, devido as relações hostis com os Salamanders, a entrada deles era muito restrita e vigiada. Se um NPC guardião encontrasse um Salamander, eles imediatamente o atacariam. Passar não era tão fácil.

“Oh, o lago!”

Correndo para a direita na frente dela, a voz de Kirito interrompeu os pensamentos de Lyfa. Ela levantou a cabeça e viu que a estrada acidentada da montanha mudava, tornando-se uma superfície pavimentada em rochas. O espaço tornava-se menos aberto, e o verde escuro do lago brilhava fracamente. Uma ponte de pedra se estendia no meio do lago, do outro lado estava um gigantesco portão que alcançava o teto da caverna. A cidade mineradora, a porta para Ruger. Uma vez que atravessarmos essa porta, a vitória nesse jogo de pega-pega será nossa.

Isso deu a mente de Lyfa um pouco de paz. Ela então olhou para o que estava atrás do seu ombro. Atrás, a luz vermelha continuava ainda à alguma distância deles. Já que esse era o caso – os dois correram a toda velocidade pela trilha de pedras.

Quando eles chegaram à ponte, a temperatura dos arredores caiu muito. Eles atravessaram a água de cheiro perfumado, acelerando na ponte.

“Parece que nós escapamos.”

“Não baixe sua guarda. Tem um monstro bem grande na água.”

Enquanto falava com Kirito, eles chegaram ao centro da ponte, que era era circular, pois tratava-se de uma área de observação e naquele instante, passando por cima da cabeça deles na escuridão, vieram por trás dois pontos de luz em alta velocidade. Era uma luz especial, e o efeito sonoro deixava explícito que se tratava de uma magia. Parecia que os Salamanders os estavam perseguindo, mas a mira deles era muito ruim.

Sendo um ataque frontal, eles precisaram apenas desacelerar. Depois de diminuir a velocidade, e a luz aterrissou dez metros a frente deles.

Ela explodiu e, como era de se esperar, Lyfa levantou sua mão direita para cobrir o rosto, mas o que acontenceu em seguida foi completamente inesperado. Zumbido! Um pedra giganteca caiu sobre a ponte e bloqueou o caminho completamente. Lyfa congelou frente ao problema inexperado e sussurou:

“Isso é ruim...”

“O que?”

Os olhos de Kirito se arregalaram, mas ele continuou em frente, puxou sua espada e golpeou a muralha. “Ah, Kirito-kun!”

‘É inútil.’ não teve tempo de sair da sua boca. O golpe de Kirito atingiu o muro de pedra. Goun! Um som estrondoso veio do contato e com a força do impacto, e fez com que ele caisse sentado na ponte. A muralha de pedra marrom não tinha um arranhão sequer.

“... Não adianta.”

Lyfa correu até o lado de Kirito e parou, dizendo isso. O jovem Sprrigan se levantou com um olhar de reprovação.

“Você devia ter dito antes.”

“Você é muito imprudente. Essa é uma barreira de magia, ataques físicos não podem danificá-la. Apenas ataques mágicos podem destruí-la...” “Nós não temos tempo para isso...”

Eles se viraram ao mesmo tempo. Um grupo equipado com armaduras completas, em uma cor que lembrava o sangue, num lampejo, se aproxmiava na ponte. “Contornar voando... Não é possível. Que tal pular no lago?”

A cabeça dela fez um movimento de negação a proposta de Kirito.

“Sem chance. Como eu disse antes, tem um dragão de água de alto nível vivendo dentro do lago. Sem a ajuda de uma Undine, lutar na água será suicídio.” “Então, não temos outra escolha a não ser lutar, certo?”

Olhando para Kirito, que segurava sua espada em uma postura graciosa, Lyfa mordeu seu lábio e assentiu.

“Nós não temos escolha... Mas isso vai ficar ruim... Para um Salamander usar uma magia de terra desse nível, eles devem ter uma mago muito habilidoso no grupo.”

A ponte não era muito grande, então a pior das condições, que seria serem cercados, podia ser evitada. Mesmo assim, vinte contra dois era uma diferença muito grande e voar não era possível naquele calabouço. As excelentes manobras aéreas de Lyfa não podiam ser usadas.

Tudo dependia da eficácia de combates dos inimigos.

... Mas nós não podemos ficar esperando demais.

Murmurando isso em seu coração, Lyfa ficou ao lado de Kirito e puxou sua katana. Com o som de metal pesado, o inimigo já podia ser fácilmente visto. Na frente vinham três grandes Salamanders, vestidos com armaduras mais pesadas que os Salamanders que ela havia enfrentado ontem. Na mão esquerda eles carregavam maças ou outra arma de uma mão, e na direita usavam um escudo de metal grande.

Vendo isso, Lyfa momentaneamente se perdeu em meio aos pensamentos. Se no ALO a mão dominante era a mesma do mundo real, então os jogadores canhotos deveriam ser apenas alguns poucos.

Antes que a voz de Lyfa pudesse expressar sua dúvida, Kirito olhou para ela e disse:

“Não leve a mal, mas você poderia ser meu suporte?”

“Eh?”

“Eu gostaria que você pudesse ficar atrás e me curar. Assim eu posso lutar sem preocupações.”

Lyfa olhou para a espada de dois gumes de Kirito. Certamente, nessa ponte estreita, fogo amigo seria possível e evitá-lo seria difícil. Curar não era a especialidade dela, mas ela assentiu e recuou até o muro de pedra. Não era hora para discutir.

Kirito flexionou seu corpo e colocou sua espada para trás. Ele enviava ondas de pressão para os Salamanders. O corpo de Kirito não era tão grande, então mal houve um som quando ele avançou. Seus olhos brilhavam com a acumulação de energia. A distância entre os dois lados havia encurtado em um mero piscar-

“- Ha!!”

Em uma respiração, a perna esquerda de Kirito avançou. Efeitos especiais de luz apareceram enquanto ele golpeava com sua espada na horizontal em direção dos soldados vermelho escuro pesados. Com o som estrondoso do ar sendo cortado, a ponte balançou, era o corte mais poderoso que Lyfa já havia visto. Mas -

“Eh!?”

Os olhos de Lyfa se arregalaram, surpresos. Os três Salamanders guardaram suas armas e colocoram seus escudos na frente, escondendo seus corpos na muralha de escudos.

GANG!! Um urro alto. A espada de Kirito atingia a Torre de Escudos deixando uma cicatriz horizontal neles. O ar vibrava e uma onda saiu do lago. Mas esses lutadores pesados não recuaram, bloqueando o ataque de Kirito.

Lyfa se apressou em estudar seus HPs. Provavelmente mais do que dez porcento devia ter sido reduzido, mas isso foi apenas por um instante, pois no momento seguinte, feitiços foram iniciados atrás deles e uma pálida luz azul cobriu os três defensores. Em resposta aos feitiços de cura, seus HPs ficaram completamente cheios. Então, atrás...

Por de trás daquela defesa de aço similiar ao de um castelo, muitas bolas de fogo vermelhas alaranjadas foram lançadas, desenhando uma parábola no ar e explodindo na posição de Kirito.

Explosões poderosas o suficiente para fazer com que a superfície do lago refletisse o vermelho cobrindo o garoto vestido de negro. “Kirito-kun!!”

Lyfa gritou, quase em desespero. A barra de HP de Kirito diminuiu rapidamente, chegando instanteamente a área amarela. Não, no sistema baseado em habilidades de ALO, o HP aumenta lentamente, então é um milagre que ele não tenha morrido instataneamente. Esses foram multiplos ataques mágicos, muito intensos. Lyfa imediatamente percebeu a intenção deles de matar.

Esse grupo certamente conhecia o poder de ataque físico de Kirito, então eles vieram equipados para isso.

Três defensores pesados iriam aguentar os ataques de Kirito, usando os escudos para defesa. Não importa o quão poderoso fossem os ataques de Kirito, se ele não conseguisse atingir o corpo diretamente, ele não causaria danos fatais. Os outros nove eram provavelmente todos magos. Alguns deles curavam a linha de defesa e os outros usavam magias de fogo indiretas para atacar. Essa era uma formação usada para lutar contra chefes que tinham ataques físicos muito fortes.

Mas por quê tantas pessoas estavam mobilizadas para atacar Kirito e Lyfa?

Deixando essa dúvida para trás, Lyfa começou seu feitiço de cura. Finalmente, as chamas diminuiram e Kirito se tornou visível, Lyfa usou a melhor magia de cura que ela tinha. Logo o HP dele começou a encher, mas ela sabia que não iria durar muito.

Kirito também tinha percebido a tática dos inimigos. Mesmo com a luta desfavorável, ele levantou sua espada e avaçou contra a linha de soldados.

“Woo oh!”

A lâmina negra atingiu os escudos e fez com que faíscas brilhassem.

Mas- aqui a luta se tornava um jogo de números.

O dano causado pela espada de Kirito era curada pelos magos atrás. Depois disso, os outros magos lançavam magias de ataque e Kirito era atingido por outra explosão.

Não havia espaço para habilidades individuais; Esse era o estilo de luta que Lyfa mais odiava. Agora a batalha estava determinada pelo MP dos magos e o HP de Kirito, qual dos dois acabasse primeiro. Mas o resultado era muito claro.

Várias bolas de fogo choveram e atingiram Kirito. Continuas explosões atingiam-no e faziam com que seu corpo fosse jogado ao chão.

Uma vez que isso é um jogo, o corpo em ALO não mostra «Dor», mas ser queimado por explosões mágicas diretamente podia causar sensações ruins. Ruidos atingiam o cérebro, o calor fazia a pele arder e o impacto causava perda de equilíbrio. Esses efeitos eram transmitidos para o corpo na realidade, e outros efeitos iriam durar por horas como dores de cabeça e tonturas.

“Uuu... Oooh!”

Mas não importava quantas vezes Kirito fosse engolido pelas chamadas, ele continuava a se levantar e golpear com sua espada. Enquanto usava suas magias de cura, Lyfa não queria vê-lo sentindo dor. Isso é um jogo. Nessa situação, o melhor seria desistir. Apesar da derrota ser lamentável, graças as limitações do sistema, existe uma diferença de força muito grande da qual você não pode fazer nada a respeito. Então, por quê -

Lyfa não conseguiu mais aguentar ver Kirito assim, então então ela avançou alguns passos atrás de Kirito e gritou em pranto:

“Chega, Kirito-kun! São apenas algumas horas de voo de Sylvain! Não importa se os itens forem roubados, nós podemos comprar outros, por favor, desista!”

Mas Kirito balançou sua cabeça e disse em um tom que pedia silêncio:

“Não!”

Seus olhos refletiam as chamas vermelhas brilhantes que o cercava.

“Enquanto eu viver, eu não vou permitir que um membro do meu grupo morra. Eu definitivamente não irei permitir isso!”

Lyfa, sem palavras, pode apenas permanecer parada.

Num momento tão desesperador, jogadores diferentes reagem de maneiras muito diferentes. Alguns iriam começar a rir «neste momento», enquanto que outros, os olhos se arregalariam e sucumbiriam ao medo. E também havia os outros que tentavam resistir até o fim. Mas nesse caso, todos estavam acostumados a simulação da «Morte». Era uma experiência que não podia ser evitada enquanto se jogava VRMMOs e que devia ser aceita. De outro modo, não haveria como «Apreciar» esse tipo de «Jogo».

Mas a luz que estava nos olhos de Kirito era algo que Lyfa nunca tinha visto. Brigando contra a situação impossível do sistema, desesperadamente tentando encontrar um modo de sobreviver, ela estava envolvida por isso. Naquele momento, Lyfa esqueceu que isso era um jogo, um mundo ilusório. “Woo-oh-ah-ah-ah-ah-ah-ah-ah!!”

Kirito, que se levantou, rugiu. Fazendo com que o ar se sacudisse pelo som. Quando o fogo inimigo parou por um instante, ele subitamente avançou, ignorando a muralha de escudos que tinha a frente. Abaixando sua espada na mão direita e colocando sua mão esquerda na ponta de um dos escudos, puxando-o para criar uma abertura. Essa ação inesperada desmontou a a linha defensiva dos Salamanders. Com a defesa desmontada, Kirito forçou sua espada na abertura.

Quebrar uma linha de defesa com magos atrás era algo que Lyfa nunca tinha visto antes. Alias, essa ação não era nem mesmo um ataque, então não causou danos, mas, devido a ação insana de Kirito, o homem segurando o escudo gritou confuso:

“Droga, qual é o problema desse cara?!”

Naquela hora, uma pequena voz alcançou os ouvidos de Lyfa.

“Agora é nossa única chance!”

Olhando aos arredores, ainda sem perceber quem tinha dito isso, até que Yui apareceu no ombro direito dela.

“Uma oportunidade!?”

“A única incerteza é o estado mental dos jogadores inimigos. Use todo o seu MP restante, por favor, bloquei o próximo ataque mágico!” “M... Mas, mesmo fazendo isso...”

Como se jogasse água em uma pedra quente, Lyfa segurou o que ia dizer. Ela olhava séria para a supostamente simples AI, Yui, e viu uma determinação idêntica a de Kirito.

Lyfa assentiu e juntou ambas as mãos. O grupo de magos inimigos começou o encanto para mais uma sequência de bolas de fogo, mas o tempo necessário para que se conseguisse lançá-la era muito, e eles eram um tanto lentos. Lyfa falou as palavras mágicas em sua alta velocidade costumeira. Qualquer palavra errada tornaria o feitiço um fracasso, ela as pronunciou o mais rápido que podia, bem próximo a zona de perigo.

Lyfa completou seu feitiço um pouco antes deles. Das suas mãos vieram incontáveis borboletas que voaram, cercando o corpo de Kirito.

Depois disso, os inimigos completaram seus cânticos também. Com um som agudo, uma tempestade de bolas de fogo caiu do céu. Chamas atrás de chamas engoliram o corpo de Kirito, que tentava atravessar a muralha de escudos.

“Ha!”

As mãos estendidas de Lyfa experimentaram a pressão das explosões, o que a fez cerrar os dentes. O campo mágico defensivo ao redor de Kirito anulava as explosões, mas a sua mana caia vertiginosamente com o som de pancadas. Nem mesmo bebendo uma poção para recuperar mana poderia impedir isso. Qual o sentido de defender apenas um ataque, ela pensou, mas então.

Ao lado do ombro de Lyfa, Yui gritou:

“Papai, agora!!”

Kirito piscou, surpreso. Em meio a lotus vermelha de chamas, ele levantou sua espada e permaneceu de pé. Ela conseguiu ouvir o som delicado do pronunciar de um feitiço. Lyfa conseguiu decifrar alguns fragmentos de palavras que estavam na sua memória.

‘Esse feitiço é... Illusion attribute!?’

Lyfa segurou sua respiração por um momento – então rangeu os dentes. Esse feitiço que Kirito estava fazendo era uma magia ilusória que tornava o jogador um monstro. Mas não é uma magia útil em combate, porque a forma depende aleatoriamente das habilidades de combate do jogador, fazendo com que na maoiria das vezes resultasse em um monstro fraco e que não alterava seu status. Já que a maioria das pessoas estavam atentas a isso, não ficavam assustadas.

Lyfa continuava a perder seu MP muito rápido, chegando a ter apenas 10% sobrando. Ela decidiu apostar na ideia de Yui, mas parecia que os dados haviam os traído.

Entretanto, nada podia ser feito a respeito. Conhecer a «Força» no jogo é necessário para que se consiga êxito. Para Kirito, que tinha começado a jogar há apenas alguns dias, pedir para que ele compreendesse isso ou a gigantesca quantidade de feitiços era demais.

Enquanto pensava nisso, Lyfa concentrou suas últimas forças em proteger Kirito. A última onda de ataques inimigos finalmente cessou, bem no momento em que o escudo de Lyfa desapareceu. O redemoinho de chamas girou, dissipando-se -

“Eh!?”

De dentro da muralha de chamas, uma sombra se moveu. Por um momento, Lyfa pensou que estava vendo coisas. Era muito grande.

Bem em frente aos Salamanders estava um gigante com o dobro da altura deles. Duvidando da sua visão, ela olhou novamente para o gigante que estava ali.

“Kirito-kun, é mesmo você?”

Ela perguntou chocacada. Ela não conseguia pensar em mais nada. Essa era a transformação de Kirito, criada por um feitiço de ilusão, mas era muito maior.

Em frente aos olhos de Lyfa, a sombra olhou para cima. A figura não era um gigante. Sua cabeça era como a de um bode, com chifres curvados que se estendiam de trás da sua cabeça. Olhos vermelhos brilhantes e presas para fora da boca que sopravam chamas no ar.

Sword Art Online Vol 03 - 239.jpg

A parte superior do corpo eram apenas músculos cobertos pela pele negra, longos braços quase alcançavam o chão. Atrás, ele tinha uma cauda que mais parecia um chicote. Para descrever a misteriosa figura em uma palavra, apenas «Demônio» se encaixaria.

Todos os Salamanders ficaram congelados no seus lugares. Observando aquilo como se suas almas tivessem sido levadas para longe, o demônio negro levantou sua cabeça mais alto.

“Roarrr ------!!” Ele emitiu um rugido estrondoso, que realmente sacudiu aquele mundo. No âmago de seus corpos, apenas o medo instintivo se espalhou. Gritos. Babuliciares.

O defensor Salamander mais a frente gritou, dando alguns passos para trás. Naquele instante, o demônio se moveu em uma velocidade espantosa. As garras de ferro da sua mão direita atravessaram a muralha de escudos, com seus dedos perfurando a armadura pesada do corpo do soldado – no momento seguinte, um End Frame vermelho pairava e o Salamander havia desaparecido.

“Woo ah ah ah!?”

Vendo seu parceiro ser morto com apenas um golpe, os outros dois defensores gritaram em uníssono. Eles largaram os escudos e com suas mãos esquerdas ainda brandindo armas, recuaram com medo.

Do grupo dos magos, alguém que parecia ser o líder gritou com raiva:

“Idiotas, não quebrem a formação! Ele só pode atingir o que consegue ver, se você se protegerem, não vão se machucar!”

Entretanto, essas palavras sequer chegaram aos ouvidos dos soldados. O demônio rugiu e saltou neles, com sua boca gigantesca aberta, mordendo a cabeça de um dos soldados e agarrando o soldado restante com suas garras de ferro. Ele violentamente sacudiu e esmagou o avatar, gogob! Mortes sangrentas continuas, com o mesmo sangue sendo espirrado sobre o chão.

Os três protetores tinham sido destruídos em dez segundos. O líder se recuperou e ordenou que o grupo dos magos começasse outro feitiço. Mas sem qualquer proteção além de seus mantos vermelhos, o grupo de magos era muito frágil comparado aos guardas da linha de frente. Com uma risada, o demônio parado era muito mais assustador do que qualquer outro efeito da ilusão. O cântico começou a ficar mais lento do que já era.

Antes que eles pudessem terminar, o demônio levantou seu braço direito em direção dos magos e os cortou horizontalmente. Os dois da frente foram atingidos e lançados ao ar, tornando-se chamas vermelhas, dissipando-se e desaparecendo. Gritos e o som de vidro se partindo, o barulho intenso de algo sendo quebrado preenchendo o ar. Isso era do tronco da árvore que fora arrancada com a mão direita e tinha atingido mais outros dois Salamanders, que desapareceram.

O mago de nível mais elevado, que vestia um manto de melhor qualidade se distraiu e acabou errando algumas palavras durante o feitiço. A palavra mágica dita de modo errado fez com que o feitiço se iniciasse nas suas mãos e explodisse, o mago desaparecera em meio a uma nuvem negra. Kirito, em sua forma demoníaca, deu um passo a frente e rugiu de novo. O líder dos Salamanders gritou um ‘Hiii!’ e virou-se para a direita. “Recuar, Recuar! Rec -”

Antes que ele pudesse terminar a sentença -

O demônio se agachou e então saltou para frente, aterrissando no meio dos inimigos e enviando ondas por toda a ponte. O que aconteceu depois não podia ser mais chamado de luta.

A cada golpe das garras do demônio, mais End Frames apareceiam. Alguns corajosos tentaram revidar com seus cajados, mas ao primeiro golpe de suas armas, o demônio arrancava suas cabeças e eles perdiam suas vidas.

Escapando da tempestade, o líder alcançou o outro lado da ponte. Ele saltou para dentro do lago e começou a nadar em alta velocidade para o outro lado. Em ALO, quando se cai na água, se o peso dos equipamentos não ultrapassar um certo limite, você não irá afundar. Magos tinham a sorte de ter equipamentos leves, e logo então ele estava longe da ponte – quando subitamente uma sombra gigantesca apareceu atrás dele.

Logo após isso, o líder foi puxado para dentro do lago. Deixando para trás algumas bolhas, ele afundou, antes de desaparecer com alguns vagos pontos vermelhos que ainda podiam ser vistos.

O demônio chamado Kirito não parecia se importar com a morte do líder inimigo, ele agarrou o último mago azarado e o levantou, começando a apertá-lo e fazê-lo gritar...

A violência daquela cena despertou Lyfa, que finalmente voltou a si e gritou:

“Ah, Kirito-kun!! Deixe esse homem vivo!!”

“Isso foi impressionante” enquanto Yui dizia este e outros comentários insensíveis no seu ombro, Lyfa correu. O demônio parou e se virou, e com um som que sugeria decepção, soltou o Salamander no ar.

O homem caiu na ponte numa pancada violenta, seu corpo estava relaxado e sua respiração, pesada. Lyfa veio até ele e colocou a espada longa entre suas pernas. Com o som metálico da batida da espada na ponte, o homem estremeceu.

“Agora, diga quem mandou vocês!!”

Lyfa estava tentando assustá-lo, mas isso o acordou do choque, com sua pele pálida, ele balançou a cabeça.

“Se você vai me matar, então ande logo!”

“Como você...”

Naquele momento, o demônio olhava para o chão e uma névoa negra o cercava. O corpo gigantesco começava a desaparecer. Lyfa olhou para cima, para o centro da névoa e viu uma pequena figura saltar e pousar sobre a ponte.

“Oh, belo massacre!”

Kirito balançou a cabeça e disse em um tom calmo, colocando sua espada nas costas. Ele se aproximou do homem que se recusava a abrir a boca e se agachou ao lado dele, batendo de leve no seu ombro.

“Ei, Bela luta.”

“O que...?”

Kirito olhava para o homem atônito e, com um tom claro, continuou:

“Aquilo foi uma ótima tática de batalha. Se eu estivesse sozinho, eu teria sido derrotado rápido!”

“E... Espera, Kirito-kun...”

“Tá tudo bem.”

Ao comentário um tanto irritado de Lyfa, Kirito disse em um único piscar.

“Bem então, vamos falar sobre os itens que vocês tinham.”

Kirito abriu o menu de trocas e então mostrou a ele a lista de itens.

“Esses são todos os itens e o dinheiro que eu ganhei do seu grupo. Eu estava pensando; se você responder nossas perguntas, eu poderia te dar tudo isso...”

A boca do homem se abriu e fechou algumas vezes, então ele olhou para Kirito com um sorriso astuto. Ele olhou ao redor, provavelmente confirmando que o tempo para ressucitar os Salamanders mortos já tinha passado e que eles estavam agora de volta ao último «Save Point», então mais uma vez olhou para Kirito.

“Mesmo?”

“Mesmo, mesmo.”

Olhando para os dois sorrindo, Lyfa suspirou.

“Homens conseguem ser realmente-”

“É, você não pode fazer nada a respeito...”

Yui se sentou no ombro dela e ofereceu um comentário. Com um pouco de medo do desprezo das duas mulheres, os homens assentiram em sinal de acordo na negociação.

O Salamander, uma vez que começou a falar, não parou.

“Hoje de noite, Jiitakusu-san, bem, o líder do grupo dos magos, me enviou uma mensagem por celular. Eu estava jantando, por isso quis recusar, mas ele me forçou a vir. Então quando eu vi que já tinham mais de dez pessoas para caçar apenas duas, eu pensei que fosse algum tipo de bullying, mas eles disseram que era a pessoa com que Kagemune-san havia lutado ontem, então eu entendi...”

“Quem é esse Kagemune-san?”

“Ele é o capitão do grupo dos Lanceiros. Famoso caçador de Sylphs. Mas ontem ele sofreu uma derrota, o que é raro, e fugiu para casa. Foram vocês que derrotaram ele, não é?”

Ouvir sobre caça de Sylphs fez Lyfa arquear as sobrancelhas em irritação. Ela e Kirito olharam um para o outro. Ele devia ser o líder dos Salamanders que haviam derrotado ontem.

“Então, por quê esse tal Jiitakusu-san quer nos caçar?”

“A ordem parece que veio de alguém acima de Jiitakusu-san. Alguém que parece estar dentro de alguma «Estratégia» ou algo assim.”

“Que estratégia?”

“Os meus superiores saberiam dizer. Mas eles não diriam para um soldado de baixa patente como eu, mas eu sei que eles estão atrás de algo grande. Hoje, quando eu tinha acabado de logar, eu vi um grupo enorme voando para o norte.”

“Norte...”

Lyfa colocou um dedo nos lábios e pensou. A capital dos Salamanders, «Gadan», fica no extremo sudeste de Alfheim, para eles estarem voando para o norte, então eles teriam de passar pelas montanhas que nós estamos atravessando no momento. Seguindo a oeste do Corredor de Ruger ou para o leste, na base das montanhas, onde está o «Dragon Valley». Independente do caminho que eles tomassem, eles chegariam a cidade central de Aarun e então para Árvore do Mundo.

“Eles querem atacar a Árvore do Mundo?”

Ouvindo a pergunta de Lyfa, o homem balançou a cabeça.

“Sem chance. Nós ainda estamos nos recuperando da última derrota. Precisamos equipar nossos exércitos no mínimo com algumas armas anciãs, por isso estamos economizando nosso dinheiro. Graças a isso, nossas rotinas vem sendo bastante duras. Mesmo assim só conseguimos adquirir metade da quantia que precisamos.”

“Oh?”

“Bem, isso é tudo que eu sei. E quanto ao que você disse antes?”

Essa segunda parte ele disse a Kirito.

“Eu nunca minto numa negociação...”

O jovem Spriggan operou o meno de trocas. O Salamander que olhava para a lista de itens que conseguia estava muito feliz enquanto movia os dedos. Lyfa olhava para aquele homem com uma expressão de choque e perguntou:

“Ei, esses não são os equipamentos dos seus companheiros? Você não se sente mal por isso?”

Depois de ouvir isso, o homem levantou sua voz:

“Você não entende. Esses caras ficavam se mostrando com esses itens raros na maior arrogância, isso só aumenta o meu prazer em pegar eles. É claro que se eu usar eles terei problemas. Eu vou vender todos eles e talvez comprar uma casa.”

‘Eu vou esperar alguns dias até a poeira abaixar e voltar para o território dos Salamanders.’ Dizendo estas palavras, o Salamander partiu na mesma direção em que veio e logo havia desaparecido.

Parecia que a luta de vida ou morte há dez minutos havia sido apenas uma mentira. Lyfa olhou para o rosto de Kirito, que havia voltado ao normal;

“Hum? O que foi?”

“Ah, bem... O demônio assassino de antes, era você, certo, Kirito-kun?”

Ouvindo isso, Kirito olhou para cima e colocou a mão sobre o queixo.

“Sim, na maior parte do tempo.”

“Na maior parte? Não era uma tática de enganar os Salamanders e confundí-los com um monstro?”

“Não, eu não planejei tudo isso... Apenas acontece às vezes. Durante uma luta, eu perco o controle e não consigo lembrar das coisas...”

“Uau, ah, assustador.”

“Bem, eu consigo lembrar de algumas coisas. Eu usei a magia que a Yui sugeriu e fiquei bem grande. Então, como a minha espada tinha desaparecido, eu tive que usar minhas mãos...”

“E também os seus dentinhos ~”

Sobre o ombro de Lyfa, Yui adicionou com prazer;

“Ah, falando nisso, a experiência de virar um monstro é divertida.”

Assistindo Kirito sorrir e rindo, Lyfa sentiu vontade de saber uma coisa. Cuidadosamente ela abriu a boca.

“Qual... É o gosto? De um Salamander...”

“... O sabor e a textura é o mesmo de um churrasco queimado...”

“Waa, chega, não quero mais saber!”

Ela sacudiu as mãos em direção de Kirito. Subitamente sua mão foi pega...

“Gaoou!!”

Gritando isso, ele abriu sua boca e a fechou nos dedos de Lyfa.

“Kyaaaaa------!!”

Lyfa gritou e depois disso, um som de um “Bang” soou pela superficie do lago, causando pequenas ondas.

“Ai isso doeu.”

Enquanto massageava o rosto que tinha sido esbofeteado por Lyfa, Kirito andava lentamente.

“Isso é tudo culpa do papai!”

“É verdade. Você foi muito rude.”

Ouvindo Lyfa e Yui no seu ombro falando isso, Kirito parecia uma criança repreendida e argumentou.

“Eu estava tentando aliviar a tensão da batalha e melhorar o clima com um testemunho e uma piada...”

“Na próxima vez que fizer isso, eu vou cortar você.”

Lyfa fechou seus olhos e se virou, apressando o passo.

Em frente ao grande portão de pedra que alcançava o teto. Essa era a cidade mineira de Ruger.

Para reabastecer os suprimentos e adquirir informações, era melhor passar a noite na cidade. A batalha de grande escala completamente inesperada tirou muito tempo deles, então no mundo real já era quase meia noite.

Esse era o momento em que Alfheim ficava cheia, mas Lyfa ainda era apenas uma estudante, então o mais tarde que ela podia ficar no jogo era 1 da manhã. Ela falou isso para Kirito, que depois de um momento, assentiu em compreenção.

Atravessando o portão lado a lado, ao invés da música de fundo, uma orquestra tocada por um NPC começou uma música alegre, recepcionando os recém-chegados.

As ruas não eram muito grandes, mas no cruzamento central, lojas de armas e armaduras, e todos os tipos de materiais, vinho, comida e outras coisas, se misturavam em lojinhas que ficavam próximas umas das outras. O número de jogadores era maior do que imaginavam. Sob circustâncias normais, era raro encontrar fadas músicos (Pucas), goblins ferreiros (Leprechain) e outros grupos étnicos aqui, conversando alegremente lado a lado.

“Oh... Então isso é Ruger.”

Lyfa olhava pela primeira vez a cidade subterrânea, e não pode evitar dizer isso em um tom alegre. Ela correu até a loja mais próxima, dando uma olhada nas espadas. Mesmo sendo lojas simples, comprar coisas a deixava muito feliz.

“Aliás...”

Enquanto mostrava uma espada longa prateada, Kirito, com seu tom relaxado normal disse.

“O que foi?”

“Antes do ataque dos Salamanders, você não recebeu uma mensagem? O que estava escrito?”

“... Ah.”

Lyfa abriu a boca e então se virou.

“Eu esqueci.”

Ela se apressou em abrir o menu e olhar a área de objetos recentes. Ela leu a mensagem de Recon novamente, mas continuava não fazendo sentido. Deve ter ocorrido um problema de conexão, mas não havia nenhuma outra mensagem dizendo qualquer outra coisa.

Nesse caso, eu preciso apenas mandar uma mensagem para ele, mas o nome de Recon na lista de amigos dela estava cinza. Isso significava que ele estava offline.

“O que? Ele foi dormir?”

“Que tal tentar falar com ele no outro lado?”

Lyfa pensou sobre a sugestão de Kirito.

Para ser honesta, Lyfa não gostava de levar coisas do mundo de Alfheim para o mundo real. Ela nunca esteve nos fóruns de ALO e ela raramente falava com Recon – isso é, Shinichi Nagata, sobre coisas relacionadas a jogos na realidade.

Mas aquela mensagem enigmática forçou-a a mudar de ideia.

“Então, eu vou sair e verificar, Kirito-kun. Espere por mim. Por favor, tome conta do meu corpo... Yui-chan.”

Lyfa então olhou para Yui que estava no ombro dela e adicionou.

“Sim?”

“Fique de olho no seu papai; não deixe ele se aproveitar do meu corpo.”

“Entendido!”

“Ei!”

Kirito balançou a cabeça em zombaria e sorriu, Lyfa sentou-se num banco próximo e moveu sua mão direita.

Ela apertou o botão de sair e trocou de mundo mais uma vez no dia. Sentido a vertigem, seus sentidos a avisavam que ela havia retornado para o mundo real.

“Fuu...”

Ela não esteve logada por tanto tempo até então, então ela ainda sentia uma sensação de fadiga, por isso ela respirou fundo.

Enquanto tirava o Amusphere, ela rolou na cama e olhou para o relógio. Logo Midori chegaria em casa. Seria melhor falar com ela ao menos...

Enquanto pensava nisso, ela alcançou o celular que estava no criado mudo. O painel EL do telefone dizia que ela havia recebido várias chamadas enquanto esteve logada.

“O que é isso?”

Os olhos de Suguha se arregalaram. Doze chamadas não atendidas, todas de Nagata Shinichi. Se fosse um membro da família, a polícia, o hospital ou qualquer chamada de emergência, o progama conectado ao Amusphere iria automaticamente tirá-la do jogo, mas como o número de Nagata não estava nessa lista, ele acabou sendo ignorado. Por que ele ligaria tão tarde?

Ela abriu o telefone, pronta para retornar a ligação, mas a décima terceira chamada, brilhando em azul sáfira, apareceu primeiro no seu telefone. Suguha apertou o botão de aceitar e colocou o telefone no ouvido.

“Alô, Nagata-kun? O que foi?”

“Ah! Você finalmente saiu! É tarde demais, Suguha-chan!!”

“O que você quer dizer com tarde demais? Eu estava ocupada.”

“Temos um problema! Sigurd, ele nos vendeu. Não apenas nós, mas a nossa lorde, Sakuya-san, também. Ele vendeu todos nós!”

“Nos vendeu? O que você quer dizer? Explique melhor.”

“Hmm, não temos tempo... Bem, quando nós fomos atacados na Ancient Forest pelos Salamanders, Suguha-chan, você não achou suspeito?”

Nagata voltou ao seu velho hábito de chamá-la de “Suguha-chan”. Se isso fosse uma conversa cara a cara, e ele a chamasse de modo tão íntimo como Suguha-chan, ela o teria atacado, mas como ela não podia fazer isso no telefone, ela teve de aceitar com desgosto.

Dizendo isso, Suguha ficou supresa de que isso aconteceu ontem, mas parecia que fazia tanto tempo que ela conhecia Kirito.

“Eh? Suspeito? O que aconteceu?”

Para falar a verdade, ela ficou tão impressionada com a aparição de Kirito que sequer lembrava do combate áereo que ocorreu antes disso.

“No começo, quando nós fomos atacados pelos oito Salamanders, Sigurd se ofereceu como isca e fez com que três deles ficassem para trás, certo?”

“Ah, agora me lembro. Ele não conseguiu escapar, não foi?”

“Isso mesmo. Mas, pensando bem, esse não é o estilo do Sigurd. Sempre que o grupo está em perigo, ele permanece como líder e manda outra pessoa ser a isca.”

“Ah. Isso é verdade...”

Sigurd é um comandante muito capaz, mas ele é muito egocêntrico e não ficava satisfeito se não estivesse no topo. Realmente, para ele se oferecer como isca enquanto os outros escapavam... Atos de auto-sacrifício não faziam o estilo dele.

“Mas. E então, o que quer dizer?”

“Como eu disse.”

Nagata disse como se tivesse comido algo muito ruim.

“Esse cara, ele está trabalhando para os Salamanders. Provavelmente, há muito tempo.”

“O que!?”

O choque fez o seu corpo estremecer, ela quase largou o celular quando gritou.

Em ALO, o poder dos grupos étnicos estava muito dividido, e usar contas duplas para espionagem era uma ocorrência comum. Ela temia que na sua cidade natal, Sylvain, muitas outras raças, especialmente os Salamanders, estivessem camuflados de Sylphs.

Basicamente, esses jogadores com habilidades baixas, poucas contribuições e cuja atividades eram instáveis eram os que mais tinham chances de serem espiões. Essas pessoas não estavam autorizadas para entrar nos departamentos mais altos. Lyfa não era uma exceção, fazia apenas pouco tempo que ela havia recebido permissão para entrar na Mansão do Lorde atrás da Torre do Vento.

Mas Sigurd estava ali desde o começo do ALO, participando ativamente da política. Nas eleições recentes para Lordes, ele era um dos candidatos, graças a sua grande participação. Embora a alta popularidade da atual Lorde fazer com que ele ficasse em segundo plano, ele não parecia incomodado em ser o assistente dela. Então ele ainda tinha muita importância no centro do poder.

Dizer que ele é um espião dos Salamanders, isso era difícil de acreditar ou entender.

“Espera, você, isso, você tem provas?”

Suguha perguntou surpresa.

“Eu pensei que algo estranho estava acontecendo, então hoje de manhã eu usei «Hollow» e segui o Sigurd.”

“Você tem muito tempo livre.”

«Hollow Body» era a melhor habilidade Recon, uma magia de transparência. Era necessário magias de ocultação muito altas para se tornar mestre nela. Recon usava a abreviação em inglês «Recon» em referência ao time militar de reconhecimento dos Estados Unidos – a pronúncia correta seria algo seria algo como RIIKON, aparentemente. Devido ao seu papel como lider no grupo de rastreamento e caçadas, ele era o melhor dos melhores em rastreamento. Uma vez, Recon usou esse feitiço para entrar no quarto onde Lyfa estava dormindo. Ele disse que estava procurando um lugar para colocar um presente de aniversário, mas no final das contas, ela o fez confessar e o puniu sem misericórdia com algo muito próximo a morte. Nagata ignorou as palavras de incredulidade de Suguha e continuou.

“Depois de ouvir algumas coisas ruins que ele disse sobre você na Torre do Vento, eu segui ele atrás de uma chance de assassiná-lo com veneno. Então...”

“Uau, que cara perigoso você é...”

“... Na frente de um aliado, ele colocou uma capa de invisibilidade e desapareceu. Ele realmente está envolvido com alguma coisa, eu pensei. Bem, use então um item para se esconder dos meus olhos.”

“Chega de puxar o próprio saco, ande logo e diga o que aconteceu.”

“Depois de tomar alguns desvios e andar uns cinco minutos, vi duas pessoas que estavam esperando por ele. Eles também vestiam capas de invisibilidade e, quando eles tiraram, para minha surpresa, eles eram Salamanders!”

“Eh? Mas mesmo vestindo essas capas, eles não podiam se esconder dos guardiões. Eles já teriam sido atacados assim que entraram na rua... Não pode ser...”

“Sim, isso mesmo. Eles estavam usando «Pass Medallion».”

Pass Medallions eram usados para que pessoas de outras raças entrassem no nosso território e era dado apenas aos que passassem por uma avaliação bastente restrita. Apenas alguém do ministério poderia entregá-los, e eles não podiam ser transferidos de pessoa para pessoa. É claro que Sigurd tinha o direito de dá-los.

“Eu pensei que tinha algo maior por de trás disso, então eu escutei. Ele disse para os Salamanders colocarem um Tracer em você. Mas não apenas isso. Hoje, Lorde Sakuya e a Lorde dos Caith Siths vão formar uma aliança, então ela partiu em total sigilo para uma cidade neutra.” “Ah Entendo, isso explica por que não havia nenhuma bandeira asteada na mansão do lorde.” Os apelos de Nagata emcobriram o murmuro de Suguha.

“Esse cara, Sigurd, ele quer que o exército dos Salamanders ataquem a cerimônia de aliança!”

“Que...”

Por um instante, a respiração de Suguha parou. Ela estava decidida de que ela não voltaria depois que saiu, mas o território Sylph era sua casa e Sakuya sua lorde amada. Pensamentos ansiosos borbulharam e a fizeram gritar no celular.

“Isso, Você devia ter dito iso antes!! Isso é um problemão!!”

“Por isso eu disse que isso era um problemão no começo...”

Respondendo ao argumento triste de Nagata, Suguha imediatamente o interrompeu.

“Sakuya sabe disso? Ainda temos tempo!?”

“Sinto muito, quando eu estava saido, eu chutei uma pedra sem querer...”

“Seu idiota! Fazendo besteira em uma hora como essa!”

“... Parece que, recentemente eu comecei a gostar da Suguha-chan nervosa...”

“Seu pervetido!! Então!? Você contatou ela!?”

“A magia de rastreamento dos Salamanders me pegou antes. Eu pensei que se eles me matassem, eu iria ressucitar na torre e de lá poderia ir para mansão do lorde, mas eles me atingiram com uma flecha envenenada, foi muito cruel.”

Pensando na última declaração, Suguha suprimiu toda a sua fúria.

“Então, o que aconteceu depois com o Recon?”

“Os Salamanders me pegaram enquanto eu estava paralisado... Então não tive escolha a não ser deslogar, Suguha-chan nunca atende minhas chamadas e eu não tenho outros contatos no mundo real. Hmm, a conferência com os Caith Siths seria uma em ponto. Droga, só tem mais quarenta minutos! O que nós vamos fazer, Suguha-chan!? “

Suguha respirou fundo e então respondeu rápido:

“Você sabe onde vai ocorrer a negociação?”

“Eu não sei o local exato... Mas é dentro da passagem das montanhas, no «Butterfly Valley» “

“Entendido... Eu vou lá tentar avisá-los. Não tenho tempo a perder, estou desligando”

“Ah, Suguha-chan!”

Quando estava prestes a apertar o botão de desligar, a voz cometida de Nagata veio.

“O que é?”

“Ah, é sobre aquele cara, Kirito. Qual o seu relacionamento com ele?”

‘Click.’

Suguha imediatamente terminou a ligação, jogando o telefone no criado mudo, ela colocou sua cabeça no travesseiro e fechou os olhos. Ela disse a única palavra mágica que funciona no mundo real e sua consciência gradualmente mergulhou em outro mundo cheio de conspirações.

Lyfa abriu seus olhos e se levantou.

“Woah, você me assustou!!”

O Spriggan surpreso quase derrubou a comida misteriosa que ele havia trazido – algo no espeto que lembrava um réptil pequeno – mas ele conseguiu segurá-lo.

“Você voltou, Lyfa.”

“Bem vinda de volta...”

Encarando Kirito e Yui que lhe desejaram boas vindas, ela não teve tempo para dizer ‘Eu voltei’.

“Kirito-kun... Desculpe-me.”

“Eh, eh eh?”

“Eu preciso mesmo ir em um lugar. Não tenho tempo para explicar, mas provavelmente não poderei voltar aqui.” “...” Kirito olhou para Lyfa por um instante e então assentiu.


“Certo. Então, nós podemos falar enquanto andamos.” “Eh?”

“Não importa para onde; nós vamos precisar usar nossos pés para sairmos daqui, certo?”

“Entendo. Então vamos correr e conversar.”

Os dois começaram a correr em direção ao portão que levava a Aarun, passando pelas ruas de Ruger.

Eles passaram por uma multidão e atravessaram um portão de pedra. Havia outro lago e outra ponte do outro lado. Eles correram a toda velocidade, com Lyfa explicando a situação a Kirito. Felizmente, não importa o quanto você corresse nesse mundo, você não precisava parar para falar.

“- Entendo.”

Depois que Lyfa terminou sua história, Kirito se virou, e começou a pensar.

“Posso te perguntar umas coisas?”

“Vá em frente.”

“Por que os Salamanders atacariam os Lordes dos Sylphs e dos Caith Siths? O que eles ganham com isso?”

“Bem, primeiro de tudo, evita uma aliança. Se alguém dos Sylphs entregou informações aos Salamanders, então os Caith Siths não vão ficar quietos se foram usados. Na pior das hipoteses, isso pode resultar em uma guerra entre os Caith Siths e os Sylphs. Os Salamanders são atualmente os mais poderosos, mas uma uma aliança entre duas raças iria reequilibrar a balança do poder. Eu acho que os Salamanders querem evitar isso a qualquer custo.” Enquanto eles cruzavam a ponte na caverna, Lyfa pegou o mapa e enquanto corria, checou a rota.

“Alias, se eles matarem um Lorde, eles vão receber bônus incríveis. Eles vão receber 30% do tesouro da mansão e, por dez dias, o território tomado vai ser ocupado, então eles poderão cobrar impostos e ficar com o dinheiro. Essa é uma tremenda quantia. Por isso que os Salamanders se toraram os mais fortes nesse jogo, pois antes, eles fizeram uma armadilha para o primeiro Lorde Sylph e o mataram. Normalmente, Lordes não se aventuram em territórios neutros e em toda história do ALO, apenas um lorde foi morto...”

“Então é isso...”

“É por isso... Kirito-kun...”

Enquanto corria, Lyfa olhou para o perfil de Kirito e continuou:

“Isso é um problema da raça Sylph, você não tem nenhum motivo para se envolver. Depois que sairmos dessa caverna, basta seguir em frente para a cidade de Aarun. Se você for para conferência, é provável que você não sobreviva. Você irá renascer em Sylvain e todo o tempo que levamos para chegar até aqui será perdido. Bem, para simplificar...”

Lyfa não tinha tempo para apreciar o quão complexo eram as suas emoções internas, antes que ele pudesse impedir, ela disse:

“Se seu objetivo é mesmo chegar ao topo da Árvore do Mundo, então o melhor seria cooperar com os Salamanders. Se a estratégia dos Salamanders der certo, então eles terão muito dinheiro. É quase garantido que eles o usaram para desafiar a Árvore do Mundo. Spriggans podem ser contratados como mercenários... Eu não vou reclamar se você me matar aqui.”

Se isso acontecer, eu não irei resistir, Lyfa pensou. Não era algo que ela normalmente pensava, mas dessa vez ela tinha certeza de que não poderia vencer. Ela também pensava que ter de lutar contra o garoto do qual ela passou a gostar tanto em um único dia era algo desagradável.

Se isso acontecer, então eu não vou voltar a jogar ALO novamente. Tudo isso se passou na mente dela. Lyfa olhou para o rosto de Kirito, mas sua expressão não mudou; ao invés disso, ele continuou seguindo em frente e disse:

“Isso é um jogo afinal, então tudo pode acontecer. Se você quer matar, você pode matar; se você quer algo, você pode roubar.”

Kirito parou por um momento antes de falar:

“... As pessoas falavam isso e eu conheci muitas assim. A certo ponto, eu também pensava assim. Mas não está certo. Mesmo no mundo virtual, existem coisas que você quer proteger, não importa o quão estúpido isso pareça. Eu aprendi isso com uma pessoa muito importante para mim...”

Aqui, a voz de Kirito ficou mais gentil.

“VRMMOs são chamados de jogos, mas existe uma contradição; separar o jogador e o papel não é uma boa ideia. Se você se apega a este mundo, então sua personalidade no mundo real vai refletir essas mudanças. Jogadores e seus personagens são apenas um. Eu gosto de você, Lyfa e quero ser seu amigo. Não importa qual seja razão, eu não vou te matar por meus próprios interesses, absolutamente não!”

“Kirito-kun...” Lyfa subitamente sentiu-se incapaz de respirar e parou de correr. Percebendo isso, Kirito também parou.

Lyfa torcia suas mãos sem perceber, mas palavras não podiam expressar o que ela sentia dentro de si; ela continuou a encarar o garoto de olhos negros na sua frente.

Entendo... Então é isso... Lyfa murmurou no fundo de seu coração. Esse era o por que de Lyfa não se tornar muito próxima de ninguém neste mundo. Ela não podia ter certeza se o que ela via era um personalidade verdadeira ou apenas uma personalidade assumida por um avatar. Ela não conseguia dizer qual eram suas verdadeiras intenções ou ideias. Ela não sabia como se aproximar delas e para escapar do peso das mãos que eles ofereciam, ela tentava fugir para longe.

Mas, ela não precisava se preocupar com isso. Ela seguiria os seus sentimentos, e isso seria suficiente, se isso era real para ela.

“... Obrigada!”

Lyfa disse essas palavras que emergiram do fundo do seu coração, sem saber mais o que falar, ela começou a chorar.

Ouvindo isso, Kirito riu envergonhado...

“Desculpa, eu exagerei um pouco. É um hábito estúpido meu.”

“Não, eu fico feliz – então nós podemos dizer adeus assim que sairmos dessa caverna.”

Depois de ouvir isso, Kirito levantou suas sobrancelhas em surpresa.

“Eu vou com você.”

“Espera, o quê?”

“Oh não, nós perdemos muito tempo. Yui, oriente-nos enquanto corremos.”

“Entendido!”

Vendo a Pixie que estava sentada no seu ombro assentir em concordância, ele se virou para Lyfa.

“Me dê sua mão por um instante.”

“Oh, eh...”

Kirito colocou sua mão direita e agarrou a mão direita de Lyfa. Essa situação já tinha acontecido antes, mas era a primeira vez que eles davam as mãos de verdade; o coração de Lyfa começou a bater mais rápido. No momento seguinte, Kirito disparou numa velocidade supreendente, cortando o ar e criando um verdadeiro túnel de vento; Eles estavam correndo a uma velocidade considerável antes, mas agora eles estavam ainda mais rápidos. A velocidade incrível fazia com que a textura das rochas ficasse borrada enquanto eles passavam. Com sua mão direita junta a de Kirito, o corpo dela começou a flutuar atrás como se fosse uma bandeira. Kirito observou o local e fez uma curva brusca na caverna. Não havia nada menos romântico do que isso.

“Aaahh!?”

Lyfa gritou alto enquanto era puxada, olhando para frente, ela viu vários cursores amarelos se aproximando. Um grupo de orcs parecia ter feito da caverna a sua toca.

“Aquilo-- esses monstros.”

Antes que terminasse sua sentença. Kirito correu em direção do grupo de Orcs sem mostrar qualquer sinal de que iria parar.

“Aahhhh!”

Os gritos de Lyfa se misturaram com os rugidos dos monstros. Mas, uma atrás da outra, a chuva de armas pesadas era evitada. Kirito viu o grupo de monstros e partiu em uma corrida alucinante. Os Orcs se viraram em direção dele, com gritos irritados e tentaram capturá-lo, mas Kirito já havia passado por eles usando outro caminho. Depois disso, eles encontraram Orcs e outros monstros mais algumas vezes, mas Kirito simplesmente se esquivava e passava entre eles. Chegou ao ponto de que uma onda gigante de monstros estava atrás de Kirito e Lyfa, com passos que eram capazes de causar uma avalanche. Em nota, o maior «Agravante» dessa ação, é que ela é considerada uma tremenda falta de educação, já que qualquer grupo que entrasse naquele momento seria incapaz de escapar da total aniquilação. Felizmente, um ponto de luz branca apareceu antes que uma tragédia como essa pudesse ocorrer.

“Oh, aquela deve ser a saída.”

Depois de ouvir Kirito dizer isso, a visão dela subitamente ficou branca e, com um único passo, o chão havia desaparecido.

“Hieeeee!?”

Lyfa instintivamente fechou os olhos e gritou enquanto seus pés tentavam alcançar qualquer coisa, mas logo ela percebeu que os rugidos ao redor dela tinham desaparecido.

Cuidadosamente abrindo seus olhos, Lyfa encontrou-se flutando no vasto céu. Aparentemente Kirito não desacelerou em momento algum, ao contrário, ele se jogou da abertura da caverna que ficava no meio da montanha. Olhando para trás, ela viu o despenhadeiro inclinado que parecia continuar para sempre, em todas as direções.

Batedando suas asas com pressa, Lyfa inclinou-as e começou a planar.

“Fuu haa!!”

Respirando muito rápido, Lyfa deu uma olhada para o que estava atrás deles; próximo a saída da caverna estavam os monstros que os haviam perseguido, confusos. Ela se virou para Kirito.

“Acho que perdi alguns anos da minha vida!”

“Haha, fazer isso nos fez ganhar tempo.”

“... Em calabouços, não se deve... Enquanto se está procurando o inimigo, não se pode ficar reunindo os monstros... O que você fez foi como se fosse outro jogo... “

Lyfa se acalmou e, enquanto reclamava, começou a examinar novamente a área. As vastas planices abaixo dela, o azul da água aqui e ali, que se juntavam criando um rio sinuoso, mais distante -

“Ah...”

Lyfa engoliu em seco. Ao final daquele mar de nuvens, uma sombra gigantesca flutuava. Um tronco enorme enterrado entre o céu e a terra, como se fosse um pilar que segurava esse mesmo céu, com galhos e folhas crescendo na mesma escala de corpos celestiais.

“Então, essa... É a Árvore do Mundo.”

Ao lado dela, Kirito sussurou em um tom de admiração. Mesmo de onde estava, apenas a uma certa distância de sairem das montanhas, a presença opressora da Árvore do Mundo estava lá, mesmo a quase vinte quilômetros de distância. É difícil imaginar como seria estar na sua base. Os dois permaneceram em silêncio olhando para Árvore do Mundo, mas depois de um tempo, Kirito se recuperou e disse:

“Ah, não podemos continuar assim. Lyfa, onde é a Conferência dos Lordes?”

“Ah, certo. A Árvore do Mundo está situada no centro do mundo, cercada por uma cadeia de montanhas. Existem três grandes vales que levam a Árvore do Mundo: O «Dragon Valley» no território dos Salamanders; no território das Undines, o «Rainbow Valley»; e do território dos Cait Sith, o «Butterfly Valley». A conferência vai o ocorrer no «Butterfly Valley», próximo ao limite terrestre.”

Lyfa olhou ao redor e apontou para o noroeste.

“Acredito que temos que voar nessa direção por algum tempo.”

“Certo, e quanto tempo temos!?”

“... Vinte minutos.”

“Se eles querem atacar a conferência, os Salamanders vão vir dessa direção.”

O dedo de Kirito se moveu do Sudeste para o Noroeste.

“Se eles chegarem antes de nós, teremos problemas. Depressa. Yui, faça uma busca e me diga o número mais alto de jogadores que estão vindo nessa direção.”

“Certo!”

Yui assentiu, e Lyfa e Kirito começaram a acelerar.

“Aliás, não tem monstros nessa área?”

Kirito perguntou enquanto atravessavam algumas nuvens.

“O Aarun Plateau é um campo sem monstros. A conferência está acontecendo perto daqui.”

“Em outras palavras, se um monstro atacasse enquanto estamos falando, isso seria um problema. Mas, nesse caso, poderia ser um golpe de sorte.” “O que você quer dizer?”

Kirito apenas riu com um sorriso travesso.

“Que nem antes. Eu vou mandar um bando de monstros em cima do exército dos Salamanders.”

“... Você teve tempo para pensar nisso? O grupo dos Salamanders é provavelmente maior do que o que nos atacou na caverna, se nós os avisarmos a tempo, poderemos fugir para o território dos Caith Sith, se nós reunirmos um grupo grande monstros, quem você acha que vai morrer?”

“...”

Kirito coçou o queixo com um olhar pensativo no rosto. Naquele momento...

“Encontrei o sinal de jogadores!”

Yui gritou subitamente.

“O grupo da frente tem 68 jogadores, essa deve ser a força de assalto dos Salamander. Além deles, há cerca de catorze pessoas no chão, eu creio que sejam as delegações Sylph e Caith Sith. Ambos os lados vão se encontrar em cinquenta segundos...”

Yui terminou de falar enquanto eles cortavam uma nuvem. Lyfa, bem acima de todos no ar, olhava para baixo em direção as planices verdes.

Abaixo dela, voando em baixa altitude, estava um grupo de sombras assustadoras. Voando em grupos de cinco, eles eram como um floco de figuras sinistras aproximando-se silenciosamente do alvo.

Seu olhar moveu-se para o destino deles. Ela viu uma pequena plataforma circular. Havia uma longa mesa branca com sete cadeiras em cada lado, uma sala de conferência improvisada.

As pessoas sentadas nas cadeiras, imersas na conversa, não percebiam a ameaça iminente.

“... Chegamos tarde demais.”

Lyfa disse ao lado de Kirito.

Não havia tempo para alertar os Lordes antes que os Salamanders chegassem – nem tempo suficiente para escapar. Eles, junto aos demais, deveriam se preparar para formar um escudo e ao custo de suas vidas, permitir que ao menos as Lordes escapassem.

Lyfa pegou a mão de Kirito e a segurou.

“Obrigada, Kirito-kun, por me trazer até aqui. Você precisa ir a Árvore do Mundo, e apesar do nosso tempo viajando juntos ter sido curto, eu estava muito feliz.”

Lyfa disse com um sorriso, mas enquanto ela movia suas asas para um ângulo alto e preparava-se para mergulhar, Kirito pegou na sua mão direita. Lyfa se virou para ele, e o rosto de Kirito estava com aquele seu sorriso audacioso.

“Não faz o meu estilo fugir!”

Kirito soltou a mão dela, colocou Yui do seu ombro para dentro do bolso e, batendo suas asas violentamente, acelerou. BANG! Lyfa fechou seus olhos pela força da explosão sônica, e, quando ela os abriu, Kirito estava mergulhando em direção da plataforma.

“O que!! O que você está fazendo!!?”

Fazer aquilo fez com que o momento do adeus e todas as suas palavras tristes se tornassem inúteis. Lyfa gritou com ele, mas Kirito já a tinha deixado para trás. Petrificada, ela se apressou em perseguí-lo.

Na plataforma, os Caith Sith e os Sylphs finalmente perceberam o grupo que se aproximava. Um a um eles saltavam das cadeiras e puxavam espadas prateadas, mas, comparados ao equipamento dos Salamanders, eles pareciam muito frágeis.

Voando pelo campo, a vanguarda dos Salamanders posicionou suas lanças como verdadeiros lobos prestes a atacarem um bando de coelhos indefesos. As tropas de trás se dividiam pela esquerda e direita, criando um semicírculo e cercando a plataforma. Momentos antes do massacre, o mundo estava coberto pelo silêncio.

Um dos Salamanders levantou sua mão e quando ele estava prestes a fazê-la descer.

Uma gigantesca nuvem de poeira apareceu no centro da plataforma, entre os dois grupos. Um instante depois um KA-BOOM! Uma explosão formidável fez com que a atmosfera tremesse e Kirito aterrissava como um meteorito negro sem reduzir a velocidade.

Todos os jogadores no chão permaneceram congelados em seus lugares. A poeira começou a abaixar e Kirito lentamente se levantou, e em cumprimento ao Exército Salamander, ele se inclinou e depois de respirar fundo, gritou:

“Ambos os lados, abaixem suas armas!!”

“Woo ah!”

Lyfa, ainda mergulhando, instintivamente abaixou a cabeça. Mas que grito alto, quase tão alto quanto a explosão. Isso fez com que Lyfa, que estava ainda à dez metros do chão, sacudisse. Dos Salamanders, tenha sido da pressão ou apenas o choque, tremeram e recuaram pouco a pouco.

Não era voz que surpreendeu a todos; era a coragem que estava contida nela. O que esse cara está fazendo? Ninguém conseguia entender.

Lyfa olhava para cena com o suor frio caindo da sua testa. Atrás de Kirito, Lyfa pousou proxima ao grupo vestido de verde que seriam os Sylphs. Olhando ao redor, Lyfa imediatamente viu uma figura familiar.

“Sakuya!”

Ouvindo alguém chamar o seu nome, a Sylph olhou ao redor com uma expressão confusa e arregalou os olhos quando viu Lyfa.

“Lyfa!? Por quê você está aqui!? Não, o que está acontecendo...?”

Lyfa abriu sua boca sem pensar, era a primeira vez que ela via Sakuya tão confusa e disse:

“É dificil de explicar, mas agora, nosso destino está nas mãos daquela pessoa!”

“O que está havendo?”

A Lorde Sylph olhou para pequena figura vestida de preto. Lyfa estudou a atual Lorde Sylph, Sakuya, com pensamentos simpáticos.

A mulher esbelta mantinha uma postura firme, com cabelos de um verde tão escuro, quase pretos, ques se aproximavam da linha da cintura. Ela tinha uma pele branca pálida, olhos levemente estreitos, um nariz alto e lábios finos. Se você fosse descrever sua beleza, ela seria tão bela quanto uma lâmina ornamentada.

Vestindo longas roupas Japonesas que abraçavam seu corpo e preso ao seu obi[1], estava uma katana apenas alguns centímetros maior do que a de Lyfa.

Delicados pés, que estavam sobre sapatos carmesins, criavam um constrate com a bainha presa em suas roupas. Olhando para essa figura, não era de se surpreender que ela tinha vencido a eleição para Lorde com impressionantes 80% dos votos.

É claro, os votos não vieram apenas da sua beleza. Por causa da pressão de ser um Lorde, ela raramente participava de caçadas, então seus status não eram tão altos. Entretanto, suas habilidades com a espada faziam-na aparecer nas rodadas finais durantes os torneios de duelos e também sua personalidade a mantinha com uma alta popularidade.

Movendo seus olhos, Lyfa olhou para a bela jogadora ao lado de Sakuya.

Os longos cabelos loiros eram cercados por três orelhas retangulares em abos os lados da cabeça, o que a fazia uma Caith Sith. Ela vestia uma armadura que lembrava um biquini depeça única, que tornava exposto sua delicada pele bronzeada. De ambos os lados da sua cintura, estavam presas armas que pareciam garras, com três pontas pontiagudas. Uma fita colorida estava presa próxima a sua cintura, enfatizando sua cauda, que estava tensa, balançando e tremendo.

Olhando para o seu perfil, era possível ver os longos cílios que cobriam seus olhos grandes e o seu pequeno nariz delgado. O avatar dela em ALO era um tanto incomum, mas podia ser descrito como sendo uma garotinha charmosa. Apesar de ser a primeira vez que a via, Lyfa tinha certeza que se tratava da Lorde Caith Sith, Alicia Rue. Como Sakuya, ela também mantinha sua posição de Lorde com uma impressionante popularidade.

Atrás das duas Lordes, mantidos juntos, seis Caith Siths e seis Sylphs estavam de pé ao redor da mesa branca, todos com expressões assustadas. Ela não conhecia nenhum dos Caith Siths, mas todos os Sylphs ali eram membros do Conselho dos jogadores mais fortes. Olhando mais atentamente, Lyfa confirmou que Sigurd não estava presente.

Quando Lyfa se virou para o exércitodos Salamander na parte sudeste do centro, Kirito gritou novamente:

“Eu tenho algo a dizer ao seu comandante!”

Essa atitude corajosa parecia ter chocado os soldados Salamanders, o grupo de Lanceiros abriu caminho. E de lá, veio um soldado enorme.

Com um cabelo vemelho como as chamas e um rosto que lembrava uma ave de rapina, o seu corpo forte estava coberto por uma ultra-rara Blood Armor e ele carregava uma espada gigantesca, muito mais poderosa que a de Kirito.

Vendo os seus olhos carmesim brilhando por um momento, Lyfa sentiu um calafrio passar por sua espinha. Apesar de não o estar encarando diretamente, essa era primeira vez que Lyfa sentia uma aura tão intimidadora de alguém.

Ele aterrisou na frente de Kirito e, inexpressivo, olhou para Kirito com desprezo. Em seguida, o Salamander abriu sua boca e com uma voz profunda e penetrante, perguntou:

“... O que um Spriggan está fazendo em um lugar como esse? Não que isso vá impedir que matemos você, mas eu vou escutar a sua história em respeito a coragem que está demonstrando.”

Kirito, sem hesitação, respondeu em mesmo tom:

“Meu nome é Kirito, e eu sou o representante da União Spriggan-Undine. E ao meu entendimento, atacando esse lugar, você deseja iniciar uma guerra contra todas as quatro raças?”

Uwaa...

Lyfa estava muda. Essa ideia era ilógica demais. Naquele instante, suor frio desceu de verdade pela sua espinha. Ao mesmo tempo, Sakuya e Alicia Rue se viraram para Lyfa, apenas para ver o piscar desesperado dela.

Mas o comandante Salamander também parecia muito surpreso.

“União Spriggan-Undine...?”

Sua expressão voltou ao normal.

“Você está dizendo que é um embaixador, mas então onde está a sua escolta?”

“Ah, sim. Eu vim aqui para conduzir uma negociação de troca com os Sylphs e os Caith Siths. Mas, se você atacar essa conferência, as coisas vão mudar. Em outras palavras, você estará forçando todas as quatro raças a fazerem uma aliança contra os Salamanders.”

Subitamente, o mundo ficou novamente em silêncio, apenas para ser quebrado pela observação do líder dos Salamanders.

“Hmm, mesmo se você for quem diz ser, como você quer que acredite em alguém que veio sozinho com esse equipamento ruim!?”

O Salamander colocou sua mão nas costas e puxou uma espada de dois gumes absurdamente grande. Ela brilhava em um vermelho escuro e possuia dois dragões entrelaçados em cada lado da lâmina.

“Se você aguentar meus ataques por trinta segundos, eu vou acreditar que você é um embaixador!”

“Quanta generosidade da sua parte, não?”

Kirito puxou sua espada de dois gumes enquanto falava. Diferente do Salamander, a sua espada era apenas um negro estéril sem nenhuma decoração. As asas de Kirito comçeram a vibrar e ele fltuou no ar, tão alto quanto o Salamander. Lyfa pensou que, por um instante, sentiu o espírito de luta dos dois se chocarem e arderem.

... Trinta segundos...

Lyfa engoliu em seco.

Dado as habilidades e a força de Kirito, isso foi mesmo bastante generoso. Mas a intenção assassina que emanava do comandante Salamander, Lyfa podia garantir que ele não era também um adversário comum.

Sword Art Online Vol 03 - 275.jpg

Na atmosfera tensa, Sakuya, que estava ao lado de Lyfa, sussorou:

“Isso é ruim...”

“O que...?”

“Esse Salamander, a espada que ele está segurando. Eu já vi antes em um site que analisa armas lendárias. Essa é a «Demonic Sword Gram», o que faz desse homem o «General Eugene». Você o conhece?”

“... Só pelo nome...”

Lyfa prendeu sua respiração e assentiu, e Sakuya continuou:

“Ele é o irmão do Lorde Salamander «Mortimer», possivelmente no mundo real também. A sua força bruta é comparável a sabedoria do irmão. Dizem que ele é o guerreiro Salamander mais forte... O que torna ele...”

“... O jogador mais forte!?”

“Isso mesmo... A situação não podia ficar pior.”

“... Kirito-kun...”

Lyfa agarrou o peito com ambas as mãos.

As duas pessoas que flutuavam no ar encaravam-se como se tentassem estudar o seu oponente. Nuvens voavam abaixo do sol, e um dos pilares de luz brilhou em meio a elas. Um desses raios refletiu na espada do Salamander, e então, naquele momento.

Eugene lançou seu ataque sem qualquer movimento previsível.

Phew! Com um anel, Eugene se moveu em alta velocidade, fazendo com que o ar vibrasse. Sua espada desenhou um arco carmesim no ar em direção do pequeno Spriggan.

A velocidade de reação de Kirito foi incrivelmente rápida. Ele agiu sem fazer movimentos desnecessários, abrindo suas asas e bloqueando o ataque alto de Eugene. Depois de bloquear o ataque do oponente, Kirito imediatamente contra-atacou – previsível, Lyfa pensou, mas...

“--?”

No momento em que a espada negra e a espada carmesim se cruzaram, a espada carmesim parecia ter se tornado vapor. Ela passou pela espada de Kirito e voltou ao normal.

Dagaaan!! Com um som que poderia fazer o mundo tremer, Kirito foi atingido no peito por uma explosão violenta. Ele parecia uma folha negra sendo arrastada por uma tempestade até despencar no chão. Ouve outro estrondo, e poeira subiu sobre o chão.

“O que foi...!?”

“«Demonic Sword Gram» tem uma habilidade espcial chamada «Ethereal Shift».

Quando ela entra em contato com escudos, espadas ou qualquer objeto defensivo, ela os atravessa. Em outras palavras, ela tem o efeito especial de ‘transpassar’“

“Como, Como pode...”

Lyfa se apressou em checar o HP de Kirito. Mas subitamente, uma sombra saltou da nuvem de poeira, avançando contra Eugene que pairava no ar. “Oh, ele ainda está vivo!”

Como se nada tivesse acontecido, Kirito parou e perguntou:

“O que foi aquele ataque!?”

Kirito perguntou enquanto golpeava com sua espada.

KLANG KLANG! O som metálico continuava. Kirito não parecia disposto a desistir mesmo tendo uma arma inferior. Apesar dos olhos de Lyfa não conseguirem acompanhar os incontáveis ataques de Kirito, Eugene os repelia com sua espada de duas mãos.

Por apenas um breve instante, o ataque de Kirito parou, mas isso foi o suficiente.

Gram mais uma vez brilhou, criando um campo de luz. Quando Kirito estava prestes a bloquear o ataque que mirava em um dos seus flancos, a espada se dissolveu, apenas para reaparecer abaixo da sua defesa e passar pelo seu abdômen.

“Guhaaa!!”

Kirito gritou deixando escapar todo o ar em seus pulmões, dessa vez, ele rodopiou no ar. Com suas asas totalmente abertas, ele conseguiu parar e recuperar o equilíbrio.

“Essa coisa é mesmo eficiente... Ei, já não se passaram trinta segundos?”

Ouvindo o comentário de Kirito, Eugene apenas riu arrogante.

“Desculpe, mas agora eu quero mesmo cortar você. Mudei de ideia, eu vou arrancar a sua cabeça!”

“Esse cara. Eu vou fazê-lo se arrepender!”

Kirito novamente preparou seu ataque, apesar de que infelizmente, parecia claro quem seria o vencedor daquela batalha.

Kirito não tinha nada que pudesse evitar os ataques especiais da «Demonic Sword Gram». Ao invés disso, ele tinha que se esquivar de todos os ataques, mas isso era quase impossível em curta distância e em alta velocidade.

Chegando a essa conclusão, Sakuya sussurou:

“A situação é horrível. Apesar dos jogadores estarem no mesmo nível, a diferença de qualidade das armas é um abismo. Contra a «Demonic Sword Gram», apenas a arma lendária, «Holy Sword Excaliber», poderia competir contra ela, mas ninguém sabe onde ou como obtê-la...”

“...”

Mesmo assim, se for o Kirito... Embora ele pareça ser apenas um novato, ele demonstrou uma força enorme... Esse Spriggan é mesmo um enigma. Enquanto pensava nisso, Lyfa apertava suas mãos contra o peito como se estivesse rezando.

Os contornos irregulares das asas vermelhas de Eugene brilharam quando ele golpeou com sua espada. Kirito se esquivou do ataque movendo-se de modo aleátorio.

Enquanto lutavam, os dois voavam em um padrão complexo, de tempos em tempos, os ataques se chocavam causando efeitos de luz e então se separavam. O HP de Kirito já tinha sido reduzido quase a metade com os dois ataques que tinha tomado. Eugene não era um oponente normal, ele podia podia atravessar facilmente a defesa de Kirito que havia resistido a vários ataques mágicos antes.

Kirito subitamente se virou e estendeu sua mão direita. Ele começou um feitiço, e uma cortina negra começou a sair da sua mão...

Bang, bang, bang, bang! Uma torrente negra de fumaça cobriu os dois oponentes. A fascinante magia de longo alcance rapidamente cobriu todo o espaço.

A escuridão desceu e cobriu a cabeça de Lyfa e então, tudo ao seu arredor ficou escuro. A visão de Lyfa foi obscurecida pela escuridão e ela desesperadamente procurava por Kirito.

“Lyfa, eu vou pegar isso emprestado um pouquinho.”

“Huh!?”

Uma voz sussurou nos seus ouvidos e ela sentiu que sua katana havia sido puxada para fora da bainha.

“Ki... Kirito-kun!?”

Lyfa rapidamente se virou. Não havia ninguém ali, mas a sua bainha estava inexplicavelmente vazia.

“Está tentando se esconder!!”

Eugene gritou no centro da fumaça densa. Imediatamente, veio o som de um novo feitiço.

WHACK! Uma luz vermelha de forma esférica começou a queimar, dispersando a fumaça. A fumaça começou a desaparecer rapidamente, restaurando a luz naquele mundo.

Lyfa olhou em direção do céu azul. Bem ali...

Não havia sinal de Kirito.

O único que estava flutuando no ar era o General Salamander. O Spriggan não podia ser visto em lugar nenhum.

“Sem chance... Ele fugiu...”

Atrás, um Caith Sith disse em choque. Mas antes que ele pudesse terminar, Lyfa gritou:

“É claro que não!”

Não, não havia como. Mesmo se qualquer outro jogador fugisse, ele não fugiria.

Esse jovem, Kirito, não «joga» VRMMOs; ele «vive» neles. Ele acredita que esse mundo é apenas outra realidade e que toda confiança, todo companheirismo e todo o amor que são criados aqui são verdadeiros.

Por isso que, ei... Eu posso escutar...

Vinha de cima, o som de um voo tão poderoso e belo que lembrava o som de uma flauta. Se aproximando, mais perto, mais perto. Mais alto, mais alto.

“...!!”

O Momento em que ela encontrou a figura, um arco-íris foi formado pelas lagrimas que apareceram em seus olhos.

Do meio do sol, um objeto criava o mais forte dos efeitos de luz de Alfheim. Caindo do céu como uma luz celeste, uma pequena sombra descia rapidamente. Eugene percebeu, alguns segundos depois de Lyfa, e olhou para cima. Impressionado pelo poderoso efeito, ele levantou a mão esquerda para proteger os olhos da forte luz do sol. Um jogador mediano se moveria horizontalmente para evitar a luz do sol e seguiria para o espaço onde a sombra estava caindo. Entranto, o General Eugene, conhecido pela sua reputação, fechou sua boca e então a a abriu ao máximo.

“Waaahhhhh!!”

Com um grito que podia fazer com que os céus e a terra tremessem, ele avançou contra o sol como um verdadeiro Salamander. Com o brilho da luz vermelha, ele se lançou como um foguete.

Kirito vinha de cima segurando sua espada negra, que ele normalmente estaria segurando com as duas mãos, mas que dessa vez estava segurada apenas pela direita. Sua mão esquerda estava escondida atrás de suas costas onde não podia ser vista.

Na forte luz, o que ele tinha na mão esquerda brilhou e então, ele a levantou.

O que causava o brilho prateado? Era a katana que Kirito tinha pego da bainha na sua cintura, se Lyfa não estava enganada. E era isso, Kirito segurava uma espada em cada mão.

Estilo Duas espadas – esse conceito não era tão novo assim. Apesar de muitos tentarem usar esse estilo, Lyfa nunca soube de nenhum caso de alguém que tivesse obtido sucesso. Era incrivelmente difícil manipular duas espadas em duas mãos e fazê-las trabalhar em sincronia.

Durante as competições de kendo no mundo real, não era contra as regras usar duas espadas de bambu, uma grande e outra pequena. Entranto, era proibido nas competições do ensino médio e fundamental e o número de estudantes universitários que dominavam o uso de duas espadas era muito pequeno. De qualquer forma, ela nunca usou duas espadas. Talvez tenha suas vantagens, mas é muito dificil de ser práticado. E essa verdade permanecia a mesma no mundo virtual.

Ainda assim, Kirito estava armado com duas espadas. Eugene aparentemente pensava que esse era um ato de desespero e mantinha um sorriso confiante no rosto.

Lyfa abriu seus olhos molhados pela pelas lágrimas, acreditando em Kirito de todo coração.

O Salamander levantou sua espada demoníaca e, com um giro solene, a golpeou contra Kirito. A espada esquerda do Spriggan desceu atingindo-a. Bang! A espada vermelho escuro começou a vibrar .«Ethereal Shift» havia sido ativada, penetranto na defesa de Kirito e aproximando-se do pescoço do Spriggan.

KLANG! Com um som violento do metal sendo tocado, Gram foi defletida. O que a parou foi o movimento perfeitamente sincronizado da espada direita de Kirito. Como um fio sendo puxado por uma agulha, um timing perfeito.

Kirito encarou o rosto chocado de Eugene, e deu um rugido estrondoso.

Sword Art Online Vol 03 - 285.jpg

“O... Ooooaaaa----!!”

Com as espadas em ambas as mãos, ele atacou com uma velocidade tão impressionante que fazia parecer que as espadas se tornavam neblina. A katana na mão esquerda golpeou, seguida de um movimento perfeitamente conectado ao da espada maior. A lâmina negra foi puxada para trás e a katana cortou novamente, então por baixo, pela esquerda e finalmente voltando a posição inicial, a espada de dois gumes desceu em uma estocada utilizando todo o peso de cima.

Prata e negro se misturavam com a contínua sequência de ataques que mais pareciam meteoros atravessando o céu noturno. Quanto treinamento havia sido necessário para adquirir essa velocidade no estilo duas espadas, Lyfa não podia imaginar. Eugene recuava e tentava usar o «Ethereal Shift» para revidar, mas sua espada não podia atravessar duas vezes, sendo bloqueada pela defesa dupla de Kirito.

“Nuooh!!”

Quando General Eugene foi forçado a descer ao chão, ele rugiu. Os efeitos especiais na sua armadura formaram um pequeno muro de chamas, empurrando Kirito para trás. Naquele momento, a espada demoníaca veio -

KONG! Com um som estrondoso, Eugene tomou a ofensiva.

Kirito não hesitou em avançar também, com a katana na mão esquerda movendo-se em uma velocidade que só podia ser comparável a luz. JANG! O grito agudo do metal ecoou. Faíscas cegantes brilharam em um arco no ar.

Antes que o «Ethereal Shift» pudesse ser ativado, a espada de Kirito atingiu um dos lados de Gram. O ataque de Eugene buscava o ombro esquerdo de Kirito, que se moveu para trás. E então...

“Ra... Aaaaaa!!”

Com uma facilidade incrível, a espada na mão direita de Kirito avançou em linha reta.

Thunk! Notas baixas soaram, a lâmina negra atravessava o corpo do Salamander.

“Guahhh!!”

A velocidade quase divina de Kirito só poderia resultar em um dano tão impressionante quanto ela. A barra de HP de Eugene desceu até a zona amarela num instante.

Os ataques de Kirito não pararam aí. Quando Eugene tentou se recuperar, Kirito moveu sua espada negra para trás, continuando seu ataque com a katana na sua mão esquerda e iniciando um combo que Lyfa foi incapaz de de acompanhar. Em um único instante, quatro cortes das espadas foram desenhados no ar, formando um quadrado que cobriu o corpo truculento do Salamander.

“...!!”

General Eugene expressava seu choque enquanto a parte de cima do seu corpo, do seu ombro direito até a esquerda da sua cintura, eram cortadas sem nenhum som. A luz formada pelo quadrado se dispersou em todas as direções.

Logo após, o corpo do General Eugene começou a queimar, enquanto ele desaparecia em um End Frame.

Ninguém se moveu.

Dos Sylphs aos Caith Siths aos cinquenta membros da força de ataque Salamander, todos estava congelados.

Essa havia sido uma batalha de um nível tão alto que ninguém nunca tinha visto algo parecido antes.

Em geral, lutar em ALO significa brandir armas em curta distância ou apenas lançar magias de longa distância sem um único traço de habilidade. Defesa e evasão eram técnicas feitas apenas por jogadores muito experientes e coisas como lutas mano-a-mano de alta habilidade só podiam ser vistas nas últimas rodadas de torneios.

Mas naquela hora, a luta entre Kirito e Eugene era muito mais que aquilo.

A espada ornamentada cortando o ar, voos em alta velocidade, Eugene e sua espada divisora de terras, a ultra velocidade do estilo duas espadas de Kirito o derrotando...

Sakuya foi a primeira a quebrar o silêncio.

“Maravilhoso, maravilhoso!!”

Ela dizia enquanto batia palmas.

“Incrível! Bela luta!”

Alicia Rue disse imediatamente, seguida pelas vinte pessoas atrás dela. Aplausos, seguidos por assobios e gritos de “BRAVO!” soaram em um imenso tumulto.

Lyfa observou o exército dos Salamanders sem respirar. Claro que, no caso do comandante deles ter sido derrotados, ele não vão levar isso com - Surpeendentemente, a onda de aplausos também passou para as tropas dos Salamanders, fazendo-os levantar as lanças e as mové-las como se fossem estandartes.

“Ooh...!”

Lyfa sorriu sem perceber.

Até agora, ela pensava nos Salamanders apenas como inimigos – um bando de foras-da-lei, mas eles continuam sendo jogadores de ALO antes de tudo. O incrível duelo entre Eugene e Kirito realmente tinha mexido com eles também.

Pega pelo entusiasmo, Lyfa também aplaudiu com todo seu coração.

No centro da arena, o rosto de Kirito emergia com um sorriso, enquanto ele guardava sua espada e levantava sua mão direita.

“Ah, obrigado, obrigado!”

Kirito curvou-se em todas as direções, se virou para a direção de Lyfa e gritou:

“Alguém poderia usar uma magia para ressucitá-lo?!”

“Entendido.”

Assetindo, Sakuya flutuou no ar e parou ao lado da Remain Light de Eugene. Com as beiradas do seu kimono flutuando, ela começou a recitar o feitiço para magia de ressurreição.

A luz azul emergiu das mãos de Sakuya e cobriu a chama vermelha. O complicado círculo mágico se solidificou e chama se expandiu, tomando a forma humana.

Com um último brilho, o círculo mágico desapareceu. Kirito, Sakuya e o revivido Eugene pousaram em silêncio na beirada da plataforma. O silêncio mais uma vez tomou conta do lugar.

“... Aquela foi uma habilidade impressionante. Seu desgraçado, você é o jogador mais forte que eu já vi.”

Eugene disse em um tom calmo.

“Obrigado.”

Foi a resposta curta de Kirito.

“Para um Spriggan como você existir, esse mundo é mesmo muito grande.”

“A minha história, você acredita agora?”

“...”

Eugene curvou os olhos, ficando em silêncio.

Naquele momento, da vanguarda dos Salamanders, um jogador correu até Eugene. O jogador de armadura chamou sua atenção e usou a mão esquerda para levantar o visor.

Ele tinha um rosto rude, Lyfa pode vê-lo quando se curvou frente a Eugene antes de falar.

“Gene-san, o senhor teria um momento?”

“Ah, Kagemune, o que é?”

Onde ela tinha escutado esse nome antes? - Lyfa pensou um instante, antes de lembrar. Esse era o nome que o Salamander sobrevivente do lago tinha mencionado. Kagamune era o capitão da tropa de Salamanders que Kirito tinha exterminado na Ancient Forest ontem.

“Eu acho que você já sabe, mas ontem meu grupo aniquilado...”

Ouvindo ele falar isso, Lyfa engoliu sua saliva e aguçou bem os ouvidos para escutar.

“Sim.”

“Foi esse Spriggan, eu tenho certeza, mas ele estava acompanhado por uma Undine.”

“...!?”

Surpresa, Lyfa olhou para o rosto de Kagemune. As sobrancelhas de Kirito contrairam-se por um instante antes de voltar para seu rosto inexpressivo. Kagemune continuou:

“Além disso, temos informações do ‘S’ que um grupo foi enviado para caçar esse homem. Eles aparentemente foram repelidos.”

‘S’ era provavelmente um código para espião. Mas também era o ‘S’ de Sigurd...

Eugene olhou para o rosto de Kagemune. As pessoas começaram a sussurrar umas para as outras e as palmas das mãos de Lyfa começaram a suar, enquanto aguardava pela resposta do outro.

Finalmente, Eugene assentiu e disse:

“É isso mesmo?”

Ele deu um breve sorriso.

“Eu vou deixar por isso mesmo então...”

Então se virou para Kirito.

“Nem nosso Lorde, nem eu, desejamos provocar os Sprganns e as Undines na atual condição. Nós vamos sair daqui, mas, um dia, eu gostaria de lutar com você de novo.”

“Eu vou esperar por esse dia.”

Kirito colocou seu punho frente a ele. Eugene golpeou o punho contra o de Kirito e se virou. Abrindo suas asas, ele saltou do chão e voou. Enquanto ele voava, Kagemune olhou de volta para Lyfa e, com um olhar risonho, piscou com o seu olho direito. Estamos quites agora – isso era o que ele provavelmente queria dizer. Lyfa pensou ter visto um pequeno sorriso no rosto dele.

Vendo os dois Salamanders indo emobra, Lyfa soltou a respiração que ela esteve prendendo todo esse tempo.

As pessoas no chão observavam as tropas Salamanders ainda um tanto confusas, enquanto eles partiam, com suas asas seguindo a liderança de Eugene. A presença deles não podia ser mais sentida e, quando eles entraram nas nuvens, desapareceram completamente.

O silêncio mais uma vez recaiu, e dessa vez foi quebrado pela risada de Kirito.

“... Então existem Salamanders que conseguem entender o que falamos.”

Lyfa ficou sem palavras por alguns segundos, até que elas começaram a se formar no fundo do seu estômago e então sairam. “... Você, você é demais.”

“Estou acostumado a ouvir isso.”

“... Ha ha ha.”

A risada deles finalmente parou com uma tossida de Sakuya, antes dela dizer:

“Desculpe... Mas seria agradável que pudessem explicar a situação.”

Com a calma restaurada na plataforma, Lyfa contou a eles toda a história, embora algumas partes fossem especuçações. Sakuya, Alicia Rur e os membros das duas comunidades escutaram sileciosamente e, quando Lyfa terminou, todos suspiraram profundamente.

“... Então foi isso que aconteceu”

Sakuya, com os braços cruzados sobre o peito, e as belas sobrancelhas arqueadas para baixo, assentiu com a cabeça.

“Nos ultimos meses, o Sigurd andou bastante agitado. Eu achei que ele estivesse envolvido em alguma coisa, mas eu não podia removê-lo do conselho por que tnha medo de me tornar uma ditadora.”

“Sakuya-chan, parece que a sua popularidade te colocou em uma situação difícil.”

Alicia Rue, que estava no poder até há mais tempo que Sakuya, assentiu compreensivamente.

“Agitado... Por quê?”

Lyfa perguntou por que ainda não conseguia entender a lógica de Sigurd, Sakuya então respondeu:

“Provavelmente ele não consegue perdoar essa situação. Ele não consegue tolerar estar abaixo dos Salamanders.”

“...”

“Sigurd é um homem guiado pelo poder, tanto pelo seu status quanto pelo seu poder político quanto jogador... Só de pensar que os Salamanders conquistem a Árvore do Mundo e dominem os céus de Alfheim, a ideia de ter de olhar para eles do chão... Isso é algo que ele não consegue perdoar.”

“... Mas então, por que ele espionaria para os Salamanders?”

“Você ouviu sobre o «UPDATE 5.0», que logo vai ser lançado? Rumores dizem que vai ser incluso um «Rebirth System».”

“Ah... Então...”

“Ele deve ter feito um acordo com Mortimer, por que, desde que o Lorde aceite, ele pode se tornar um Salamander. Mas Renascer vai custar uma grande quantia de Yurudo. De qualquer modo, eu duvido que um homem sangue-frio como o Mortimer iria manter sua palavra até o fim.”

“...”

Lyfa tinha sentimentos complicados, então ela tentava esvaziar sua mente olhando para o céu colorido e para a nuvem distante que cobria a Árvore do Mundo.

Reencarnar como um ALF e ser livre das limitações de voo... Esse tem sido o sonho de Lyfa desde que ela experimentou voar pela primeira vez. Essa era a razão por ela ter se juntado ao grupo de Sigurd. E esse era o por que dela caçar e oferecer quase todo o seu dinheiro para o conselho dos Sylphs.

Se ela não tivesse conhecido Kirito e saido do time, Sigurd talvez tivesse oferecido a ela uma participação no plano de reencarnação. Se isso tivesse acontecido, o que eu teria feito?

“ALO é mesmo um jogo sinistro que testa os desejos dos jogadores.”

Kirito disse subitamente, com sua voz distorcida por um sorriso torto.

“O designer deve ter uma péssima personalidade.”

“Fufu, isso é verdade.”

Sakuya respondeu com um sorriso.

Lyfa decidiu seguir um pouco o seu coração, e pegando na mão esqueda de Kirito com sua mão direita e a pressionando. Aproximando-se de Kirito, que parecia não entender a situação, o coração de Lyfa aos poucos se acalmou.

“Então... O que você vai fazer, Sakuya?”

Após ouvir isso, o belo sorriso desapareceu e deu lugar ao olhar calcuista daqueles que estão no poder, fechando seus olhos. Eles imediatamente se abriram, dessa vez eram olhos verdes que emitiam um brilho de decisão e clareza.

“Rue, você esteve treinando magias negras, certo?”

Ao ouvir as palavras de Sakuya, as longas orelhas de Alicia erijeceram enquanto ela mantinha uma expressão de afirmação.

“Bem, então por favor use «Moonlight Mirror» no Sigurd.”

“Tudo bem, mas não é de noite ainda, então não vai durar muito tempo.”

“Não se preocupe, vai ser rápido.”

Movendo suas orelhas novamente, Alciia Rue levantou as mãos, deu um passo para trás e iniciou o recitar do feitiço.

A voz atraente de Alicia dava um ritimo raro de ser ouvido em uma magia negra. Os arredores escureceram e a luz da lua surgiu do nada.

A luz da lua começou a refletir frente a Alicia e, como um líquido dourado, tomou forma de um espelho. Todos observavam em silêncio o espelho que vinha para a superficie, refletindo um local de completa escuridão.

“Ah...”

Lyfa deixou escapar um suspiro. Projetado no espelho, estava um lugar que ela visitou muitas vezes: A sala do conselho na Mansão do Lorde.

Lyfa podia ver a grande mesa esmeralda e, atrás da mesa, na cadeira reservada para o Lorde, sentava-se um homem. Suas pernas estavam cruzadas sobre a mesa enquanto ele se curvava sobre a cadeira. Seus olhos estavam fechados e suas mãos, por de trás da cabeça; essa pessoa era Sigurd.

Sakuya deu um passou a frente do espelho e chamou com uma voz que soava como um leve tocar de uma harpa.

“Sigurd!”

No espelho, Sigurd subitamente abriu os olhos e saltou como uma mola. Ele provavelmente via o espelho e agora fazia contato visual com Sakuya. Sua boca se abriu e seu corpo tremia.

“Sa- Sakuya!?”

“Sim. Infelizmente, eu ainda estou viva.”

Sakuya respondeu indiferente.

“Por quê.. Não... A conferência...?”

“Ela foi um sucesso. A assinatura do tratado já começou. Ah, sim, nós tivemos um convidado inesperado.”

“C... Convidado...?”

“General Eugene nos pediu para que mandassemos um oi!”

“Que?”

Dessa vez, Sigurd parecia estar muito surpreso. Seu rosto ficou pálido, e seus olhos moviam-se para lá e para cá enquanto ele procurava por palavras. Seus olhos cairam sobre Lyfa e Kirito atrás de Sakuya.

“Ly...!?”

Subitamente, seus olhos se arregalaram. Ele finalmente parecia entender a situação.

Sigurd cerrou os dentes com um sorriso de predador.

“... Aqueles lagartos incompetentes. Então... Sakuya, o que você quer? Resarciamento do dinheiro? Me tirar do Ministério do Poder? Mas se você me perder, o comadante do seu exército, o que vai acontecer com o seu poder político...”

“Não, se você não deseja mais ser um Sylph, irei realizar o seu desejo.”

“Qu... Que...?”

Sakuya elegantemente moveu sua mão esquerda, abrindo o gigantesco menu do sistema exclusivo para Lordes. As númerosas janelas não eram alinhadas, mas formadas por colunas hexagonais de luz. Sakuya encontrou uma janela em especial e moveu-a com o seu dedo.

Do espelho, Sigurd encarou a janela azul na sua frente. Olhando para a mensagem, o seu rosto ficou vermelho no mesmo instante enquanto ele se levantava.

“Por quê, você..! Ficou louca? Você... Eu... Você vai me banir!?”

“Sim, você se tornará um renegado e ficará vagando pela zona neutra. Eu espero que você encontre mais diversão nesse jogo em breve.” “Bem... Eu vou processar você! Eu vou falar para os GMs que isso é um abuso de autoridade!!”

“Como desejar... Adeus, Sigurd.”

Sigurd levantou seu punho e continuou com suas ameaças. Sakuya tocou o botão no menu e Sigurd desapareceu do espelho. Como ele foi banido do território Syplh, ele seria transferido para uma cidade neutra qualquer que não fosse Aarun.

O espelho dourado agora refletia uma sala do conselho vazia, mas, depois disso, a superfície começou a se distorcer. Com um som metálico, o espelho se partiu, junto a neblina que cobria o sol, que desapareceu.

“... Sakuya...”

O silêncio voltou, as sobrancelhas de Sakuya estavam enrrugadas e Lyfa sentiu os sentimentos dela chamando gentilmente.

A bela lorde moveu sua mão esquerda novamente, fazendo o menu desaparecer e, depois de suspirar, sorriu.

“Se meu julgamento foi certo ou errado, isso será decidido na próxima eleição. De qualquer modo, obrigada, Lyfa. Eu sou muito grata a você, que se recusou a se juntar ao conselho e veio aqui me resgatar. Alicia também, me desculpe por ter envolvido você em uma questão civil Syplh e colocá-la em tanto perigo.”

“Nós sobrevivemos, isso não importa!”

Seguindo o tom casual da Lorde Caith Sith, Lyfa balançou a cabeça.

“Eu não fiz nada. Se você quer agradecer alguém, agradeça ao Kirito.”

“Sim, agora que você falou... O que é você...”

Ficando lado a lado, Sakuya e Alicia Rue olharam para Kirito com a pergunta escrita nos seus rostos.

“Você é mesmo um embaixador de uma União Spriggan-Undine?”

´Por curiosidade, Alicia perguntou, com sua cauda balançando. Com sua mão na cintura, Kirito respondeu confiante:

“Era tudo mentira, é claro. Um blefe qualquer, mas necessário para as negociações.”

“Que...!!”

As bocas cairam abertas, em uma completa falta de palavras.

“... Mas que homem inresponsável, só colocando mais fogo na situação...”

“Quando você está com uma mão ruim, você precisa aumentar as apostas.”

Kirito respondeu, gabando-se. Subitamente, Alicia estava sorrindo, e com o sorriso travesso de uma gata, avançou alguns passos, se aproximando de Kirito, ela olhou para o rosto dele bem de perto.

“Você é um grande mentiroso, apesar de ser muito forte! Você sabia? O General Eugene é provavelmente o jogador mais forte de todo ALO. Se você conseguiu vencê-lo no mano a mano, então você é a arma secreta dos Spriggans, não é?”

“Como eu poderia ser? Eu sou apenas um humilde guerreiro de passagem.”

“Pfft, yahahaha!”

Essa resposta arrogante fez Alicia rir, ela pegou no braço direito de Kirito e o abraçou com seu peito. Inclinando sua cabeça, ela deu um olhar sexy. “Isso significa que você pode ir ao território Caith Sith como mercenário. Eu posso te oferecer três refeições ao dia e um cochilo a tarde.”

“Que...”

Sword Art Online Vol 03 - 301.jpg

Lyfa sentiu seus lábios se apertarem. Mas antes que tivesse a chance de falar, outra voz abruptamente interrompeu.

“Ei Rue, me deixe terminar.”

Então veio Sakuya, com uma voz mais amorosa que o normal. Ela agora vestia um vestido sem mangas e agarrou braço esquerdo de Kirito.

“Ele veio primeiramente resgatar os Sylphs, logo nós temos preferência nas negociações. Kirito-kun, podemos ir beber um drink em Sylvain, o que seria apenas uma cortesia, e então nós poderemos falar sobre negócios pessoais...”

Pili Pili. O rosto de Lyfa ficou vermelho de raiva e ela começou a se contorcer incontrolavelmente.

“Ah, bastante astuto, Sakuya-chan. Eu me oponho a sua tentativa de seduzí-lo.”

“E você por acaso tem o direito de dizer isso? Você que está muito perto dele!”

As duas belas lordes agarraram-se a Kirito, que com uma expressão clara de desconforto, desviou seu rosto envergonhado...

Enquanto pensava nisso, Lyfa puxou Kirito pelo colarinho e, por trás dele, gritou:

“Não! Kirito-kun é meu...”

Todos três se viraram para Lyfa. No mesmo instante, ela percebeu o que estava dizendo e voltou a realidade.

“E-ele é, m... Me...”

Incapaz de encontrar palavras, Lyfa ficou em um silêncio desconfortável, depois de ver isso tudo, Kirito sorriu e disse:

“Eu agradeço a gentileza mas – desculpe, eu prometi a ela que iriamos a região central.”

“Oh... É mesmo, que pena.”

O tom reservado de Sakuya retornou, e ela voltou a olhar para Lyfa.

“Você está indo para Aarun, Lyfa? É uma viagem para turismo, ou...?”

“Eu estava abandonando o território – ou então eu pensava. Eu não sei quando, mas eu vou voltar para Sylvain.”

“Entendo, que alívio. Você deve voltar um dia, com ele, é claro.”

“Quando estiverem a caminho, venham até a minha casa, que eu estenderei o tapete vermelho para vocês.”

As duas Lordes soltaram Kirito e suas expressões tornaram-se solenes. Sakuya colocou a mão direita sobre o peito e curvou seu corpo graciosamente. Alicia curvou sua cabeça e suas orelhas desceram um pouco, ambas agradecendo a Kirito e Lyfa. Sakuya levantou a cabeça e disse:

“Eu gostaria de agradecê-los, Lyfa e Kirito. Se nós tivéssemos sido derrotadas, a diferença entre nós e os Salamanders teria se tornado imensurável. Eu gostaria de expressar minha gratidão… “

“Não, isso não é necessário...”

Vendo Kirito coçar a cabeça com uma expressão aflita no rosto, Lyfa pensou em algo. Ela deu um passo à frente e disse:

“Bem, Sakuya, Alicia. A razão por trás dessa aliança, é para atacar a Árvore do Mundo?”

“Bem, esse é o nosso objetivo final. Nós iremos desafiar a Árvore do Mundo juntas; se ambas as raças renascerem como ALF, isso será ótimo, mas se não for possível, a raça que suceder será responsável por auxiliar a outra durante a próxima Grand Quest. Esse é o eixo de sustentação dessa aliança...”

“Por favor, deixe-nos participar do ataque também, assim que for possível.”

Alicia Rue e Sakuya trocaram olhares.

“Não seria nenhum incômodo vocês nos acompanharem, aliás, nós preferimos que vocês se juntem a nós. Mas ainda não sabendo quando… Porém, por quê?”

“...”

Ela espreitou Kirito. O enigmático Spriggan abaixou seus olhos por um momento e disse:

“A razão pela qual eu vim para essa mundo é alcançar o topo da Árvore do Mundo. Há uma pessoa que eu preciso encontrar, e pode ser que ela esteja lá...”

“Pessoa? Está falando do Rei das Fadas, Oberon?”

“Não, creio que seja outra pessoa. É alguém que eu não posso contatar no mundo real, mas que eu preciso encontrar, não importa como.”

“Oh, no topo da Árvore do Mundo, isso quer dizer que é alguém da administração? Uma história bem misteriosa, não é?”

O tópico parecia ter atraido a atenção de Alicia Rue, que disse isso com seus olhos brilhantes, mas então suas orelhas e sua cauda caíram imediatamente.

“Mas... Para preparar um grupo completo com os equipamentos necessários vai demorar um tempo… Não dá para ser feito em um dia ou dois...”

“Entendo, isso é verdade... Meu objetivo por enquanto é chegar na base da árvore... Depois disso, eu penso em alguma coisa.”

Kirito riu um pouco, até que com um ‘Ah, aquilo’ lembrou-se de algo. Kirito moveu sua mão esquerda. Ele rapidamente manipulou o menu e materializou um saco grande de couro.

“Acho que isso pode ajudar na questão dos fundos.”

Dizendo isso, Kirito entregou o saco e, a julgar pelo som, parecia muito pesado e cheio de Yurudos. Alicia aceitou o saco e, por um instante, cambaleou. Carregando-o com ambas as mãos, ele olhou dentro e seus olhos instantemente se arregalaram pelo choque.

“Sa... Sakuya-chan, isso...”

“Hmm..?”

Sakuya abaixou sua cabeça e colocou sua mão dentro do caso. De lá, ela tirou uma meda com um brilho verde.

“Aaahhhh!”

Vendo isso, Lyfa também gritou incrédula. Ambas as lordes continuaram a encarar o conteúdo do saco, paralisadas em seus lugares. As vinte pessoas assistindo atrás começaram a comemorar.

“... Cem mil Yurudo de Mithril... Tudo isso!?”

Mesmo Sakuya, com toda sua calma e serenidade, estava surpresa enquanto encarava a moeda em dúvida. Ainda impressionada, ela balançou a cabeça e devolveu a moeda ao saco.

“Essas moedas, é quase impossível ganhá-las sem lutar contra monstros do tipo Evil God em Jötunheimr... Tem certeza? Com todo esse tinheiro, você pode construir um castelo em um local nobre.”

“Eu não me importo. Eu não preciso mais disso.”

Kirito não parecia sequer preocupado ou arrependido quando assentiu.

Sakuya e Alicia mais uma vez olharam para o saco, deram suspiros profundos e levantaram suas cabeças.

“... Com isso, creio que estamos bem perto do montante necessário.”

“Nós vamos preparer os equipamentos e iremos contatar vocês quando estivermos prontos.”

“Eu vou deixar isso com você.”

Sakuya abriu o menu e Alicia colocou o saco dentro.

“Só de pensar que estamos em um campo aberto com essa quantia me faz tremer... Vamos logo para o território Caith Sith antes que os Salamanders mudem de ideia.”

“É verdade. Vamos continuar a conferência quando voltarmos.”

As Lordes assentiram uma para outra e sinalizaram algo aos seus seguidores. Logo, a longa mesa e as cadeiras já tinham sido removidas.

“Nós devemos muito a vocês. Prometemos que daremos nosso melhor para que seus desejos tornem-se realidade. Kirito, Lyfa.”

“Fico feliz em poder ajudar.”

“Aguardaremos o contato de vocês.”

Sakuya e Alicia estenderam suas mãos respectivamente para Kirito e Lyfa.

“Obrigada! Vamos nos encontrar de novo!”

Alicia disse mais uma vez expondo um sorriso malicioso, balançando sua cauda perto de Kirito e o beijando na bochecha. Ela deixou o nervoso Kirito e se virou em direção de Lyfa – o que ela quis dizer? – e deu a ela uma piscada. E então, ela abriu suas pálidas asas amarelas.

As duas lordes começaram a voar, com um rastro de luz as seguindo enquanto elas se moviam pelo céu vermelho, em direção ao oeste. As seis pessoas de cada raça alinharam-se em um belo V, uma formação similar a de gansos e as seguiram.

Lyfa e Kirito assistiram a ambas as figuras desaparecerem no céu, em meio ao pôr-do-sol.

O som do vento soprando e as folhas sendo levadas por ele eram as únicas lembranças de que ali tinha ocorrido uma batalha. Uma batalha onde estava em jogo o destino de três raças e que agora nada mais era do que uma ilusão. Lyfa sentiu um pouco de frio, e se aninhou próxima de Kirito.

“... Todos foram embora agora.”

“É, parece que finalmente acabou...”

A ruptura com Sigurd e a série de eventos que se seguiram, Lyfa sentiu como se tudo isso tivesse sido há muito tempo. Quando, na verdade, apenas 7 ou 8 horas tinham se passado.

“De algum modo...”

Junto com Kirito, esse era o mundo real, ela sentia que esse era um pensamento do seu verdadeiro eu, algo que – Lyfa/Suguha não podia expressar em palavras. Em vez disso, ela pressionou seu corpo junto ao peito de Kirito e tentou ouvir as batidas do seu coração, quando…

“Como você, eu disse, sem traições, papai!”

“Que..”

Yui saltou do bolso de Kirito e falou em tom de indignação. Lyfa se apressou em tomar alguma distância de Kirito.

“Por que do nada...”

Yui voou ao redor do rosto de Kirito, que continuava sem jeito, por alguns instantes depois que ele disse isso, e então sentou-se no ombro dele, com um expressão fofa.

“Quando as Lordes agarram você, o seu coração começou a bater mais rápido por alguma razão!”

“E-... Eu sou um cara, não tem como evitar!!”

Lyfa estava aliviada quando percebeu que Yui não estava falando dela, mas com essa nova dúvida, ela teve de perguntar a Yui.

“Ei, Yui-chan, tudo bem se for eu?”

“Se for a Lyfa-san, então tudo bem.”

“P-Por que...?”

“Bem, Lyfa não parece ter sentimentos de uma mulher...”

Essa resposta brusca veio de Kirito.

“Esp... Que... O que você quis dizer com isso!?”

Ela não pode ignorar essas palavras. No mesmo instante, a mão de Lyfa tocou o cabo da sua katana.

“N... Não, quero dizer... Você é fácil de aproximar... É um elogio, sim.”

Um sorriso surgiu no rosto de Kirito, um pouco antes de uma risadinha nervosa.

“Ao invés de se preocupar com isso, vamos logo voar para Aarun! O sol já está se pondo!”

“Ah, ei, espera!!”

Lyfa abriu suas asas e saltou do chão.


Kirito mirava a Árvore do Mundo, acelerando. Ela o perseguia, batendo suas assas a toda velocidade enquanto o observava um pouco atrás. Atrás das grandes montanhas estavam as planícies da Ancient Forest e o familiar território Sylph. Entretanto, ela não percebeu isso, pois as estrelas começaram a surgir no céu azul noturno.


* * *

O sol, que antes parecia imóvel quando estava no zênite do céu, lentamente desceu, desaparecendo no horizonte e pintando o céu com o vermelho.

Agora, desde a última vez que Oberon tinha vindo visitar Asuna, já haviam se passado ao menos 5 horas, ao menos segundo suas contas. Provavelmente, já havia passado da meia-noite no outro lado. Ela rezou, pedindo para que não estivesse sendo vigiada e se levantou.

Dez passos até a porta dourada. Ela não pode evitar a surpresa de estar confinada em um lugar tão pequeno por mais de dois meses...

‘Mas – isso acaba hoje.’

Enquanto pensava nisso, Asuna estendeu a mão direita em direção dos dígitos colocados na borda daquela porta. Cinco horas atrás, ela havia utilizado um espelho para ver a sequência de números necessários para abrir a porta no instante em que Oberon saia e a memorizou. Agora, um a um, ela ia recriando a sequência. A cada toque nos pequenos botões, um click a respondia e uma onda de nervosismo passava pelo seu corpo trêmulo.

“... 3... 2... 9”

Rezando, ela digitou os números finais, e com um som metálico, a porta sinalizou que havia se aberto. Asuna, involuntariamente, dobrou seu braço direito e apertou o punho. Quando percebeu, ela estava fazendo um dos gestos favoritos de Kirito, uma risada quase saiu pela sua boca.

“Kirito-kun! Eu vou fazer tudo que eu posso!”

Asuna sussurrou isso enquanto abria a porta. Além do que segurava a gaiola, outro galho, muito mais retorcido, criava um pequeno caminho em direção do tronco da árvore. Ela deixou sua prisão, um passo, dois passos, a porta se fechou atrás dela automaticamente, sem fazer nenhum barulho. Asuna balançou o cabelo e levantou o peito, decidida. Ela tinha certeza de que um novo mundo estava a sua frente.

Alguns minutos depois, ela voltou a olhar para gaiola dourada, mas, coberta por folhas verde escuras, ela já não podia ser vista.

Asuna parou em meio a um galho da Árvore do Mundo e suspirou. Ela sentia como se tivesse andado vários quilômetros. Era um lugar extraordinariamente grande.

Oberon era uma pessoa tão impaciente que, provavelmente, o terminal que possibilitaria sua saída não estava muito distante da sua cela; mas parece que ela estava errada. Se ele usa menus como em SAO ou comandos ativados por voz, então seria difícil de acessar o sistema.

Além disso, eu não posso mais voltar para aquele lugar. Eu preciso ir o mais longe que posso.

Eu vou sobreviver e voltar ao mundo real. Para encontrá-lo, mais uma vez.

Asuna gravou esse desejo no seu coração e seguiu em frente.

Notas de tradução[edit]

  1. Obi é a faixa de tecido resistente que os praticantes de artes marciais usam na cintura para indicar sua graduação.