High School DxD: Volume 1 Vida 2

From Baka-Tsuki
Jump to: navigation, search

Vida.2: Agora sou um Demônio[edit]

Parte 1[edit]

—Uooooooooo!

É meia-noite e eu estou pedalando minha bicicleta a toda velocidade. O motivo disso é simples. Eu estou distribuindo panfletos. Aqueles mesmos que contém um círculo mágico fácil de usar. Quando um humano que possui um forte anseio pega um desses na sua mão e roga por aquilo que deseja, um de nós, demônios, será chamado à sua frente.

Eu dou uma olhada no GPS portátil que estou segurando. A tela mostra o mapa da cidade com luzes vermelhas piscando em vários pontos. Eu estou indo em direção a esses lugares.

Assim que eu chego ao local indicado no mapa pela luz piscando, que é a casa de alguém, coloco o panfleto na caixa de correio. A seguir parto em direção ao próximo local indicado. Venho repetindo esse procedimento. Uma vez atrás da outra, sem parar.

—Poooooooorra! Não dá para escapar! Esse é o meu destino! Afinal, eu sou um demônio! Eu continuo pedalando a bicicleta enquanto faço o meu desabafo.

Isso tudo começou naquele dia em que descobri que eu sou um demônio. Foi o dia em que eu soube ser o possuidor de uma 'Sacred Gear', que a Yuuma é um Anjo Caído, e que a Rias é um demônio também.

Aliás, minhas asas de demônio desapareceram logo depois de terem aparecido. Afinal de contas, elas seriam um grande empecilho para o meu dia-a-dia. Aparentemente eu poderei usá-las para voar, se conseguir me acostumar a elas. A sensação de ter asas é muito desagradável. Foi um choque para mim ter asas surgindo de minhas costas.

—Se você me aceitar como mestra, sua nova vida pode ser brilhante, sabia?

Foi o que Rias me disse, com uma piscadela, quando eu estava deprimido ao descobrir que eu passara a ser um demônio. Aparentemente, em compensação por ter sido reencarnado como demônio pela Rias, eu deveria viver como servo dela. Foi isso que eu entendi. Todos aqueles que forem reencarnados de humanos para demônios devem obrigatoriamente servir ao demônio que os transformou. Na verdade, essa é uma regra dos demônios. O que? Eu sou servo dela...? Pode não ser tão ruim assim ser o servo de uma beldade, mas ainda assim, não consigo concordar com isso.

Mas, sabe, tem uma hierarquia entre os demônios. É algo como uma nobiliarquia, um pariato. Eu também tenho uma posição hierárquica. O lugar onde nasceu e sua árvore genealógica são essenciais para determinar sua posição, mas há casos de demônios que conseguiram subir. Todos os iniciantes começam como novatos.

—Podia para de falar como se fosse um comercial para recrutamento? Tá falando sério? Eu mal posso acreditar.

Rias começou a cochichar no meu ouvido quando eu estava reclamando. Seus cabelos ruivos são tão cheirosos. Fiquei paralisado pela sensação. Será que isso também é o tal poder demoníaco?

—Aliás, você pode até começar uma vida nova de muito sucesso com as garotas, sabia?

--?

Essas palavras bateram fundo.

—Como?!

As palavras saíram da minha boca por instinto, antes que eu tivesse tempo para pensar. Se for assim, tenho que reconhecer que sou um pervertido de corpo e alma.

Não, peraí, isso deve ser o efeito do poder demoníaco que a Senpai lançou sobre mim. Acho que estou ainda mais tenso do que de costume.

—A maioria dos Demônios originais pereceu na guerra que aconteceu há muito tempo atrás. Por causa disso, nós começamos a coletar servos em grande número. Porém, os Demônios não têm hoje a mesma força ou influência que tinham originalmente quando lideraram suas tropas. Justamente por isso nós precisamos continuar aumentando os nossos números. Como os humanos, os demônios também se dividem em gênero, machos e fêmeas, e são capazes de gerarem. Porém o crescimento natural dessa forma é muito lento, os demônios têm uma taxa de fecundidade baixa. Com isso, não conseguiríamos nos opor aos Anjos Caídos. Portanto, nós procuramos os humanos com bom potencial e os transformamos em demônios. Quer dizer, como servos.

—Então eu sou só um servo, mesmo.

—Ah, não faça essa cara. Agora cheguei ao ponto mais importante. Como isso que eu falei só aumenta o número de servos, o de Demônios poderosos continua o mesmo. Para resolver isso, os Demônios decidiram dar uma chance aos demônios reencarnados, os reencarnados de humanos. Foi decidido conceder acesso à hierarquia de nobreza aos reencarnados que mostrarem grande poder. Por isso existem muitos Demônios poderosos entre os humanos. Também existem Demônios que, como eu, vieram viver na sociedade humana. Ise, você pode não ter notado, mas certamente você passa por demônios diariamente nesta cidade.

—Então os demônios sempre estiveram entre nós?!

—Sim. Inclusive existem pessoas que conseguem distinguir quem é demônio instintivamente. Aqueles muito gananciosos ou que querem receber ajuda dos demônios, conseguem nos identificar com mais facilidade. Normalmente nos somos convocados por esses tipos, que fazem uso, então, desses folhetos, com o círculo mágico, que distribuímos. Ise existe até mesmo gente como você, que apesar de conseguir nos distinguir não acreditam na existência de demônios. A maioria, porém, acaba acreditando quando testemunha o uso do nosso poder demoníaco.

O que? Então quer dizer que a razão de eu ter chamado pela Senpai é que eu tenho uma ganância muito forte?

Bem, parece que até na sociedade demoníaca existem oportunidades de crescimento. Deve ser difícil, mas isso não é o que importa agora. O importante é que eu também tenho chance!

—Então! Quer dizer que eu também posso entrar pra nobreza, dependendo do meu esforço?

—Claro. Não é impossível. Obviamente você vai precisar se esforçar muito, por bastante tempo para conseguir.

"Viiiiiva!!" Eu grito no meio do salão.

—Tá falando sério?! Eu?! Vou conseguir ter o meu próprio harém?! Eu vou poder transar com elas também, não é!?

—Sim, se forem seus servos, não tem problema.

Um raio fulmina o meu corpo. Não acredito. Algo assim realmente é possível? No mundo real, como um simples humano, é extremamente difícil construir seu próprio harém. É impossível arrumar uma horda de garotas se você é uma pessoa normal. Além do mais minha situação é ainda pior, já que eu nem sequer tenho uma namorada. Bem eu tinha uma, mas ela me matou com uma lança. Mas agora é diferente. Agora eu posso... —Uaaaaaaaaaaaah!! Ser um demônio é bom demais! Ah moleque! Chegou a minha vez. Já posso jogar fora as revistas eróticas que eu tenho escondido lá em--

Eu interrompi minha linha de pensamento e comecei a refletir sobre o que estava a ponto de fazer.

—Não. As revistas eróticas não. Não posso jogar tudo aquilo fora. Aquilo é o meu tesouro. Eu ainda posso usá-las até que a mamãe descubra e jogue fora. Uma coisa não tem a ver com a outra. Nada a ver.

—Huhu. Esse garoto é uma piada. Rias dava risada; ela deve me achar um cara ridículo.

—Ora, ora. É exatamente como você tinha falado Buchou. Eu sinto como se tivesse ganhado um irmãozinho idiota. Até a Himejima ria de mim. haha, acho que ela está falando mal de mim.

—Presta a atenção, Ise. Você então concorda em ser meu servo, não é? Se você mostrar potencial, então eventualmente você vai se destacar. Aí quem sabe você pode até receber entrar na hierarquia dos demônios.

—Sim, Mestre Rias!

—Errado! Você tem que me chamar de 'Buchou'.

—Buchou? Não posso te chamar de Irmãzona? Arrojadamente perguntei.

Eu sempre quis ter uma irmã mais velha. Não é como no caso da atração da menina mais nova, mas todos os rapazes também gostariam de poder chamar uma beldade mais velha de 'Irmãzona'.

Rias pensou por alguns instantes, mas acenou negativamente com a cabeça.

—Hmm. Isso até que soa bem, mas como estamos na escola, 'Buchou' soa melhor. Afinal de contas, aqui no Clube de Pesquisa Oculta todos me chamam de Buchou.

—Tudo bem! Então, Buchou, me ensine como ser um demônio!

Ouvindo essa resposta de mim, a Buchou deu sorriso diabólico. Ela parece ter ficado muito satisfeita.

— Huhuhu, boa resposta, Ise. Certo, vou te transformar em um verdadeiro homem.

A Buchou começa a acariciar meu queixo com seus dedos. Irmãzona! É a minha Irmãzona!

Eu vou despertar como demônio a serviço dela. Não é só isso, eu vou subir! Eu sei que consigo.

Afinal de contas, eu não vou poder voltar a ser humano de novo, não é? Então, eu vou seguir em frente! Eu já aceitei a minha situação atual.

Pode parecer burrice, mas acho que vai ficar tudo bem. Estou convencido.

Na verdade é como se a meu libido estivesse no máximo! É porque estou muito tenso. Fico feliz de ser um cara capaz de tudo pela sua ambição sexual!

Ao invés de ficar pensando sobre o novo mundo no qual eu acabei de entrar, vou apenas deixar a vida me levar.

—Vou ser o rei da mulherada!

Pensando com calma sobre aquele dia, provavelmente eu fui tapeado pelos poderes demoníacos da Buchou e acabei aceitando tudo. Bem, acho que não tem problema. Afinal, é de um harém que estamos falando. Criar um harém vai ser fantástico.

Com isso, me tornei um membro do Clube de Pesquisa Oculta.

Alguns dias se passaram desde que fui transformado em um demônio. Eu estava pedalando loucamente a minha bicicleta, noite adentro. Desde aquele dia eu tenho trabalhado um bocado como servo da Buchou Rias.

Nós nos reunimos à noite no prédio velho na escola. Isso porque nós, demônios, podemos usar melhor os nossos poderes depois que escurece. O fenômeno que vinha acontecendo comigo é consequência do meu poder demoníaco.

Sendo um demônio, meus poderes aumentam à noite. É maravilhoso. Por outro lado à razão de eu ficar mais fraco durante o dia também é por eu ser um demônio. Demônios odeiam a luz. Parece que quanto mais forte for à luz, pior é para os nossos corpos.

A luz é um veneno — Isso quem me disse foi a Buchou.

Parece que os Anjos Caídos e os Anjos, que usam a luz como arma, são os inimigos naturais dos Demônios. Me mandaram fugir se visse um deles. Mas uma vez que você se acostuma, você consegue aguentar a luz do sol.

A causa de eu ficar tão fraco às manhãs é que eu fui ressuscitado como demônio muito recentemente e meu corpo ainda não se acostumou. Aparentemente, com o tempo eu vou me acostumar. Além do mais, a razão de eu ter sido abandonado sozinho na ocasião, foi que ela queria eu fosse me acostumando com as mudanças do meu corpo por mim mesmo.

Ela planejava abri o jogo comigo no momento mais apropriado. Por coincidência, esse momento ocorreu no dia em que fui atacado por aquele cara. Eu acredito que deve ter sido o destino, mesmo.

De qualquer maneira, agora estou trabalhando duro como servo demônio de Rias Gremory.

Como eu acabei de renascer como demônio, me disseram que eu devo estudar acerca da sociedade demoníaca e como ela funciona. Mandaram-me distribuir estes folhetos para ir me acostumando com ela.

Eu achei que meus pais fossem ficar preocupados se eu passasse todas as noites fora, mas a Buchou sorriu e disse que 'naquele dia eu fiz todos os 'trabalhos' necessários, então não vai ter problema.

Realmente meus pais não ficam bravos quando chego tarde após meu trabalho. Eles falam apenas 'Boa noite'. Hmm, o poder demoníaco da Buchou é mesmo impressionante.

Por falar em impressionante, eu fiquei boquiaberto com a enorme influência que a Buchou tem na escola. A escola que frequentamos é domínio dela. É ela quem verdadeiramente controla a escola por debaixo dos panos.

Parece que a pessoa mais graduada na direção da academia, tem ligações com os demônios e, portanto, não se opõe a Casa dos Gremory. Na prática a escola é, basicamente, propriedade pessoal da Buchou.

É por essa razão, também, que nos é permitido acesso à escola à noite.

Voltemos a falar do meu trabalho. Todos os dias eu saio de bicicleta entregando os panfletos, usados para invocar o grupo de Rias Gremory, diretamente nas caixas de correspondências por meio de um aparelho misterioso.

Aparentemente o aparelho que estou segurando possui um mecanismo secreto com uma tecnologia desenvolvida pelos demônios. Ele se parece com um Videogame portátil. Tem uma tela e vários botões. Ele é do tipo sensível ao toque e vem com uma caneta de toque.

Agora mesmo eu estou usando o aparelho como eles me mostraram. A tela mostra o mapa da cidade, que é território da Buchou.

Cada Demônio possui um território no mundo humano e ele só pode operar no seu território.

O nosso trabalho consiste em, resumindo: nós somos chamados, daí nós formamos um contrato e com isso nós concedemos o desejo que eles solicitarem. O preço que nós cobramos varia de acordo com o desejo expressado. Pode ser dinheiro, um objeto, ou até mesmo a vida do sujeito.

Bem, parece que nunca houve um contratante disposto a dar a própria vida para conseguir um desejo. Porém, mesmo que aparecesse um, o contrato provavelmente seria invalidado pelo preço não corresponder ao valor do desejo. Segundo a Buchou, 'As pessoas têm o mesmo valor'.

É..., é cruel.

Voltando ao aparelho, as luzes piscando na tela representam as casas das pessoas com muita ganância. Então eu vou lá e entrego o panfleto com o círculo mágico.

Enquanto houver luzes piscando no monitor, meu trabalho não acaba.

Como eu me tornei um demônio, as outras pessoas, e até mesmo a polícia, não prestam muita atenção em mim. Quando estou ativo como demônio, eu passo despercebido durante o trabalho.

Eu pedalo minha bicicleta e faço entregas todos os dias, mas as luzes da tela nunca desaparecem por completo. Isso é para ver como os humanos são seres gananciosos.

Uma vez que você faz um pedido, isso acaba virando um vício e você fica querendo fazer outros pedidos.

O estabelecimento de contratos só pode ser feito à noite. Isso porque os Demônios só podem operar nesse horário. O dia está reservado a Deus e aos Anjos. O porquê disto, eu não sei.

Os folhetos só podem ser usados uma vez, portanto, uma vez que eles os usarem, eu vou ter que entregar de novo. Ou seja, meu trabalho não vai acabar nunca.

Bem, graças a isso, Presidenta Rias e os outros vão continuar ativos e nós nunca vamos ficar sem trabalho. E assim nós vamos aumentando nossos pontos demoníacos. Parece que nós recebemos o reconhecimento do Rei dos Demônios quando fazemos contratos e concedemos desejos aos humanos.

Então é isso. Se eu continuar trabalhando duro assim, vou acabar recebendo um título de nobreza do Rei!

Então o melhor é pegar trabalhos mais importantes. Eu quero! Eu também quero fazer contratos!

—Uoooooh! Eu quero me rodear de garotas o mais rápido que eu puder!

Porém agora eu tenho que ser paciente e continuar fazendo essas tarefas simples. Mas por quanto tempo eu vou ter que continuar fazendo isso...

Parte 2[edit]

Certo dia, após as aulas. Eu andava em direção ao antigo prédio da escola depois de ter me separado dos meus dois amigos.

Comecei a pensar; parece que meu trabalho de distribuir panfletos era originalmente atribuição do familiar da Buchou. A Rias altera a forma do rato e do morcego, que ela cria para a de humano e mandava eles fazerem as entregas. Diz ela que eles fazem isso o dia todo.

A razão de eu ter recebido o trabalho foi que a Buchou queria que eu ficasse sabendo que tipo de trabalho os demônios têm que fazer no começo.

Até Kiba e os outros tiveram que passar por isso. Afinal, Kiba, Toujou Koneko e Himejima são todos Demônios servos da Buchou Rias. Eles são meus veteranos.

Portanto, todos eles têm experiência nesse trabalho que eu estou fazendo. Cada pessoa tem sua própria história no serviço. Ah, mas eles não são 'pessoas', são Demônios.

Pode parecer sem importância, mas obtive permissão da Toujou e da Himejima para chamá-las de 'Koneko' e 'Akeno' respectivamente. Com isso estou um passo mais perto delas na nossa relação.

Huhuhu, de propósito eu as chamei pelo nome bem na frente do Matsuda e do Motohama. A cara que eles fizeram foi impagável.

Eu não falei nada sobre mim para eles. Mesmo se eu os dissesse não iam acreditar, e também acho que seria perigoso para eles entrar nesse mundo. Eu já morri uma vez, não quero arrastar eles para isto.

Por falar nisso, eu continua chamando o Kiba de Kiba mesmo. Se mata, seu garoto bonito. Nunca tive a intenção de respeita-lo.

Bem, hoje eu fui chamado para ir ao clube. Eu fui ao prédio antigo, com o qual já estou familiarizado, e caminhei direto à sala do segundo andar.

— Com licença.

Quando entrei, após pedir licença, encontrei todos já presentes. Ó, então sou o último a chegar.

A sala estava escura, com a janela obscurecida para evitar a entrada de luz. A única iluminação vinha de várias velas espalhadas pelo chão. "Então você já chegou." Assim que confirmou minha presença, Buchou deu uma ordem à Akeno.

— Sim, Buchou. Ise, por favor, venha ao centro do círculo magico. Akeno me chama, acenando com a mão.

Uma linda garota está acenando com suas mãos para me chamar. Muito obrigado. Só isso já é o suficiente para mim. Eu fui até o centro do círculo. Bem, e agora?

—Ise, o seu trabalho de entregar os panfletos acabou. Foi um bom trabalho. Buchou sorria. Ah, então isso finalmente acabou. Agora você vai começar com o verdadeiro trabalho de um Demônio.

Oh, agora vou poder fazer contratos?!

—É isso mesmo. Mas como é a sua primeira vez, vai ser um contrato com uma pessoa que tem um desejo menor. A Koneko tem dois desejos em espera. Como vai ser difícil pra ela fazer os dois, vou deixar um deles com você.

—... Por favor, me dê uma ajuda. Koneko inclina a cabeça.

Então vou ao lugar da Koneko. Tudo bem. Eu já estava cansado de entregar os folhetos. Surpreendentemente, pedalar minha bicicleta todas as noites entregando panfletos me fez sentir muito solitário.

Os outros estavam fora do círculo mágico. Akeno, que estava dentro, invocava alguma mágica. De repente o círculo mágico começou a emitir luminosidades branca e azul.

—M-Mmmmm...

— Fique quieto, Ise. Neste momento a Akeno está inserindo o seu selo no círculo mágico, disse a Buchou.

Meu selo? Parece que este círculo mágico representa os 'Gremory'. Disseram-me que para nós, servos-demônios da Buchou, isto é algo como o brasão da família. Portanto, para as pessoas que estão tentando nos invocar, e também para pessoas que querem estabelecer um contrato conosco, este brasão é o nosso símbolo.

Então a ativação do tão falado 'poder demoníaco' está relacionado com isso.

Kiba e os outros tem esse brasão gravado nos seus corpos, em tamanhos diferentes, e ele é ativado sempre que eles usam o poder demoníaco. Isso é o que me foi dito.

Eu pensei em tatuar o símbolo também, contudo parece que primeiro você precisa aprender a controlar seu poder demoníaco, recebido quando você se tornou um demônio. Depois, você usa esse poder, que reproduz fenômenos naturais, sincronizando-o com o círculo mágico. Bom, pelo menos foi isso o que eu entendi.

—Ise, coloque a palma de sua mão nesta direção.

Virei à palma da minha mão na direção da Buchou, do jeito que ela falou. A Buchou desenha alguma coisa na minha palma com os seus dedos.

Será que ela está desenhando algum feitiço? Eu sinto que ela está desenhando algo no formato de um círculo...

Então minha palma começou a brilhar. Tem um símbolo circular, um círculo mágico gravado na minha mão. Ele brilha em azul e branco.

Uau, um círculo mágico!

—Isso permite a você transportar-se ao local do cliente instantaneamente, fazendo uso do círculo mágico de tele transporte.

Oh, já entendi. Então ele pode ser usado para isso.

—Akeno, você está pronta?

—Sim, Buchou.

A Akeno então sai do círculo mágico.

—Agora vá para o centro

Eu me posto bem no centro do círculo mágico, como ela me instruiu. O círculo mágico começa a brilhar ainda mais intensamente. De alguma forma eu posso sentir poder emanando dele. Quando estou em contato com o círculo mágico, o poder que reside em mim flui para fora. Será que essa é uma peculiaridade do grupo?

—O círculo mágico está reagindo ao cliente. Você vai ser tele portado para o local. Você já leu o manual do que fazer quando chegar lá, não é?

—Sim.

—Resposta certa. Agora, vai logo!

Estou ficando excitado! Meu primeiro trabalho! Eu definitivamente vou realizá-lo satisfatoriamente!

O círculo mágico está começando a brilhar mais forte. Parece que eu vou ser tele transportado para lá num instante. Várias luzes cobrem o meu corpo. Eu fecho os olhos por causa da claridade. Quando eu abrir os olhos de novo, vou estar na presença do cliente! Ah! Mal posso esperar!

E então-- Eu-- Instantaneamente-- Tele portado...

...

... Hm? Hmm. Hã? Eu fui tele portado? Já acabou? Abri meus olhos timidamente.

... Fiquei sem fala por causa das imediações onde eu me encontrava. Era a sala do Clube. Hã? O que houve com o tele transporte instantâneo? Cadê o cliente?

Quando eu olhei, a Presidenta parece incomodada e estava com a mão na testa. Akeno dizia "ora ora" desapontada. O babaca do Kiba suspirava.

Ele está me irritando. Afinal, aconteceu alguma coisa comigo?

"Ise." A presidenta chama o meu nome.

—Sim.

—É lamentável, mas parece que você não é capaz de usar o círculo mágico para ser transportado até o local do cliente.

Hã? Mas o que isso significa? Eu mostro uma expressão de perplexidade, e a Veterana explica para mim.

—O círculo mágico exige certa quantidade de poder demoníaco para funcionar... Não precisa ser muito. Na verdade é um feito que qualquer demônio é capaz. Até crianças. Transporte através do círculo mágico é o primeiro, e mais fácil, dos passos para ser um demônio.

O-o que ela quer dizer com isso...?

—Em outras palavras, Ise, seu poder demoníaco é menor que o de crianças-demônio. Na verdade é tão baixo que nem o círculo mágico responde a ele. Ise, seu poder demoníaco é incrivelmente baixo.

Que! O Queeeeee!

—Que meeeeeeeeerda!!!

Fiquei arrasado. Então isso quer dizer que não vou poder usar o círculo mágico para me tele portar ao local do cliente porque não tenho poder demoníaco?! Eu não sou um Demônio? Eu sou não sou?

"... Que desagradável." Diz a Koneko sem mostrar a menor expressão. Você foi cruel, Koneko.

"Ora ora. Estamos com um problema. O que vamos fazer, Buchou?" A Akeno pergunta, com uma cara de preocupação.

Uggh. Minha estreia como Demônio foi com o pé esquerdo...

A Presidenta pensa um pouco, e diz pra mim.

—Nós não podemos deixar o cliente esperando, Ise.

—Sim!

—Isso nunca aconteceu antes, mas você vai ter que ir a pé.

—A pé?!

—Isso mesmo. Que nem quando você distribuiu os panfletos, vai ter que ir até a casa do cliente com a sua bicicleta. Não tem jeito. Afinal, você não tem nenhum poder demoníaco. Você vai ter que compensar com o esforço do seu próprio corpo.

—De bicicleta?! Vou ter que ir ao local do cliente de bicicleta?! E existe algum Demônio que faça isso?

Koneko, então aponta silenciosamente na minha direção. Koneko, você gosta mesmo de me humilhar. Uuuu...

—Anda, vai logo! Demônios têm que fazer contratos! Você não pode deixar os humanos esperando!

A Buchou me apressa. Ela tá com a cara muito séria. Meu objetivo de conseguir posição de nobreza começou mal!

—Uáááá! Vou me esforçar-!

Saí do clube aos prantos.

Parte 3[edit]

É meia-noite e eu estou pedalando minha bicicleta a toda velocidade. Meus olhos estão cheios de lágrimas. Estou chorando. É, estou chorando. Um demônio que não consegue nem ser invocado por um círculo mágico. Sou eu mesmo. Aparentemente essa é a primeira vez que isso acontece, minhas queridas. Por isso minhas lágrimas não param de cair.

O que ela queria dizer com eu não ter poder demoníaco? Droga! Será que eu realmente vou conseguir uma posição de nobreza desse jeito? Usando o aparelho portátil demoníaco, vou pedalando até o lugar onde está a pessoa que me convocou. É um prédio localizado a vinte minutos da escola. O cliente mora num dos apartamentos.

Se fosse um serviço de entregas o cliente estaria furioso com o atraso. Normalmente o transporte é instantâneo. Mas eu fiz o cliente esperar mais de vinte minutos. Se eu trabalhasse para uma pizzaria o gerente teria dado uma bronca daquelas. O gerente está uma fera. Está com uma péssima impressão de mim. Ah, é dura a vida de um demônio.

Bati na porta.

—Boa tarde! Sou um enviado do Demônio Gremory! Com licença, mas essa é a casa que nos chamou, não é?

Acho que isso é o suficiente. Demônios só podem ser vistos pelos humanos que querem fazer contratos. Mesmo que eu dissesse isso no meio da madrugada, os vizinhos não perceberiam nada. Parece que apenas o cliente pode me ouvir dizendo isso. No período em que estamos agindo como Demônios, um poder demoníaco especiais é ativado, evitando afetar outras pessoas no nosso serviço. Foi o que a Buchou me explicou.

—Q-Quem está aí? Era a voz de um homem aterrorizado.

—Umm, Eu sou um demônio. Sou um novato e vim aqui por que você me chamou.

—N-Não minta pra mim! Nenhum demônio bate na porta! Demônios aparecem direto destes panfletos! Foi assim da outra vez! E quem eu chamei foi a Koneko!

É, ele tem razão. Vou me desculpar por isso. Perdão. Foi algo inesperado para nós também.

—Ah, desculpe. Aparentemente eu não tenho poder demoníaco suficiente para aparecer pelo círculo mágico.

—Você pode muito bem ser um tarado!

Isso me deixou irritado.

—Não sou um tarado! Não posso fazer nada! Se eu pudesse, eu também gostaria de aparecer pelo círculo mágico! Que tipo de perdedor atravessaria a cidade pedalando uma bicicleta no meio da madrugada?!

—Porque é que você é que está ficando nervoso, seu taradão!

—Taradão?! Vá se foder! Estou te falando, eu sou um demônio!

—Vai embora!

O cliente finalmente abre a porta e reclama. Ele é muito magro, parece doente. Ele parece zangado, mas assim que ele olha pra minha cara, sua expressão relaxa um pouco.

—... Você está chorando?

—Hã? Estou?

Quando passo a mão no rosto, ela fica húmida de lágrimas. É, estou mesmo chorando.

—Então é isso. Você ficou deprimido ao descobrir que não conseguia se transportar pelo círculo mágico...

—Parece que é isso mesmo.

Ele me deixou entrar no apartamento. Ele até mesmo me serviu um chá.

O incidente do tele transporte e a discussão que tivemos me afetou bem mais que eu pensara e, inconscientemente eu chorava. Só podia chorar mesmo.

O cliente, Morisawa, sentiu pena de mim e me deixou entrar. O apartamento parecia limpo. É um quarto de solteiro bem arrumado para solitários como ele.

Ele me disse que, durante o dia, trabalha para o governo. Morisawa leva seu trabalho a sério, porém ele queria se relacionar melhor com as outras pessoas, assim acabou chamando um demônio pelo panfleto.

Então não é a Koneko...

Ele se apaixonou à primeira vista pela Koneko, que foi o primeiro demônio com quem ele fez contrato, e desde então ele sempre a chama. —Desculpe, mas parece que ela é bastante solicitada por vários clientes. Aparentemente ela é a responsável pela divisão de 'garotas bonitinhas'.

Quando você convoca um demônio, pode solicitar por um específico, chamando pelo seu nome. Foi isso que me explicaram. Em algumas ocasiões o Demônio chamado não pode atender e um substituto é enviado em seu lugar. Por isso, hoje eu recebi o trabalho da Koneko.

—Quando eu usei o panfleto eu queria um demônio da categoria 'garotas bonitinhas'...

—Eu sou um novato bonitinho, não dá pra ser?

—Hahaha! Muito engraçado! Se eu tivesse uma espada de prata comigo eu acabava com a sua raça!

Aí, irmão, você está rindo, mas seu olhar diz que se tá falando sério.

—De qualquer maneira, o que você queria pedir quando tentou chamar a Koneko?

É isso o que eu quero saber. De repente eu mesmo posso conceder o desejo dele. Mas as minhas esperanças foram por água abaixo quando ele pegou certo item do canto do quarto.

—Eu queria que ela vestisse isto.

De que escola será esse uniforme feminino? Acho que já vi isso em algum lugar. Ou talvez não.

—É o uniforme da Nagato Yuki.

—Nagato... ah! Dá série 'Suzumiya Haruhi'.

Essa até eu conheço. O desenho animado <anime> da Suzumiya Haruhi foi muito popular no ano passado.

— Demoniozinho, você também é fã da Nagato?

—Não, eu prefiro a Asakura Ryouko.

—Por quê?

—Seus peitos.

"...!"

O Morisawa ficou sem fala quando ouviu a minha resposta imediata. Asakura Ryouko, outra personagem da série 'Suzumiya Haruhi', uma garota linda com um corpo estonteante.

—Então você gosta de peitões?

—É claro. Só peitões trazem a verdadeira felicidade. Disso eu tenho certeza.

Eu então imaginei os peitões da Buchou balançando na minha frente. Buchou eu me apaixonei pelos seus peitões à primeira vista. Eu fiquei com vergonha de dizer na sua presença, Buchou, mas eu protegerei seus peitões com a minha vida!

Morisawa sorria com uma expressão lasciva no rosto.

—Você é um bom observador. Então você é um grande apreciador de peitões. Entendi você tem um fetiche que é o oposto do meu. Eu gosto é de peitinhos.

—Eu compreendo. Tenho um amigo com a mesma preferência.

O cara que aparece na minha cabeça não é outro senão meu amigo quatro-olhos, o nefasto Motohama. Ele é um depravado de primeira categoria. Isso não há como negar.

—Sim, você também não acha que ela, a Koneko, se parece muito com a Nagato? Por exemplo, o clima que ela passa. Porém, ela é um pouco baixa. Se você fala desse jeito, realmente, A Koneko é pequena, não expressa emoções, tem um corpo sem muitas curvas, cabelo curto, elas são parecidas. Nagato Yuki tem as mesmas características.

—Por isso que eu queria que ela vestisse isto. Eu queria tanto ver ela neste uniforme!

Morisawa derramava lágrimas de desapontamento. Ele realmente ficou magoado. Ele queria mesmo que ela vestisse isso, não?

—Desculpe por isso. Tudo bem. Eu visto isso pra você...

—Eu te mato, seu filho da puta.

Morisawa declina a minha gentil proposta aos gritos. Não fique tão irritado enquanto chora desse jeito. Era uma piada. Eu só estava brincando.

Morisawa tentava se acalmar, depois de enxugar suas lágrimas. Ele respira fundo e consegue se acalmar.

—Ah, esquece. Então qual é a sua habilidade especial? Sendo um demônio, deve ter alguma coisa em que você seja bom. Algo como um poder misterioso. Por exemplo, a Koneko tem uma força sobre-humana. Ela me carrega como se eu fosse uma noiva.

Morisawa diz isso com admiração. E seu orgulho, como homem, para onde foi? É, deve ter gente que fica toda excitada quando é carregada no colo por uma garotinha.

... Minha habilidade especial, hein? Cruzei os braços e falei sério.

—Minha habilidade especial é o Kamehameha.

—Se mata!

—O quê! Qual o seu problema? Não diga isso. Ainda mais com essa cara séria!

—Claro que eu estou falando sério. Que mundo é esse em que um demônio tem o poder de Kamehameha?

—Aqui mesmo! Bem na sua frente!

Disse isso com firmeza, apontando para o próprio peito.

—Então faça que eu quero ver.

—É pra já.

—Se você pode fazer, então faça! Não deboche da geração que cresceu assistindo ao Dragon Ball! Quando estávamos no primário, todos nós praticávamos o Kamehameha toda segunda-feira no intervalo do recreio. Inclusive tentamos coletar espíritos para poder usar o genkidama, mas de nada adiantou. Não deboche da nossa geração!

—Cala a boca! Quem se importa se você cresceu assistindo ao Dragon Ball! Eu tenho toda a edição em quadrinhos! Eu até comprei a versão com a capa especial na primeira edição! Eu e meus amigos também brincamos de esconder usando o ki!

Eu respondi a todos os seus argumentos. Fiquei irritado! Muito irritado! Pode deixar que eu te mostro! A versão Hyoudou Issei do Kamehameha! Eu ativei minha Sacred Gear. Primeiro fechei os olhos e levantei meu braço esquerdo. Então imaginei, na minha cabeça, o Son Goku... e puxei meu braço para baixo enquanto fazia a pose de lançamento do Kamehameha. Pus toda minha concentração nisso. Merda! Toma essa, a geração Dragon Ball! Esse é o meu ataque final!

—Kamehameha!

Flash! Imediatamente meu braço esquerdo brilha! A Sacred Gear, uma manopla vermelha, aparece, cobrindo meu braço esquerdo. Viu só, esta é a minha Sacred Gear!

DERRAMANDO

Quando eu olhei para o Morisawa vi que ele chorava bastante. Ele foi pegar o volume um de Dragon Ball da sua biblioteca. Ele então pega minha mão e trocamos um aperto caloroso.

—Vamos conversar sobre isso!

DERRAMANDO

Lágrimas derramam também dos meus olhos. Pude entender imediatamente o que ele tentava dizer. Qualquer fã de Dragon Ball perceberia o que ele tentava dizer.

—Claro, vamos conversar sobre isso!

Foi assim que a longa noite começou.

—Hahaha. Eu também. Eu também acho que foi bom que Wakamoto dublou Cell.

—É mesmo, era exatamente a voz que eu tinha imaginado.

Depois que ele pegou os mangás, nós passamos as duas últimas horas conversando e rindo juntos. Conversando, acabamos esquecendo nossa diferença de idade e acabamos amigos.

Huhuhu. No começo ele teve uma má impressão sobre mim, porém depois de conversar um pouco, nos demos muito bem.

—Ok! Talvez eu deva fazer um contrato com você também.

—Isso! Viu Buchou! Obrigado pelo contrato!

Isso! isso isso isso isso! Consegui meu primeiro contrato! Minha caminhada em direção à nobreza começa agora! Minha lenda começa agora! —Tudo bem, pode ser um desejo comum, mas será que eu posso ficar rico?

Realmente, este realmente deve ser um pedido comum, mas bem popular.

—Ok, vou checar.

Eu liguei o aparelho portátil dos demônios e comecei a operá-lo. Eu entrei com o pedido dele e a resposta apareceu.

—Hmm, bem, no seu caso, para atender ao pedido, o preço é a sua vida. Portanto, você morreria.

—Morreria?!

—É. No mundo dos demônios costuma-se dizer que 'a vida das pessoas não têm o mesmo valor'. Eu sinto muito. Para você ficar rico, Morisawa, você teria que morrer.

—Sinto que meu coração acabou de ser despedaçado, mas tudo bem. Aliás, se eu fizesse esse pedido, quando é que eu teria que morrer?

—Hmm... Ah, você morreria assim que o dinheiro começasse a cair do céu. Parece que você sequer poderia tocá-lo. Que horror.

—Uááá! Então eu não poderia sequer jogá-lo na sua cara?!

—Ei, não tente me bater com o seu dinheiro!

É, acabei de presenciar os sonhos de uma pessoa sendo destruídos. Entendi. Como eu imaginava, um desejo desses é mesmo impossível para o Morisawa. Então é isso que a Buchou queria dizer com 'a vida das pessoas não têm o mesmo valor'. O mundo é muito injusto.

—E-Então que tal um harém? Que tal um pedido de um monte de garotas numa festa suntuosa?!

Óó, então você está pensando naquilo, hein. Fiquei comovido. Afinal de contas, ele é um homem também. É claro que ele ia querer algo assim. —Morisawa! Eu também adoro haréns! Afinal, é o sonho de todos os homens. Fantástico! Acho que eu adoraria beber contigo um dia! Mesmo sendo menor de idade!

—Não ligo pra isso. E então, o que diz aí?!

Eu entrei com o desejo no aparelho. Que é isso, que resposta desagradável.

—Bem, diz aqui que você morreria assim que as mulheres e garotas bonitas entrassem no seu campo de visão.

—Eu vou morrer só de olhar pra elas?!

—Não, está dizendo que você vai morrer quando elas puderem ser vistas a distância, então você sequer vai conseguir ver se elas eram realmente bonitas. Que desagradável. Assim não seria melhor apenas passar perto de garotas bonitas na cidade?

"Uuuáááááááááááááá!"

De repente, o Morisawa, um adulto, começou a chorar alto.

—Então eu sou um humano que não vale nada?! Uúúú, desculpe por ter nascido...

Dou um tapinha no ombro do Morisawa.

—Ei, vamos continuar conversando sobre Dragon Ball até o dia raiar. Quer simular um luta do Dragon Ball? Eu vou ser o Son Goku e você pode ser o Freeza. Tá bom assim?

Morisawa acena com a cabeça, ainda aos prantos.

Com isso, meu primeiro contrato acabou invalidado porque tive que confortar o meu cliente.

Parte 4[edit]

O dia seguinte, depois das aulas.

"............."

A Buchou está irritada. Ela levantou a sobrancelha e não disse uma palavra. Estou em pé diante dela, com a cara pálida.

Ontem fiquei brincando de Dragon Ball com o cliente e terminei a noite por lá.

Ah sim, o Kiba disse algo sobre isso, com um sorriso constrangido. 'Isso nunca tinha acontecido antes.'

"... Ise." Seu tom de voz era grave e assustador.

— Sim!

—Você ficou conversando com o cliente sobre mangá, e o que foi que aconteceu depois disso? E o contrato?

Ela foi direto ao ponto. Eu suava frio.

—O-O contrato foi invalidado... Nós simulamos batalhas de um certo mangá até de manhã.

—Simularam batalhas?

—I-Isso! Você imita um personagem daquele mangá e simula lutas usando a imaginação!

Porque é que eu estou explicando isso tão seriamente? Explicar isso pra ela está me fazendo querer chorar.

—E-Eu sei que, sendo um estudante do ensino médio eu deveria estar embaraçado - não, como um Demônio profissional, eu deveria também ficar embaraçado! E-Eu estou arrependido! Eu sinto muito!

Eu inclino minha cabeça enquanto peço desculpas. É sério, que diabos eu fiquei fazendo até de manhã?

—... Nós pedimos aos clientes que, após finalizarem o contrato, preencham um questionário no panfleto que nós demos para eles. Nele, perguntamos 'Como foi o seu contrato com o Demônio? O questionário deste panfleto está preenchido, mas...

A Buchou mostra para mim o papel com os comentários no questionário. Então tinha isso também, hã. O trabalho dos demônios é mais complexo do que eu imaginava.

[Foi muito divertido. Fazia tempo que eu não me divertia tanto. Eu gostaria de encontrar com o Ise-kun de novo. Espero que da próxima vez possa fazer um bom contrato com ele]... Este foi o comentário feito pelo cliente.

--!

Fiquei comovido. Morisawa... Eu não pude fazer nada por você, mas ainda assim...

—Esta é a primeira vez que recebo um comentário desse tipo. A princípio eu não sabia o que fazer com isso. Por isso que fiquei com essa expressão estranha no rosto, eu não sabia como reagir a isto.

A Buchou não está irritada comigo? Porém a verdade é que eu não fiz o contrato...

—Para nós Demônios, o importante é fazer um contrato com o humano que nos convocou. Com o contrato nós recebemos o pagamento. É desse jeito que as coisas funcionam já há muito tempo... Eu fiquei sem reação porque é a primeira vez que me deparo com um incidente desses. Você pode ter falhado como Demônio, mas o cliente ficou satisfeito com você...

Buchou parecia confusa, mas, finalmente, ela sorriu.

— Mas isso é interessante. O certo é que não existe nenhum outro demônio como você. Você é um rapaz muito interessante. Você pode vir a ser o Demônio número um no inesperado. Porém lembre-se dos fundamentos: Você forma um contrato com o cliente, você realiza o desejo dele e, então, recebe o pagamento. Ok?

—Sim! Vou me esforçar ao máximo!

Buchou me perdoou. Só isso me deixa tão feliz que tenho vontade de sair dançando.

Buchou, da próxima vez prometo que vou conseguir!

Parte 5[edit]

Há noite, após fazer a minha promessa, mais uma vez fui fazer meu trabalho. Estou pedalando minha bicicleta a toda velocidade em direção à casa do cliente.

Desta vez vou a uma mansão a trinta minutos da escola. É, demorou trinta minutos para chegar, mesmo indo o mais rápido que eu pude. Espero que o cliente não esteja irritado.

Diante da porta, eu toco a campainha. Um Demônio que precisa tocar a campainha... Que tristeza. Eu também quero ser chamado através do círculo mágico o mais rápido possível!

Passado uns instantes, há uma resposta pelo interfone.

—Está aberto. Pode entrar miau.

É uma voz bem grossa. É um cara. Hã? 'Miau'? Ele não disse 'miau'? Não, devo estar ouvindo coisas.

Abri a porta, tirei os sapatos na entrada e entrei timidamente na mansão.

Fiquei sem fala.

—Bem vindo, miau.

Era um corpo imenso. Uma presença opressiva. Um cara enorme, todo musculoso vestindo roupas de garotinha gótica.

Olhando com cuidado, os botões da roupa parecem estar a ponto de explodirem. Também parece que, em alguns pontos, a costura está prestes a rasgar. Fora isso, apesar de ter uma cara de maníaco assassino, seus olhos parecem inocentes como os de um bebê.

Não, o mais estranho mesmo está na cabeça dele. Ele tem orelhas de gatinho.

Eu engulo minha saliva. Uma gota de suor desce pelo meu rosto. Me deu uma tremedeira nas mãos, de nervoso.

Isso não parece só um homem. Ele tem o corpo do mais macho dos homens!

Sinto uma pressão terrível e um sentimento de perigo iminente.

Estou com um pressentimento. Um pressentimento que vou ser executado, numa morte sem sentido.

—M-Mmm... um Demônio... Foi você que convocou um Demônio do grupo Gremory?

Pergunto timidamente.

FLASH!

Os olhos do homem brilham, emitindo até um efeito sonoro. Eu sinto como se tivéssemos um intenso espírito de luta entre nós. Eu vou morreeer! Uuu!

Mesmo sendo um demônio, adoto uma postura de auto-defesa.

—Isso mesmo, miau. Eu chamei um Demônio porque eu quero fazer um pedido, miau.

Palavras surpreendentes saíram de seus lábios grossos.

Ele encerra suas falas com 'miau'! Não acredito... Como ele pode...?

—Eu quero que você transforme o Mil-tan em uma 'Mahou Shoujo', miau.

—Então, por favor teleporte-se para um outro mundo.

Respondi de imediato.

Isso é impossível. Sério. É impossível.

Deixo minha cabeça prostrada, o pedido dele é algo muito além do que eu esperava.

Mil-tan?! O que é Mil-tan?! Esse cara não está fazendo sentido.

Com esse seu corpo você deve ser capaz de se transportar para outra dimensão e voltar são e salvo! Você provavelmente consegue até derrotar o próprio Satanás, no meio tempo!

—Isso eu já tentei, miau.

—Você realmente tentou isso?!

—Mas não consegui miau. Não tinha ninguém que desse poder mágicos para o Mil-tan, miau.

—Acho que é 'mágico' essa situação...

—A minha única opção agora é recorrer ao meu arqui-inimigo, o Demônio.

De repente eu passei a ser tratado como o inimigo dele... Acho que vou fingir que não escutei.

—Demônio

A voz que este cara, 'Mil-tan', liberou sacudiu o recinto inteiro. O que foi isso? Magia sonora?

—Por favor, dê a Mil-tan poderes mágicos fantásticos, miaaaaaaaauuu!

—Fique tranquilo, você já é 'fantástico' o suficiente! Agora quem está com vontade de chorar sou eu!

Só chorando, mesmo. Que droga! Porque todos os meus clientes são uns pervertidos?! O que significa isto?!

—Mil-tan! Mil-tan, calma aí! Eu vou te escutar!

Bom, primeiro eu preciso acalmar logo esse cara e ouvir o caso dele.

Mil-tan abriu um sorriso radiante na sua cara assustadora, depois de enxugar as lágrimas.

—Então vamos assistir juntos ao 'Mahou Shoujo Milky Spiral 7 Alternative', miau. A história sobre a magia começa lá, miau.

E assim começou a minha longa noite.

Parte 6[edit]

No dia seguinte, volto pra casa após as atividades regulares do clube. Haa... Eu dei um suspiro.

A Buchou ficou surpreendida por encontrar, pela segunda vez seguida, uma situação inusitada. Desculpe por me envolver em ocorrências estranhas.

Hoje também a Buchou estava com uma expressão estranha no rosto. O meu contrato foi considerado inválido pela segunda vez seguida. Mas eu recebi o melhor comentário do cliente. Eu me sinto agoniado, obter uma posição de nobreza será mais difícil do que eu imaginava...

Ontem à noite fiquei assistindo anime com o Mil-tan até a manhã seguinte. A princípio eu não estava assistindo a sério, mas depois acabei sendo fisgado pela Magical Girl, principalmente pela ação ininterrupta e sua história comovente, então acabei vendo o desenho até de manhã.

Aliás, porque é que todos os meus clientes são um bando de pervertidos?

"Ahaha, Hyoudou deve ter um poder demoníaco para atrair gente desse tipo." Kiba disse algo do gênero para mim, mais cedo, com o seu sorriso radiante.

Vê se morre bonitão. Ouvi falar que ele é frequentemente chamado por lindas mulheres mais velhas. Droga! Que tipo de contrato ele estabelece com elas?! É sexo?! Ou algo envolvendo sexo?!

Só de imaginar já me dá vontade de acabar com a raça dele. Merda! Kiba, seu desgraçado!

—Hauaaau!

Mmmm? De repente uma voz estranha. Ao mesmo tempo em que ouvi a voz vinda do meu lado, escutei um som de algo caindo no chão.

Quando me virei, havia uma freira caída na calçada. Ela estava com os braços abertos e a cara no chão. Esta é certamente uma maneira bem desajeitada de levar um tombo.

—... Você está bem?

Eu me aproximei dela e estendi minha mão para ajudá-la a levantar.

—Auu. Porque é que eu vivo tropeçando... Oh, perdão. Muito obrigado...

Pela sua voz ela parece ser jovem. Será que ela é da minha idade? Eu pego na sua mão para levantá-la.

Fuuuuuuuu

O véu da freira sai voando com o vento. Seus cabelos louros, antes escondidos, caem sobre seus ombros, reluzindo com a luz do Sol. Meus olhos então vislumbram seu rosto.

HSDxD vol 01 137.jpg

-! No mesmo instante, meu coração é roubado por ela. Uma deusa loura está diante de mim. Seus olhos verdes são tão bonitos que parece que vão me sugar para dentro deles...

Fiquei por um tempo apenas contemplando-a.

—Hã... tem alguma coisa errada?

A freira olhava nos meus olhos parecendo incomodada.

—Ah, desculpe. Hã...

Eu não posso dizer a verdade. Que eu estava completamente fascinado por ela. Ou melhor, que ela era A Garota. É. É isso mesmo. Suas feições são exatamente as da minha garota ideal (versão loira). É claro que eu ficaria atraído por ela.

Eu preciso continuar a falar com ela! Será que é o destino? Era isso que passava pela minha cabeça naquele momento.

Então eu percebi que ela carregava uma bolsa de viagem no ombro. Pensando bem, é bem raro ver uma freira na cidade. É a primeira vez que vejo uma.

Antes de tudo tenho que pegar o véu dela. Por sorte ele está por perto.

—Pa-Passeando?

—Não, não. Eu fui designada para uma igreja nesta cidade... Você deve ser um residente local. É um prazer conhecê-lo.

Ela inclina a cabeça.

Mmm. Foi colocada na igreja desta cidade. Remanejamento de pessoal? Parece que a igreja também tem seus problemas.

—Eu passei por algumas dificuldades desde que cheguei aqui. Mmm... eu não falo japonês muito bem... Eu me perdi e as pessoas não entendiam o que eu dizia...

Ela tinha as mãos juntas na frente do peito e parecia triste. ...Então ela não fala japonês. A razão de ela conseguir se comunicar comigo é o poder demoníaco. Isto foi o que a Buchou me falou:

—Quando você vira um Demônio, uma das habilidades que você obtém é "Linguagem". A partir desse momento, todas as pessoas do mundo podem entendê-lo. Quem estiver te escutando vai ouvir na língua que estiver mais acostumada. Se for americano, vai ouvir em inglês. Se for espanhol, vai ouvir em castelhano. E o inverso também. Se falarem em outra língua que não o japonês, você vai ouvir em japonês. É, acontece exatamente como a Buchou falou.

Durante a aula de inglês, eu escutei tudo em japonês. Eu fiquei abismado. Quando o professor pediu para eu ler um parágrafo em inglês, de alguma maneira eu o fiz, para o espanto dos meus colegas de classe.

É claro que eles ficaram chocados. De uma hora para outra eu passei a falar inglês fluentemente. Até mesmo o professor ficou chocado. Bem, o alfabeto e a gramática não se transformaram em japonês porque o poder se limita a sons apenas. Mas é o suficiente. É incrível eu poder falar qualquer idioma no mundo todo. De repente, me tornei um estudante médio internacional, sem nenhum aviso.

—Acho que eu sei onde fica a igreja.

Se não me engano, tem uma velha igreja nos arredores da cidade. Deve ser aquela igreja. Mas será que ela ainda está sendo usada? —Vo-você sabe? Muito obrigado! Graças a deus!

Ela sorri para mim, com lágrimas nos olhos. Essa garota é realmente uma gracinha. Mas quando eu olho para o rosário dela, pendurado no pescoço, me dá uma sensação muito ruim.

Bem, é claro que sim, afinal, eu sou um Demônio. Ela é o tipo de humano com o qual eu não deveria falar nem me envolver. Porém, não posso abandonar uma garota em dificuldades. Sendo assim, eu resolvi acompanhar a freirinha à igreja. No caminho, passamos por um parque.

"Buáááááááááá!"

Ouvi o choro de um menino.

—Você está bem, Yosh?

Ele vai ficar bem, está com a mãe. Só levou um tropeção. Mas subitamente a freira que estava me acompanhando, foi em direção ao parque.

—Ei.

A freira entrou no porque e foi em direção ao menino que sentava no chão chorando. Eu fui atrás.

—Você está bem? Meninos não devem chorar com um machucadinho desses.

A freira afagou a cabeça do garoto. Ele provavelmente não entendia o que ela estava dizendo. Porém a freira mostrava uma expressão carinhosa. Ela pôs sua mão onde o menino tinha se machucado.

Eu tomei um susto. Um globo de luz esverdeada surgiu da mão da freira e irradiava no joelho do menino.

O que é isso? Poder demoníaco? A Buchou falou que apenas demônios e seres relacionados com eles podem usá-lo, então não pode ser.

Quando eu olhei de novo o machucado do menino sumia. A luz na mão dela está curando o ferimento? Algo passa pela minha cabeça.

-'Sacred Gear'-

Um poder especial conferido a certas pessoas. Acho que foi isso que o Kiba disse. Sinto que essa luz é isso.

Olhando para essa luz, sinto meu braço esquerdo pulsar. Deve ter alguma relação. Será que a minha 'Sacred Gear' está reagindo a 'Sacred Gear' dela?

Quando eu olho mais uma vez, o machucado do menino sumiu, sem deixar o menor vestígio. Incrível.

Este também é o poder de uma 'Sacred Gear'... Existem tantos tipos diferentes.

A mãe do menino está chocada. Qualquer um que testemunhar algo incompreensível assim terá a mesma reação.

—Pronto, seu machucado está curado. A dor já deve ter sumido.

A freira acaricia a cabeça do menino e olha pra mim.

—Perdão, eu tinha que fazer isso.

Ela ri, mostrando a língua.

A mãe do garoto, que tinha ficado chocada, balançou a cabeça e pegou na mão do menino, preparando-se para correr.

—Obrigada, Irmã!

Palavras do menino. Palavras de gratidão.

—Ele disse obrigada Irmã.

Ela sorriu alegremente quando eu traduzi para ela.

...Esse poder...

—Sim, é o poder da cura. É um poder maravilhoso que deus me deu.

Ela parecia um pouco triste, apesar de estar sorrindo. Dá a impressão que ela tem um passado obscuro, ou algo parecido. É melhor eu não ir muito a fundo nisso.

Não é a hora de dizer "Na verdade eu também tenho uma 'Sacred Gear'! É um poder muito fora do comum e algumas pessoas devem sofrer por causa dele.

Eu mesmo não gostei quando meu braço foi coberto pela minha 'Sacred Gear'. Fiquei até assustado. Eu ainda não sabia usá-la, por isso não fiquei muito contente com ela. A única coisa que eu consigo fazer com a minha 'Sacred Gear' é imitar o Kamehameha do Dragonball.

A conversa morreu por aí e nós continuamos a andar silenciosamente em direção à igreja. Nós chegamos após caminhar por mais alguns minutos.

Bem, a única igreja que conheço por aqui é essa. Ela é tão velha quanto eu me recordava. Não tinha ideia que ainda era usada, mas dava para ver luz vindo de dentro da igreja, então alguém deve estar lá dentro.

BRRRR BRRRR BRRRR

Me deu o maior calafrio, suor escorria do meu corpo. Agora é sempre assim comigo. Eu sabia. Eu sou um Demônio, portanto a igreja, que pertence a Deus e seus Anjos, é território inimigo para mim.

A Buchou mesmo me avisou para manter distância de igrejas e templos.

—Ah, é esse mesmo o lugar! Que bom.

A freira suspirou aliviada após consultar o mapa e verificar a nossa localização.

Oh, então estamos no lugar certo. Ótimo. É melhor eu ir embora o mais rápido possível. Já esta escurecendo, acho bom voltar logo.

Que desperdício me despedir de uma beleza dessas, mas eu sou um Demônio e ela uma freira...

O amor entre duas pessoas de lados diferentes pode parecer romântico, mas nesse caso...

Eu estou ficando assustado com a igreja. Meu corpo não para de tremer. Esse pavor deve ser a sina de um demônio. Me sinto como um sapo sendo observado pela cobra. Não pareço é com o sapo que não sabe mais o que fazer quando foi descoberto pela cobra.

—Bom, então já vou indo.

—Por favor, espere um pouquinho!

Eu já estava indo embora, mas a freira me impediu.

—Eu vou fazer um chá para agradecer pela sua gentileza.

—Ah, eu estou com um pouco de pressa, preciso ir.

"... mas será que..."

Ela está desapontada. Provavelmente ela quer apenas me servir um chá para mostrar a sua gratidão, mas tomar chá aqui pode ser perigoso. É uma pena, mas vou ter que recusar.

—O meu nome é Hyoudou Issei. Meus amigos me chamam de Ise, então pode me chamar de Ise também. Qual é o seu nome?

Quando eu dei o meu nome, ela sorriu.

—Meu nome é Asia Argento! Pode me chamar de Asia!

—Então, irmã Asia, até a próxima.

—Sim, Ise, venha me visitar.

Asia inclina a cabeça. Eu fui embora após acenar pra ela. Ela ficou me olhando até perdê-la de vista. Ela é uma boa garota.

E este foi o nosso primeiro, e fatídico, encontro.

Parte 7[edit]

À noite.

—Nunca mais se aproxime da igreja

Buchou me dá uma bronca, no clube. Sua expressão está mais séria que de costume. Pra falar a verdade, ela parece estar muito chateada comigo. —Para nós, Demônios, a Igreja é território inimigo. Até mesmo pisar numa igreja pode causar atrito entre os Demônios e Deus. Como foi apenas uma gentileza sua de acompanhar a freira até a igreja, eles não te atacaram, mas os Anjos estão sempre alerta. Naquela situação, não seria estranho se eles te atacassem com uma lança de luz.

... Tá falando sério...? Eu me meti numa situação tão séria assim...?

Pensando bem, o calafrio que eu senti na ocasião não foi normal. Eu senti até medo naquela hora. Então isso é que significa detectar perigo. Então meu instinto de Demônio me dizia que eu estava numa situação de perigo.

—Não se envolva com gente da Igreja. Principalmente exorcistas, que são nossos maiores inimigos. Eles podem nos destruir facilmente, porque seus poderes se apoiam em preces a Deus. Pior ainda se for um exorcista com uma 'Sacred Gear'. Aí é o mesmo que botar o pé na cova, Ise.

Buchou me encara com seus olhos azuis, seus cabelos ruivos agitados. Seu olhar era sério, ela não estava brincando.

—Tu-Tudo bem.

—Você pode enganar a morte como um humano sendo ressuscitado com um Demônio. Porém, um Demônio exorcizado é completamente exterminado. Ele retorna ao vazio. Vazio. Não sobra nada e você não sente mais nada. Você tem ideia de como isso é sério?

...Vazio? Pra ser sincero, não tenho não. Buchou, balança a cabeça ao perceber minha expressão confusa.

—Perdão. Acabei ficando com a cabeça quente. De qualquer maneira, tenha mais cuidado de hoje em diante.

—Claro.

E assim termina minha conversa com a Buchou.

—Ora, ora, já terminou de repreendê-lo?

"Uááá."

Akeno está bem atrás de mim e eu nem percebi. Ela está com seu sorriso de costume.

—Akeno, aconteceu alguma coisa?

Ela muda de expressão após a pergunta da Buchou.

—Recebemos uma ordem de caçada do Arquiduque.

Parte 8[edit]

— Demônios Rebeldes. Há seres que são chamados assim.

Um Demônio que foi convertido a um servo de outro Demônio com um Titulo de Nobreza, mas que traiu seu mestre.

Casos como esse, raramente ocorrem. O poder de um Demônio é enorme. Não se compara a força de um mero humano. Assim, aqueles que conseguem esse poder, acabam querendo usar para seus próprios interesses egoístas. E também, aqueles Demônios que deixam de lado seu mestre e causam a destruição em diferentes lugares.

— Isso é um Demônio Rebelde. O anjo caído Donassek que usava um terno me confundi-o com um Demônio Rebelde. Em outras palavras, um cão perdido.

Os cães perdidos causam grandes problemas. Quando são encontrados por seu mestre ou por algum outro Demônio com a ordem de mata-lo, são eliminados na hora. Essa é a lei dos Demônios.

Outras criaturas como os Anjos e Anjos Caídos, os veem como uma ameaça e eliminam os Demônios Rebeldes quando os encontra. Não há nada mais assustador do que um Demônio que não respeita nenhuma regra.

Me dirigi ao edifício que era localizado fora da cidade, Junto da Buchou, Akeno, Kiba e Koneko. Cada noite, um Demônio Rebelde está atraindo humanos para poder se alimentar. Sendo assim, Um Demônio de classe alta me solicitou para eliminá-lo.

[Já que o Demônio está refugiado no território de Rias Gremory, gostaria que pudessem eliminá-lo].

Aparentemente, este também é o trabalho de um Demônio. Comer um ser humano... Há Demônios malvados como esse também...

Sim, eles são Demônios apesar de tudo... É meia noite. Está muito escuro. A grama que me rodeia está muito alta. Eu posso ver o edifício daqui.

É um dos benefícios de ser um Demônio, ter uma visão clara durante a noite. Hm, Ter uma visão clara em um lugar assustador assim como esse, não é tão bom.

—... Olhe, é Sangue.

Koneko cobre o nariz com seu uniforme depois de dizer isso. Cheiro de Sangue? Não posso sentir nada. Então Koneko tem um bom olfato.

Estava silencioso. Podia sentia a presença do inimigo nos cercando, era um instinto assassino nada normal.

Minhas pernas estavam tremendas. Estou assustado. Se os outros não estivessem aqui, eu haveria fugido. Buchou que está andando na frente com suas mãos na cintura, parece muito segura!

— Ise, essa é uma boa oportunidade para experimentar suas habilidades em uma luta.

Buchou disse algo imprudente.

— Espera, isso é serio?! Estou seguro que não serei de muita ajuda!

—Sim, é impossível de qualquer forma. Ela me disse isso diretamente. Me sinto um pouco triste.

— Mas você pode olhar como é uma luta de Demônios. Hoje, só se concentre em ver como nós lutamos. Oh, Sim. Também vou explicar as características que cada servo tem.

— Explicar? As características que cada servo tem?

Depois de minha expressão confusa, Buchou continuou.

— Demônios que tem seus mestres, ganham características únicas ao se converterem em servos... Sim, provavelmente nesse exato momento será mais fácil pra contar a Historia que cerca os Demônios.

— Muito tempo atrás, houve uma guerra de 3 lados, Entre Demônios, Anjos Caídos e Deus com seus seguidores anjos. As três partes tinham grandes exércitos e lutaram pela eternidade. Como resultado, as três partes perderam suas tropas e a guerra termina depois de centenas de anos sem nenhum ganhador.

Kiba continua logo após Buchou.

— Os demônios não foram exceção. Grandes Demônios Nobres que comandaram cerca de 20 ou 30 tropas perderam a maioria de seus subordinados durante a guerra. Perderam tantos que foram incapaz de montar novos exércitos.

Akeno assumi.

Fiquei sabendo que a maioria dos Demônios de puro-sangue morreu na guerra. Depois da guerra surgiram muitos problemas para os Demônios, Anjos caídos e Deus. Enquanto os Anjos caídos e Deus perderam boa parte das suas tropas, não estamos em posição de baixar nossa guarda, se não teríamos sérios problemas.

Logo, Buchou falava novamente.

— Então, os Demônios decidiram usar um sistema de formar pequenos grupos de soldados. E dai surgiu as [Peças malignas]

—Peças malignas?

Parece que vai começar a complicar, mais devo me concentra e escutar seriamente.

— Demônios Nobres decidiram usar as regras de um jogo de Humanos, ‘Xadrez’ para seus soldados Demônios. Foi também que se tornou uma ironia, já que devido à maioria dos servos reencarnados em Demônios foram Humanos. Desde então, o jogo de xadrez se tornou popular no mundo dos Demônios. Mais vamos deixar isso de lado agora. Demônios que são mestres são o [Rei]. Que no nosso caso, sou eu. Sendo assim, eles criaram 5 peças especiais que consistem em [Rainha], [Cavaleiro], [Torre], [Bispo] e [Peão]. Sendo possível agora criar um exercito. Disseram em ter um pequeno número de Demônios e dar a eles um enorme poder. Este sistema foi usado nas ultimas centenas de anos, e isto, inexplicavelmente, se tornou muito popular entre os Demônios Nobres.

— Popular? Refere-se às regras do Xadrez?

— Eles começaram a competir entre eles. Por exemplo, como, “Meu cavaleiro é mais forte” ou “Não, minha torre é mais forte!” Como resultado, Demônios de Classe Alta começaram a jogar um jogo como o de Xadrez entre eles usando seus servos Demônios. Que nós chamamos de “Jogos de Classificação”. De todo modo, este jogo se tornou muito popular entre os Demônios. Agora, há um próprio torneio para ele. A força de suas [Peças] e também o quanto forem fortes nos jogos, afeta sua posição social de seus Demônios, e seu titulo de Nobreza. Há algo também chamado [Reunir peças] Onde eles reúnem humanos como talento e fazem deles suas [Peças]. Está muito popular recentemente. Servos poderosos ganhando reconhecimento.

Entendo.

Então que é forte nos jogos significa que pode se tornar um esplendido Demônio. Também se converte com seu orgulho.

.....Umm, então Servos Demônios são antigo humanos e que se converteram a Demônios através das [Peças] de um jogo.

—Não sou um Demônio forte de qualquer forma, sendo assim nem posso participar de um torneio oficial. Mesmo que eu queira, há coisas que necessito passa, antes de jogar. Em poucas palavras, Ise e meus outros servos aqui não vão poder participar de um jogo por algum tempo.

— Isso significa que Kiba e os outros não participaram de um jogo ainda?

—Sim.

Kiba responde a minha pergunta.

O mundo dos Demônios é estranho. Eu só os imaginava sendo malignos e assustadores, mas parece que minha imaginação era incorreta. O que me faz sentir de uma forma ignorante em todas as formas no meu mundo e no dos Demônios.

Antes de qualquer coisa, há algo me incomodando.

Sim, minha posição como [Peça].

— Buchou qual é minha característica? Eu? Que peça eu Sou?

— Ise, você é...

Buchou parou de se mover.

Também com a minha resposta. Posso sentir tremores poder todo meu corpo. Isso é devido a presença do inimigo e seus instinto assassino que se tornou mais forte.

Há algo nos cercando! Incluindo um Tipo como eu, que apenas se converteu a um Demônio sabia.

— Posso sentir algo repugnante. Mas também posso sentir algo delicioso. Será doce? Será azedo?

Uma voz baixa está saindo do solo.

Este acontecimento não é normal. Esta voz está me assustando.

— Demônio Rebelde Vaizor. Estamos aqui para elimina-lo.

Disse Buchou.

“Ketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketaketa……”

A risada anormal está ao nosso redor. E também é uma risada de um Demônio que não conheço.

Nggh...

Uma mulher de topless aparece das sombras, Mas o corpo da mulher está à tona.

Não.

PASSOS

São passos pesados. Logo em seguida aparece esse corpo e o de uma besta gigante.

É nojento como antinatural dessa forma, ter a parte superior de uma mulher e a parte inferior de um monstro.

Está saindo algo que se parece familiar a uma lança de ambas as mãos.

Na parte de baixo do monstro tinha quatro grandes patas com garras afiadas. É uma cauda de serpente? Wow! Essa cauda está se movendo voluntariamente!

Pelo seu tamanho, é definitivamente tem uns 5 metros de altura. Sim se comparar as patas, Não seria muito mais alto? De qualquer forma, é um monstro, Isto também é um Demônio?

Sim, por isso é chamado de “Demônio Rebelde”.

Homem há coisas assim também?! Eu confirmei da outra vez. Demônios são assustadores!

— Deixando de lado seu mestre para seus próprios gostos definitivamente merece a morte. Em nome do Duque de Gremory. Eu felizmente o eliminarei!

— Você é corajosa jovem garota! Eu vou destroçar seu corpo, vou deixa-la vermelha como teu cabelo!!

É o que o monstro fala, mas Buchou dá um leve sorriso.

— Você fala de uma maneira elegante. Yuuto!

—Sim!

— Swoof!

Kiba, que estava do meu lado, acelera até onde está Buchou ao receber a ordem. Rápido. Ele é incrivelmente rápido. Incluindo não posso responder a ele!

— Ise, continuarei a explicação da onde parei.

Disse Buchou.

— Explicação? Sobre a função e das Peças malignas ou algo do tipo?

— A posição do Yuuto é o [Cavaleiro]. Sua característica é a velocidade. Aqueles que se tornam [Cavaleiros] tem uma velocidade incrível.

Como Buchou disse, a velocidade do Yuuto é incrível, eu não consegui acompanhar com meus olhos.

O monstro está usando seu ataque com lanças, mas não me parece que vai acertar.

— E a arma definitiva do Yuuto é as espadas.

Kiba para e de repente está segurando uma Espada Europeia. Ele a saco da bainha, e a espada que ele retira está refletindo a luz da lua.

Su!

Kiba de repente desaparece outra vez. Nesse mesmo momento, o grito do monstro foi ouvido.

Gyaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

Quando olhei, ambos os braços estavam cortados desde o torso junto com a lança. Sangue saia de sua ferida.

— Este é o poder de Yuuto. Uma velocidade que não só pode seguir com os olhos, e sua habilidade com uma espada de um Professional. Ao combinar estes dois, se torna o cavaleiro, mas veloz.

Uma sombra cercou as pernas do monstro..... Espera! Essa é a Koneko!

— A próxima é a Koneko. Ela é uma [Torre]. A característica da torre é...

— Maldito insetoooooooo!

STOMP!

O enorme monstro tenta pisar na Koneko!

Koneko! Hey, ela está com problemas...

Mas o monstro só golpeou o chão. Não foi capaz de pisar completamente.

Gugugu.....

A pequena menina com seu frágil corpo está levantando o pé do monstro.

— A característica da [Torre] é simples. Força absoluta. E também uma grande defesa. É impossível para um Demônio com esse calibre pisar na Koneko. Ela não pode ser esmagada.

LEVANTA!

Koneko levanta completamente o monstro.

—.... Voe.

Koneko salta alto e golpeia fortemente o estomago do monstro.

BANG!

O enorme corpo do monstro é lançado para trás.

Logo me recordo das palavras do cliente que ama a Koneko, Morisawa.

— Koneko tem uma força extrema. Ela me carrega como uma princesa.

Não é algo que possa chamar de força extrema!

Esse enorme monstro saiu voando com um só golpe!

Sim, me assegure de não irritar a Koneko. Serei assassinado só de ser tocado por seu dedo.

Garota super-humana. Assustador isso. Morisawa que se apaixonou por ela também é assustador.

— Por ultimo, Akeno.

— Sim, Buchou. Ora Ora, o que eu devo fazer?

Akeno está rindo enquanto o monstro vem em sua direção depois de ser golpeado por Koneko.

— Akeno é a [Rainha]. Ela é a segunda mais forte depois de mim. Ela é a imbatível Vice-presidente do nosso clube e tem todas as outras características do [Peão], [Cavaleiro],[Bispo] e [Torre].

Guuuu......!

O monstro finalmente olha fixadamente para Akeno. Akeno monstra um sorriso sombrio depois de ver o olhar do monstro.

Ora Ora, parece que tiraram bastante energia sua. O que eu vou fazer?

Akeno levanta sua mão enquanto falava isso.

FLASH!

HSDxD vol 01 161.jpg

No mesmo instante, o tempo se fecha, e um raio ilumina o monstro.

— Gagagagagagagagagagagagaga!

O monstro é eletrocutado outra vez. Parece que já estava morrendo.

E assim, Akeno o fulmina com um terceiro relâmpago.

A cara de Akeno monstra um sorriso frio e assustador ao ter fulminado o monstro com seu raio.

Uwaah. Essa pessoa está disfrutando... Ela está rindo depois de tudo.

— Akeno se destaca usando poderes demoníacos. Ela pode usar elementos naturais como relâmpago, Gelo e fogo. E, sobre tudo, ela é definitivamente uma sádica.

Buchou confessa isso como se fosse nada.

Uma sádica?! Isso é algo que pode se chamar de sádica?!

— Casualmente, ela é muito bondosa, mas quando a luta começa, ela não para até que se acalme.

—....Estou assustado com você Akeno.

— Não tem porque estar assustado, Ise. Akeno é muito amável com seus companheiros, sendo assim não já problema algum. Incluindo que ela te achou lindo. Da próxima vez, se ficar assustado com ela. Ela definitivamente te abraçara carinhosamente.

— Ufufufufufufu. Quantos raios mais você pode suportar? Certo? Monstrinho? Você não pode morrer, ok? A única pessoa que vai te é minha mestra. Ohohohohohohho!

....Buchou, eu estou com muito medo dessa pessoa a minha frete, ela está gargalhando.

Pensei que ela teria um sentindo mais comum...

Ela é um Demônio depois de tudo. Isso tem que ser assim. Um Demônio. Eles são assustadores.

E por alguns minutos, o ataque com raios da Akeno continuou.

Depois que a Akeno se acalmou, Buchou confirma e confirma com sua cabeça.

Buchou confere o monstro que perdeu sua vontade de lutar.

Buchou levanta sua mão para o monstro.

— Alguma ultima palavra?

Pergunta Buchou.

— Me mate.

Isto foi à única coisa que o monstro disse.

— Então, desapareça.

Uma cruel resposta. A voz de Buchou me deu calafrios.

DON!

Uma giganta massa de poder demoníaco foi disparada da palma de Buchou.

Foi tão grande, que cobriu o corpo gigante do monstro completamente.

A massa de poder demoníaco devora o corpo do monstro. Quando o poder demoníaco desaparece, junto dele some o corpo do monstro.

Como Buchou disse, desapareceu.

Confirmando isso, Buchou suspira.

— Está feito. Bom trabalho todo mundo.

Buchou disse para todos os membros do clube. Todo mundo voltou a seus estados habituais. Assim a caça do “Demônio Rebelde” está terminada, huh?

Esse é o destino dos Demônios Rebeldes. Não há o que fazer. Isso de deixar o mestre porque tem algo em mente...

Assim que é uma luta de Demônios.... Foi uma luta bem feroz. Junto com os Demônios rebeldes. Há muita coisa nesse mundo que não estou familiarizado.

Acho que tenho que me preparar daqui pra frente...

Pode ser que demore décadas.

Logo me recordei de um problema. Uma coisa a cerda de posições das peças Malignas de antes, Já que eu sou um servo de um Demônio Nobre, então eu devo ter minha própria [Peça] também.

— Buchou, há algo que você não me disse.

— O que é? Buchou me responde com um sorriso.

— Minha peça... Bem, qual minha posição como servo.

Para dizer a verdade, eu já preparei o pior cenário. Mas bem queria saber qual é. Até que eu tenho uma pequena esperança.

Há só duas [Peças] que sobraram, já que Akeno é a [Rainha], Koneko é a [Torre] e Kiba é o[Cavaleiro].

Então só sobrou [Bispo] e....... o [Peão].

Estava esperando por algo bom, mais já estou preparado pra ser destroçado. A linda garota de cabelo carmesim sorriu e disse claramente.

— Você é um [Peão]. Ise, você é um Peão.

Sou o mais baixo.


Voltar para Vida.1 Eu não sou mais humano Retornar para High School DxD Ir para Vida.3 Eu consegui uma Amiga.